quinta-feira, 31 de julho de 2014

Diário de Oracão 25º Dia - Aprendendo a conhecer as pessoas

Tenho sede de Tuas águas
Nela encontro paz em meio a tribulação
Enquanto Te adoramos, enche este lugar
Rio que jorra do Teu trono sem cessar
            Nenhum de nós conhecemos alguém até caminhar junto. Quando você conhece uma pessoa você pode ter as primeiras impressões e assim fazer um “pré julgamento” de como ela deve ser. Porém assim como um iceberg, você conhece só sua superfície, e não a profundidade de quem ela é.
            É como numa empresa que precisa dar o resultado esperado. Para isto, cada funcionário tem uma meta que juntos, uma vez alcançada, dão o resultado que a empresa espera. Mas, e quando o resultado não chega? O que acontece com o funcionário? (E você deve estar se perguntando: o que isto tem a ver com nosso tema?)
Ele esta ali, segue todo o “script”, todo o protocolo da empresa, trabalha bastante, aparentemente está sempre envolvido, mas mesmo assim, parece que algo na vida dele não está certo. Algo nãao vai bem e isto, visivelmente, aparece na sua performance. Fica claro que alguma coisa precisa ser feita do contrário, ele não ficará mais naquela empresa.
            Conhece-lo artificialmente não resolve os problemas internos.  É como um iceberg. Você pode ver uma ponta dele, mas toda a estrutura está no fundo, no seu interior. (No mundo dos negócios, RH, isso se chama “Teoria do Iceberg”*) 
               O mesmo ocorre com as pessoas e o mesmo é valido para uma igreja.
            Se quisermos evitar ou solucionar conflitos precisamos conhecer as pessoas que convivem e caminham conosco, precisamos conhecer a história delas. Suas necessidades, fracassos, sonhos e anseios que as tornam nas pessoas que são hoje. Focando nas suas necessidades, não perdendo de vista o todo, o reino de Deus, o sucesso vem muito mais rápido. Sucesso no relacionamento. Sucesso no alvo a ser alcançado. Isto, é praticar Filipenses 2.4:
Cada um cuide, não somente dos seus interesses, mas também dos interesses dos outros.”
            Não é cuidar da vida do outro para fofocar. É ver onde podemos ser úteis na vida daquela pessoa para praticar o versículo 3:
“Nada façam por ambição egoísta ou por vaidade, mas humildemente considerem os outros superiores a vocês mesmos”.
            Uma mudança é sempre um desafio. Nos tira da zona de conforto, mas um ato preciso se quisermos melhorar. No entanto, a mudança começa primeiro em nós e se você é líder, tem que começar por você. Tem que haver transformação de de “dentro para fora”, que na teoria do iceberg quer dizer:
·      Confiabilidade: Entregue o que você promete
·      Aceitação: Valorize as pessoas ao seu redor pelo que elas sao
·      Abertura: Compartilhe os seus sentimentos e aceite os sentimentos dos outros
·      Congruência: o que você pensa, sente, diz e faz estão alinhados
            Na teoria do iceberg o que vemos das pessoas são os comportamentos. “Porque, como ele pensa consigo mesmo, assim é;..." (Proverbios 23:7).  Se uma pessoa está ferida, é respondona ou sorridente, tudo faz parte do que está por baixo da linha do “iceberg”, daquilo que não podemos ver, que são os pensamentos e prioridades daquela pessoa, seus limites e suas necessidades atendidas ou não. 

            Conhecer as pessoas não é um “gasto” do seu tempo. É um investimento, e todo investimento tem o seu retorno. Dê tempo ao tempo. Você sabia que o tempo é o único bem que não tem retorno? Jesus investiu seu tempo escolher os improváveis como apóstolos e ensinar tudo o que fosse preciso. E o resultado? Podemos dizer que os apóstolos mudaram o mundo e hoje a Palavra de Deus chegou a nós.
  
Dê uma chance para as pessoas. Aprenda a conhece-las. Saia do seu mundo confortável e faça algo por elas. Há muito o que se observar em uma pessoa e quanto mais entendemos o que acontece com ela, fica mais fácil compreende-la, aprender e caminhar com ela.
Para meditar: Filipenses 2.3-4

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Diário de Oracão 24º Dia - Crente Melindroso

Eu quero nascer do Teu Espírito
Eu quero matar a minha carne
Fazer Tua vontade, doce Espírito
Que a minha vida seja Tua vida,

Jesus..
¶ O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte; e as contendas são como os ferrolhos de um palácio.

Provérbios 18:19


          Como é difícil lidar com pessoas que se ofendem facilmente! Se você já foi uma delas, ofendeu ou foi o ofendido, sabe do que estou falando.

