sábado, 4 de junho de 2011

4º. Dia – Boas amizades com meninos


O olhar de amigo alegra o coração; as boas novas fortalecem ate os ossos” 
Provérbios 15.30
            Anos mais tarde, quando eu estava solteira de novo, achando que ia ficar pra titia, o Senhor me deu boas amizades com meninos. Normalmente quando temos um amigo "homem" todo mundo pensa que a amizade fica colorida e que no final vai dar namoro. As vezes acontece mesmo! Nesta parte da caminhada eu não poderia deixar de mencionar pessoas especiais que até não conheci pessoalmente, mas que me ajudaram a crescer em fé.
            Graças aos correios (sim, faz tempo), ao telefone e depois a internet, conheci o Marcelo, o Neemias e mais 2 amigos que eram do litoral de SP e honestamente, não lembro mais o nome deles.
            Os “meninos do litoral”, vou chamá-los assim, foram 2 amigos cristãos que conheci e na época nos falávamos por cartas e telefone. Sim, foi um risco e talvez algo estúpido, mas eles foram benção pra mim. Um deles era solteiro mas depois começou a namorar uma garota da sua cidade e como prevíamos que isto ia acontecer, ele meio que me “apresentou” por carta mesmo, um grande amigo dele.
            O amigo dele era um professor de tênis e era muito legal. Tínhamos uma grande afinidade e nos falamos por muito tempo, por anos inclusive, sem nos conhecermos pessoalmente e em todas as vezes fomos abençoados. Ele torcia por mim para eu encontrar um homem de Deus e eu torcia por ele para ele conseguir uma esposa abençoada. Deus sempre estava nos nossos assuntos e acho que isso foi o que mais me marcou. Depois de um tempo e naturalmente, perdi o contato com ele e com o seu amigo que mais tarde se casou com a namorada.
            Nesse tempo de espera, também conheci o Marcelo (por alguma razão eu sabia que não havia nele interesse por mim). Ele foi um cara que tinha lido um dos meus textos na internet quando estava na França pois ele não tinha acesso a igreja. Ele se alimentava espiritualmente pela internet. Quando chegou o tempo de ele voltar ao Brasil, ele acabou me escrevendo e combinamos de nos conhecer pessoalmente. Ele era um homem de Deus e sábio: no nosso primeiro e último encontro, ele levou o primo junto e acabou sendo um programa a três. Foi bem legal conhecer o Marcelo porque ele foi o primeiro cara que me aconselhou a sair mais para conhecer gente nova e foi ele quem me levou ao Spoleto pela primeira vez. Até hoje guardo no meu coração algumas conversas que tivemos. Nossa amizade durou pouco, mas tempo o suficiente para saber que nem todos os caras são canalhas. Ainda existem homens de Deus que podem nos surpreender com uma amizade pura e saudável.
            Lembram que no Diário do ano passado escrevi uma história chamada “Louro alto e de olhos azuis, cuja beleza me deu um preju de uns R$ 400,00 na conta de telefone? Pois bem, passada aquela fase difícil conheci pela internet o Neemias.
            O Neemias era o tipo de cara que eu me arriscaria conhecer pessoalmente: bonito, de Deus, líder e claro morador do Rio Grande do Sul, fronteira com a Argentina e o Uruguai (um passo para eu fazer minha primeira viagem internacional). O legal da amizade dele foi que, sinceramente, eu até pensei que ele poderia ser meu futuro marido, mas com o tempo Deus foi mudando nossos caminhos. Vocês acreditam que uma vez mandei por correio pra ele uma barra de chocolate e um CD do Hillsong? Eu acabei tendo um carinho de irmã, nossas conversas eram edificantes mas no final, não era o plano de Deus de nos juntar. 

          Foi nessa época que conheci meu marido. Naturalmente também, Neemias e eu perdemos o contato, mas graças a Deus, 4 anos depois, voltamos a nos falar e hoje posso testemunhar o que Deus fez na minha vida e o Neemias, não mudou nada: ainda não nos conhecemos pessoalmente mas ele continua sendo benção pra mim e agora para o Renato!

Para meditar: I Corintios 15.33, Provérbios 17.09,17, 28.23,

Canção de oração: O valor de um amigo - Ana Paula Valadão

Curtiu o Blog? Registre aqui!