      Podemos fazer de tudo, mas parece que reconquistá-las se torna uma barreira quase intrasponível.  Digo reconquistá-las porque reconquistar é mais difícil que conquistar. Reconquistar significa que vocês já se conhecem, há uma liberdade entre vocês onde cuja confiança se quebrou e as vezes, as coisas ou demorem ou nunca mais voltam a ser as mesmas. Mesmo que tenham se acertado ou havido o perdão.

         Quando nos sentimos ofendidos queremos distancia de quem nos ofendeu. Tem pessoas que lidam com isso de forma mais fácil e a ofensa dura só um tempo. Para outras, uma vida inteira. O coração endurece e queremos que o outro reconheça que errou. Todos nós em algum momento da vida, ainda mais cristã, já passamos por isso, afinal, pessoas são pessoas. Seja como for, só com a ajuda de Deus, aquele que conhece e sonda os corações, é que podemos lidar com este versículo:

" O irmão ofendido resiste mais que uma fortaleza; suas contendas são ferrolhos de um castelo"

Provérbios 18.19

          Este versículo é interessante. Além de ofendida a pessoa contende, é briguenta, implacável, difícil de lidar. Me lembrou o crente melindroso. O dicionário traz a seguinte definição pra ele:

          Melindroso: adj (melindre+oso) 1 Que tem melindre. 2 Escrupuloso. 3 Afetado, efeminado. 4 Isento de malícia; inocente. 5 Delicado, pouco vigoroso. 6 Mimoso. 7 Arriscado, difícil, perigoso.

          Uau. O melindroso é uma pessoa de extremos. Pode ser um inocente ou um perigoso. Já conheceu algum? Aquele que:

- Sente pena de si mesmo
- Não se aceita ou não é uma pessoa resolvida consigo mesma
- Se sente perseguido. Acha que todos estão contra ele, falando mal dele
- Espalha para os outros como ele  foi prejudicado. Semeia contendas
- Sempre é a vítima
- Não aceita estar errado
- Se chateia facilmente
- Se isola quando confrontado
- Tenta chamar atenção ou vive tentando provar ser alguém
- Tem vida amargurada
- Sempre depende dos outros para aprender sobre a palavra de Deus. Nunca busca sozinho. Não procura seu próprio crescimento


          Talvez você não só o conheça como é um crente assim. Deus não está aqui para te culpar e isto quer dizer que, Ele, o Criador, é poderoso para curar as feridas mais profundas que causam esses sentimentos em você. Não é pela nossa força, e sim na força do Senhor, mas cabe a nós deixar Deus entrar na nossa vida e agir. Essa decisã é nossa.

          Deus se importa com você e como Criador, Ele é melhor pessoa para lidar com sua crise. Independentemente do que houve, não vale a pena carregar dentro de si esses sentimentos negativos que como a medicina já comprovou, só fazem mal a você. 

           Você pode ter todos os títulos. Imagine como deve ter sido difícil conquistar cada um deles, eles podem ser sua "fortaleza". Pois bem, a pessoa ofendida é ainda mais difícil de se conquistar e a melhor forma de lidar com ela, é saber porque ela age como age. Mas ainda assim, melhor do que ter (bens e tudo o que você quiser) é ser. Mas ser o quê?:

"Melhor o longânimo do que o herói da guerra, e o que domina o seu espírito [que tem domínio próprio], do que o que toma uma cidade"
Provérbios 16.32 (grifo meu)

           A solução para todas as causas, seja de ofensor como ofendido podemos encontrar em Gálatas 5: 

" Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio"

          O crente melindroso vive pelas obras da carne e a palavra de Deus diz que quem vive por elas morrerá (Rm 8.13). O crente nascido do Espírito vive pelo fruto do Espírito e na vida dele não há espaço para brigas, contendas, ou qualquer coisa assim. O crente cheio do Espírito Santo tem domínio próprio, usa sua boca para edificar, resiste ao diabo e o diabo foge dele.

          É assim que deve ser.

Para meditar:  Provérbios 18.19 / Gálatas 5.16-25 / Romanos 8 / Hebreus 5.12

¶ O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte; e as contendas são como os ferrolhos de um palácio.

Provérbios 18:19
¶ O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte; e as contendas são como os ferrolhos de um palácio.

Provérbios 18:19
Prover
¶ O irmão ofendido é mais difícil de conquistar do que uma cidade forte; e as contendas são como os ferrolhos de um palácio.

Provérbios 18:19

terça-feira, 29 de julho de 2014

Diário de Oracão 23º Dia - O que importa é o final das coisas


O vento toca o meu rosto
me lembrando que o tempo vai com ele
levando em suas asas os meus dias,
desta vida passageira

Entrega teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará
Salmos 37.5
Para alguém que sofreu dentro da igreja, acredito que quando chega o tempo de mudar de lugar (templo), isto se torna talvez um dos passos mais difíceis de se dar. Não é simplesmente mudar. São seus anos dedicados, lembranças que ficarão, sonhos que aparentemente foram embora junto com o vento.
Não encare isto como um peso ou culpa. Se sente que errou, há um Deus que se importa com você, com seu futuro. Nunca é tarde para viver o que diz a palavra de Deus:
Confia no Senhor de todo o teu coração e nao te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas
Provérbios 3.5-6
Se erramos, podemos entregar e confiar nossas vidas ao Senhor. Ele nos ajudará e corrigirá nossos caminhos.
Se você entende que seu tempo em um lugar chegou, esteja na direção do Senhor e sem medo, confie no agir dele sobre sua vida. A palavra final sobre você é do Senhor e de mais ninguém.  
Muitas vezes se decidimos ir para um lugar novo, o sentimento de culpa pode querer nos acompanhar. Se não sabemos quem somos em Deus ficaremos preocupados com “o que as pessoas vao dizer ao meu respeito”. Viver em função disso é loucura. Não tem jeito, podemos passar 100 anos nos dedicando a alguma coisa, se você errou no mês passado, por menor que seja o erro, é por ele que seremos lembrados. Mas diante do Senhor, prestaremos contas de todos os nossos atos.
Portanto, faz muito sentido o que esta escrito em Eclesiastes:
Melhor é o fim das coisas do que o princípio delas; melhor é o paciente de espírito do que o altivo de espírito
Eclesiastes 7:8
Por isto é tão importante não desistir; de levantar a cabeça e seguir em frente.  Deixe Deus orgulhoso de você. Se você caiu, então levante-se e fique em pé. Não deixe essa lembrança para você mesmo, mas deixe uma lembrança de sua vida firme nos caminhos do Senhor.


Para meditar: Eclesiastes 7 / Salmos 37 / Salmos 39.6 / Provérbios 3 / II Corintios 5.10 / Jó 7.7 / Salmos 103.14-16

segunda-feira, 28 de julho de 2014

Diário de Oracão 22º Dia - Repare seu erro


Não posso brincar, brincar de ser juiz
Não posso julgar, melhor ser aprendiz
O meu dever é ajudar aquele que caiu
É fechar os olhos e orar por quem não viu
O perigo, profundo abismo


Senhor, resolvo dar aos pobres a metade dos meus bens; e, se nalguma coisa tenho defraudado alguém, restituo quatro vezes mais”
Lucas 19.8
Na bíblia há uma história muito interessante sobre Zaqueu. Ele era rico, cobrador de impostos  e que subiu em cima de uma árvore para ver Jesus. Após ter um encontro genuíno com Jesus, algo que mudou sua vida completamente, Zaqueu se viu na obrigação de reparar o seu erro com as pessoas que talvez ele tivesse prejudicado.  Não bastava apenas se acertar, ele tinha que fazer algo mais por elas. Talvez porque Jesus tinha feito algo mais por ele também.
Um outro personagem também nos ensina muito. Filemon.  Ele foi alguém que, assim como Zaqueu, teve um encontro com Cristo. Se tornou servo de Deus e tinha um escravo, Onésimo que estava fugitivo. No meio de sua fuga, Onesimo conhece o apóstolo Paulo e também se converte e de escravo passa a ser irmão em Cristo. Agora, ele precisa fazer seu acerto de contas, mas o medo toma conta de sua vida, afinal as consequências de uma fuga eram terríveis: ele poderia morrer apedrejado publicamente. Paulo o envia de volta a Filemon crendo na bondade dele para receber Onesimo nao mais como escravo, mas como irmão em Cristo.
Em ambos os casos, Zaqueu e Onesimo, o reparo com uma outra pessoa só pode ser possível graças ao encontro verdadeiro com Jesus. A vida deles nunca mais foram as mesmas. Zaqueu o rico e Onesimo o escravo eram iguais diante do Senhor Jesus. Ambos precisavam de uma nova vida e uma vez que foram transformados, as pessoas a volta deles também foram impactadas.
Por onde o Salvador passa, algo acontece. A atmosfera muda e em meio a luz, as trevas se dissipam.
          É o que deveria ocorrer conosco quando nos chamamos de cristãos. Esse evangelho de transformação não deveria ser a exceçãoo, mas a regra de se viver.
Reparar o erro nem sempre é fácil. Pessoas que não reparam seu erro por causa de orgulho se tornam rabugentas, rancorosas. Isto é pecado e precisam se arrepender (Atos 8.22,23). Final, o salario do pecado é a morte. Zaqueu poderia continuar vivendo como estava, mas algo faltava, algo em Jesus o atraia que fez com que este rico subisse em cima de uma arvore. Onesimo poderia continua vivendo fugitivo a ter que que voltar para seu senhor e ainda morrer não só na carne mas no espirito. . A vida que viviam não era o suficiente mas eles se permitiram ser transformados. E uma vez transformados, as pessoas em volta deles também foram abençoadas.
            Examine-se a si mesmo. Não viva debaixo de um jugo, do pecado. Repare seu erro e deixe a glória de Deus vir sobre você.
Para meditar: Filemon / Lucas 19.1-10

domingo, 27 de julho de 2014

Diário de Oracão 21º Dia - Casa sobre areia

"Os meus pés estão sobre a rocha, que me sustentará eternamente 
Não vacilarei, sempre te honrarei,
confio em ti e sempre confiarei"

(Fabiano Alves)  

Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e não caiu, porque estava edificada sobre a rocha.
E aquele que ouve estas minhas palavras, e não as cumpre, compará-lo-ei ao homem insensato, que edificou a sua casa sobre a areia; E desceu a chuva, e correram rios, e assopraram ventos, e combateram aquela casa, e caiu, e foi grande a sua queda.
Mateus 7.24-27

            Muitas pessoas constroem sua casa na areia. Elas não sabem disso até que venha a primeira tempestade.
            É aqui que nosso coração é provado sobre onde está firmada nossa fé quando nos ferimos com as pessoas, com a igreja.
            Já parou para pensar numa construção? Os profissionais sabem o que é isso. Quanto maior disposição e recursos, mais bonita se torna a casa, mas, mesmo aquele que nao tem tantos recursos assim, se a sustentação desta casa estava construída sobre a areia, aquela casa que por anos foi projetada, sonhada, num piscar de olhos vem terra abaixo porque estava firmada na areia.
            O problema não eram os recursos, mas onde estava a sustentação de ambas as casas. O mesmo ocorre com a fé cristã. Não importa se você é mais culto, se é um doutor ou se de repente, nem sabe ler, ou não teve a instrução escolar como gostaria; se a sustentação de sua fé tem sido em pessoas, se prepare para o vendaval e para a queda  da sua casa porque ela será inevitável.
            Se você não quer cair, se você quer vencer, construa sua fé na rocha. O Senhor Jesus já havia ensinado por uma parábola que o homem prudente faz assim. Casas construídas na rocha não desmoronam. Vidas firmadas em Cristo, na Rocha, geram dentro de si uma fé inabalável. Se alguma coisa acontecer, saberão que é passageiro e que tudo ficará bem porque sabem a quem recorrer.
            Quem constrói sua casa na rocha a bíblia chama de prudente. Pessoas prudentes analisam o terreno, analisam as possibilidades e com inteligência fixam sua morada:

Com a sabedoria se edifica a casa, e com a inteligência ela se firma”.

Provérbios 24.3


Para meditar: Efésios 6 / Mateus 7.24-27

sábado, 26 de julho de 2014

Diário de Oracão 20º Dia - Estamos em guerra


-->Verta o balsamo
E a ferida sarará
Protege-o com o teu manto de amor
O pão partiremos sim
Descanso lhes dará
E toda angustia sairá
Não deixe fiéis soldados feridos morrer

Você já assistiu algum filme de guerra? Particularmente não sou muito fã e por isso não consigo assistir a muitos. Choro em todos. A guerra é muito deprimente, dramática e real.  Ela deixa marcas, cicatrizes.
Ali os soldados vivem seus conflitos longe de famílias, se sentem sozinhos e na esperança de um amanhã melhor. Precisam estar atentos o tempo todo, de vigia, guardando o território e a vida uns dos outros. Os soldados sabem que podem ser surpreendidos a qualquer momento por uma bomba e sabem que podem morrer. Mas eles também sabem que a volta para casa é um prêmio e lutam para sobreviver. Enquanto isso, eu torço que pelo amor de Deus o filme tenha um final feliz com todos os soldados vivos e inteiros até o fim.
Mas um cenário de guerra tem muito a nos ensinar. Na minha mente fértil comecei a imaginar que todos nós somos soldados e estamos em guerra. Somos parte de um grande exercito, o do Senhor dos Exércitos. Até que Ele venha há uma causa pela qual lutar: guardar e sarar os soldados que estão perto da gente.
Vivemos nossas vidas trabalhando, estudando, se relacionando com pessoas e enquanto isso, Deus dá sua ordem de comando aos seus anjos a nosso respeito, para que nos guardem. Os anjos de Deus nos guardam, mas os anjos caídos, demônios, estão a espreita aguardando alguma brecha, alguma oportunidade, alguma falha da nossa parte para entrarem em ação e destruir tudo o que for possível, como um tsnunami avassalador.
            A bíblia diz que nossa luta não é contra a carne e o sangue. É uma guerra invisível mas real. Não são as pessoas. Sua luta não é contra as pessoas que você conhece, que feriram você. Precisamos enxergar além, afinal, somos bem mais espertos do que pensamos. Deus nos fez assim! Vivemos por fé e não por vista, pelo menos, os filhos de Deus. Sendo assim, sua luta é mais séria, mais profunda. Sua luta é espiritual e para vencer, vai demandar de você mais fé e mais preparo, usando a armadura de Deus para os dias maus que fomos alertados que viriam:
Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.
Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça;
E calçados os pés na preparação do evangelho da paz;
Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.
Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;
Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos,

Efésios 6:13-18
            Como um grande exército há outros soldados lutando a mesma luta conosco. Todos querem ir para o céu, o lugar de descanso preparado por Deus. Dessa forma, a irmandade, os relacionamentos que criamos aqui com nossos irmãos devem ser defendidos a todo custo, com toda a nossa força para honrar o sacrifício do nosso maior comandante, Cristo. Não podemos deixar os outros soldados para trás. Juntos, fazemos muito mais e mais forte do que faríamos sozinhos. Juntos podemos ganhar a guerra. Juntos, temos com quem celebrar. Juntos é mais gostoso sorrir a vitória.
            Mas há soldados no meio de caminho que estão sendo deixados para trás. Estão feridos e precisam de médicos. As bombas, os misseis vem de todos os lados. Alguns estão bem, mas outros foram atingidos. Soldados do nosso exercito precisam ser curados para que todos juntos, completemos a missão designada e possamos voltar para aqueles que amamos; possamos voltar pra casa.
            Imagine este cenário acontecendo agora mesmo. Você pode ser o soldado que está bem, mas pode ser o soldado ferido também.
            É mais fácil achar que o nosso problema é maior do que o do outro, quando não criamos uma proporção maior do que o que é de fato. Não que o seu problema não seja sério, mas há outros soldados que precisam de você. Não é hora de se melindrar. É tempo de pegar a força que nos resta e fazer algo de valor: deixarmos de ser o centro das atenções, o centro do “problema” e ajudar nosso irmão a se curar.
            Não se engane, para Deus todo mundo é recuperável. Olhe para você. Agora, olhe agora para quem você vai resgatar.  
Para meditar: Efésios 6

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Porque decidi tornar "pública" minhas músicas

          Olá pessoal

          Sei que estamos no nosso diário, porém eu queria comentar algo bem particular sobre mim que talvez vocês não saibam. Talvez nada a ver. Talvez tudo a ver. Pode ser que sirva de cura pra você ou que te inspire e te anime na sua caminhada com Deus. Quero compartilhar pra edificar sua fé.

          Desde adolescente, escrevia músicas. Algumas sem sentido nenhum, outras românticas, outras poéticas. De qualquer forma, anotava tudo no meu caderno meio cor de rosa para não perder nenhum registro das minhas idéias. Eu até fiz uma musiquinha quando criança que dizia algo sobre "capsula espacial" (Era na época que eu queria ser astronauta..rs), era ridícula, mas era a minha música rs.
          Quando eu era mais jovem também eu era uma pessoa que morria de vergonha de tudo, inclusive dos meus dons. Por muitos anos ministrei louvor na igreja, que quer dizer, conduzir a música em adoração a Deus. Se você nunca foi a uma igreja, isto quer dizer que eu ajudava as pessoas, através da música a se conectarem com Deus. Isto é um presente, um privilégio na verdade, porém, todas as vezes que eu tinha que fazer isso era bem difícil porque eu me via com vergonha de todas aquelas pessoas. O medo nos impede de alcançar voos mais altos.

          Apesar da timidez era maravilhoso saber que Deus estava visitando sua casa e sendo entronizado, recebido pelo seu povo, mas as vezes pensava, "e fora dessa casa?"Como seria se Deus fosse entronizado, recebido por aqueles que estão fora dessas 4 paredes"? 

          Fiquei muitos anos com minhas músicas escondidas, mas ainda assim ministrando louvor. Pessoalmente acredito que Deus não coloca desejos no nosso coração por acaso. Existe um propósito maior pelo simples fato de amar o que amamos fazer. Hoje eu amo escrever tanto quanto amo cantar. Em tudo o que faço coloco mesmo meu coração e tanto no texto como numa melodia, aquilo se torna parte de mim. 

          Assim, um belo dia quando estava doente, resolvi gravar uma música aqui em casa quando estava sozinha. Lembro que coloquei no youtube, pensando "Meu Deus este é o maior mico que jea paguei.  E agora, o que vai acontecer?"

         Um dia, uma pessoa que nem era cristã e que sofria de depressão ouviu uma gravação minha e respondeu dizendo o quanto tinha sido abençoada. Só isso. Simples assim.

             Músicas marcam estações, épocas da nossa vida.

          Pensei o quanto era egoísta e guardava tantas coisa boas só pra mim, ou entre "4 paredes". Deus estava fazendo tantas coisas por mim e porque eu não expressava mais através do dom que ele me deu? Seria mais fácil continuar retendo tudo para mim. Seria mais fácil ninguém mais saber a poesia dentro do meu coração, ainda pecador. Seria mais fácil não fazer conhecido o nome de Jesus, único nome pelo qual a gente pode ser salvo. Mas isto não faria de mim uma cristã, que quer dizer, "pequeno Cristo".

          Isso me animou a fazer outras gravações e outras composições, na verdade, estou só começando. É animador saber que minha voz pode ir a lugares que jamais irei. É animador também saber que alguém pode me ouvir cantar em momentos que precise de mais fé. Eu também já precisei ter minha fé renovada tantas vezes, bastando apenas ouvir uma canção.

             Músicas são sementes aguardando um terreno fértil.


          Não sou cantora e nem vivo em plataformas. Não tenho um CD ou videoclipes. Não sou  "super crente" ou "a mais legal que poderia ser". Sou bem enjoada, chata e quer saber? intragável quando quero. O Renato meu marido saber! Erro muito e por isso tento sempre fazer algo certo, que Deus possa dar um sorrisinho pra mim. Tento, mas não dizer que consigo sempre. Sou a típica pessoa discreta, ora tímida, ora falante que morria de vergonha de um público, apesar de amar cantar. Não sou a mais afinada, aliás, eu detestava me ouvir. Pensava: "Por Deus, que trabalho horrível eu fiz". Mas quer saber, honestamente no decorrer dos anos eu acho que melhorei e diferente da gente, Deus não fica nada impressionado com performances, mas com o coracão. Salmos 139 tem que ser diário em mim: "Vê se há em mim algum caminho mal e me guia no caminho eterno". Enfim, minhas múscias não são as músicas mais lindas do mundo, as mais afinadas e nem as melhores composições para muitas pessoas. Mas o suficiente para que saibam em quem colocar sua fé em momentos difíceis.

         Se quiser ouvir meus "experimentos"..rs, no link abaixo, há todas as músicas que lembro que gravei aqui em casa quando um filme passava em minha cabeça sobre minha vida com Deus. Tem 22 músicas lá e sempre tento gravar quando estou absolutamente sozinha em casa, aqui na sala, naquele momento que é só você e Deus mesmo. Não sinto vergonha de cantar quando a platéia é de um só :)

         Acho que ficou um bom trabalho :)

        Jesus pagou um alto preço para nos salvar, então não é justo eu não falar suas maravilhas. Particularmente sou uma defensora de novos talentos. Acho que devemos apoiar e incentivar a execução de todo talento. Tudo começa com uma idéia e é a partir dela que Deus pode fazer a obra na vida de alguém. Não devemos desperdiçar também os pequenos começos pois somos ferramentas e Deus o grande mestre. Ele fará o que é preciso fazer! Pelo tanto que ele faz por nós, você e eu temos que mostrar ao mundo que há uma luz, uma esperança. Todos nós nascemos com uma missão, um dom. Use-o para fazer a diferença, para fazer um mundo melhor e para mostrar a todos que o Salvador ainda vive!

https://soundcloud.com/jacksantossales/sets


Diário de Oracão 19º Dia - Decida sarar suas feridas

Diga para os abatidos, não percam a fé
Poderoso é o teu Senhor quando clama Seu nome
Ele então virá.
Ele vem pra te salvar...
Quando estamos feridos, focamos nos erros que as pessoas cometeram conosco. Somos tão duros com os outros e tolerantes com nós mesmos: “Por que ninguém acredita no meu potencial?”. “Por que fui atacado desse jeito?”. “Por que sou tão incompreendido?” e outros tantos porquês...
Esses momentos testam nossa fé, em quem cremos verdadeiramente. Não havia me sentido tão testada até passar por isso. Tantas perguntas vieram à minha cabeça: “Por que isso?”. “O que fiz para passar por isso?”. “Meu Deus, o que falam sobre mim é uma mentira”. “Será que o Senhor me ama mesmo assim”?
Às vezes, sinto que queremos um evangelho sem Jesus, porque se quiséssemos Jesus seguiríamos Suas pisaduras. Queremos uma coroa de glória sem passar pela de espinhos. Jesus não veio para ser bajulado, para ser o “coitado”. Ele veio com um propósito de obedecer a Seu Pai. De nos reconciliar com Deus sem receber nada em troca, somente por amor. Se quisermos ser como Jesus, seremos feridos também, caluniados, teremos um fardo para carregar e amar as pessoas que erram conosco. Mas nem dá para imaginar também o galardão que Deus nos dará!
Essa experiência que tive foi uma das mais dolorosas que já passei como cristã. Doei tempo, finais de semana, me dediquei aos outros, mas também aprendi que à medida que os relacionamentos se aprofundam, conheço mais aqueles que estão ao meu lado. Não é assim dentro de nossa casa ou quando nos casamos? Há amor, porém, às vezes nos estranhamos e nada caminha bem até que fiquemos “de bem” outra vez. Relacionamentos são assim, precisam ser cultivados ou de repente vamos olhar para o lado e ver que quem andava conosco, não há mais nada em comum para compartilhar. Seria como um casal sem diálogo, vivendo como dois estranhos sob o mesmo teto.
Quando decidi obedecer a Deus e me curar Nele, me senti feliz, renovada, mais leve, e voltei a sonhar. Aquilo veio, mas passou, e garanto que se você estiver passando por isso e entregar toda a sua dor a Deus, essa fase também vai passar para você. Não vale a pena dar lugar ao rancor e se desviar. Não vale a pena por nada!  O rancor deixa as pessoas infelizes, doentes, e elas passam a reclamar de tudo. Elas perdem a beleza da vida, esse dom tão bonito de Deus.
Vale a pena deixar o orgulho de lado para ver Deus agir. O Senhor pode mudar a circunstância que um dia o feriu, mas o primeiro passo rumo a essa mudança depende de você. Certa vez, uma criança disse assim: “Mãe, é verdade que fulano não vai mais a igreja por causa de sicrano?" A mãe disse: “Sim, é verdade”. Então, a criança perguntou: “Mas o que Deus tem a ver com isso?”.
Eu vou a casa do Senhor desde 1995 e já vi muita coisa acontecer comigo e com outros. Já passei por poucas igrejas de denominações diferentes que respeito profundamente e que me ajudou a ver as coisas um pouco diferentes se eu tivesse permanecido na mesma desde minha adolescência. Nestes anos todos vi muitas pessoas desistirem e outras permanecerem firmes. Eu poderia ter desistido também e ter escolhido uma outra vida pra mim. Mas ainda sim sempre me animo quando lembro do salmista nos convidando a adorar nos Salmos 122 e digo pra você, valeu a pena todos esses anos indo a Casa do Senhor. Em alguns momentos confesso que posso não ter servido ao Senhor com alegria como eu gostaria, mas ainda sim posso me lembrar que a alegria do Senhor é minha força e é na força Dele que consigo caminhar até hoje!
Deus é fiel a todo o tempo. Eu sentia Ele me dizendo: “Você tem uma esperança. Você tem a mim”. Se você estiver passando por isso, seja por uma decepção, uma luta dentro do seu ministério, uma ferida na alma, entre outras situações, decida mudar. Decida por Jesus, hoje. Decida se curar. Decida se reconciliar e ajudar outros a fazerem o mesmo.

Para meditar: Provérbios 3 / Salmos 95 / Neemias 8.10

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Diário de Oracão 18º Dia - Feridos na igreja

Espírito Santo, ore por mim
Leve pra Deus tudo aquilo que eu preciso
Espírito Santo, use as palavras
Que eu necessito usar, mas não consigo
Me ajude nas minhas fraquezas
Não sei como devo pedir
Espírito Santo, vem interceder por mim
O Senhor será também um alto refúgio para o oprimido; um alto refúgio em tempos de angústia
 Salmos 9:9
Assim talvez como você eu também já fui provada nesta área e demorou muito tempo até que houvesse completa restauração na minha vida.
Acredito que todo mundo que frequenta uma igreja ou já a frequentou, em algum momento se decepcionou com as pessoas. E isto acontece mesmo! Quem sabe você pode até se identificar com o que vou dizer. Sei que nem todos gostarão dessa mensagem porque o confronto sempre dói. Pelo menos doeu em mim, mas também sei que Deus corrige a quem ama. Cada um sabe do nível de profundidade de sua ferida, mas se quisermos prosseguir na nossa jornada cristã, em uma vida eterna com Deus começando aqui na terra, precisamos nos voltar para sua Palavra e sermos curados.
É terrível como o coração doente pode contaminar outros saudáveis de todas as formas possíveis: facebook, fofocas ou pelo contrário, pelo isolamento das pessoas, da vida. Mas Deus quer nos sarar, Deus quer fazer algo novo e deixar que nossos próprios olhos vejam sua novidade de vida para nós. Lembro-me que congreguei em uma igreja por um longo tempo. Nessa igreja tive muitos momentos bons, mas muitos ruins também. Planejava ficar lá para sempre e quem sabe, se eu tivesse filhos, que eles fossem amigos dos meus “amigos”. Tinha muitos sonhos e criei todo um futuro cor-de-rosa, uma vida futura para mim nessa igreja.
Entretanto, descobri que nem todos eram meus amigos. Vi-me como Davi em Salmos 41.9. Infelizmente, a consideração que tinha pelas pessoas não era recíproca. Claro que não eram todos, haviam pessoas especiais que eu queria estar ao lado para sempre e que sei que me amavam. Estava tão ferida que me sentia a única vítima. Fiz tantas perguntas para Deus, vivia num conflito sem fim, argumentava tudo o que podia até que decidi sair de lá por um tempo para me curar e viver a vontade de Deus. Imagine, como viver a vontade de Deus se eu estava resistente ao que Ele queria me ensinar? Parecia loucura, mas enfim, eu só queria entender o que estava acontecendo, mas Deus queria algo mais: sarar minha ferida.
Saí daquela igreja e passei a frequentar outra, onde fiquei tempo suficiente para perceber que Deus estava sendo bom comigo, me abençoando com pessoas maravilhosas que gostavam de mim, que se preocupavam comigo, que acreditavam em mim. Mas o tempo foi passando e chegou a hora de voltar. Esse pensamento “maluco” me perseguiu por longo tempo, até que não encontrei outro jeito a não ser voltar, acertar com quem  fosse preciso para prosseguir e sonhar de novo as coisas de Deus para mim.
Nesse doloroso processo, Deus me ensinou algumas coisas:
- Prestaremos contas das nossas obras para Deus, sejam elas boas ou não, e isso inclui quem nos feriu e também nós.
- Eu não precisava viver com medo do passado. Não é por que as coisas não foram como planejei que tudo estava acabado. Deus é soberano e a palavra final sobre minha vida não vem dos homens, vem Dele. Ele é meu futuro.
- Melhor é o final das coisas do que o princípio (Ec 7.8). Devo me preocupar em como tudo termina, porque essa é a lembrança que ficará.
- Deus resiste ao orgulhoso, porque é pecado, e o pecado nos separa de Deus. Seja humilde, reconheça onde você errou e Deus dará sua graça (Tiago 4.6).
- Ser grato com todos, afinal, quando precisei, as pessoas estavam ali para me ajudar. O que fizeram pelo meu bem, nem que seja só uma oração por mim, não deve ser esquecida.
- Desejar a reconciliação. Orava sempre pedindo uma oportunidade para me acertar com as pessoas que eu me sentia em falta.  Desejava tanto isto que não importava mais nada em minha vida a não ser este momento. Essa experiência trouxe para mim um verdadeiro arrependimento que não me recordo de ter tido outras vezes. Arrependimento pelo tempo que perdi por achar que estava certa, por Deus ter ficado triste com aquela situação tanto quanto eu. Não vale a pena viver o peso da decepção. Não vale a pena levar tudo sobre si, se temos Jesus, aquele que tem um fardo mais leve para nos dar.
Naquela época eu sentia que Deus não se importava comigo. Mas Ele me amava e ama, como também amava e ama aquelas pessoas, mesmo sendo falhos, Ele nos ama. Ele me fez,  permitiu aquela circunstância para me ensinar que as pessoas falham e que Ele continua sendo Deus. Deus me ensinou para onde devo levantar meus olhos, quando me decepcionar. A igreja não é um local de santos e sim pecadores que se juntam para buscar a Deus. Tornamos-nos santos pelo que Jesus fez, não pelo que fazemos na nossa força.
A igreja é feita de pessoas e assim como os outros falham, nós também falhamos. Também tenho minhas manias, erros, e preciso buscar melhorar, ser uma pessoa melhor. Não posso exigir do outro o que não posso dar. O texto de Mateus 5.24 diz sobre a importância da reconciliação. Se eu quero a bênção do Senhor sobre mim, tenho que me acertar com meu irmão. Por mais doloroso que seja, é melhor obedecer à Palavra do que viver uma vida infeliz e no engano, se convencendo de que tudo está bem.
Deus falou ainda ao meu coração sobre a passagem: “Vá e volte onde caiu e se arrependa” (Ap 2.5). Lembro que quando pensei em voltar, o primeiro pensamento que tive foi:  “E se eu me ferir de novo?”; “O que as pessoas vão pensar de mim?”. O diabo sempre vai jogar sujo para impedir que você obedeça a Deus. Aprendi que devo olhar para as pessoas como Deus olharia. Deus acredita em nós, em quem podemos ser Nele. Ele sabe que vamos falhar, mas ainda escolhe nos amar. A bênção está onde há comunhão (Salmos 133). Quando temos a comunhão, a unção de Deus flui da cabeça aos pés. Nossa vida flui. Na comunhão o Senhor ordena a bênção e a vida para sempre.
Nenhuma literatura, mídia, ritual, remédio, por melhor que seja, vai curar a sua dor. Esse poder Deus deixou somente na Sua palavra e na oração que você faz a Ele. Não podemos mudar as pessoas. Mas podemos buscar aquele que pode e se o Senhor fez uma obra em mim também fará em você se você quiser. Aquilo que nos uniu na fé, deve ser maior do que aquilo que nos separa.
Para meditar: Salmos 41 / Romanos 8 / Salmos 121

Curtiu o Blog? Registre aqui!