quarta-feira, 15 de junho de 2011

15º. Dia – A maior prioridade


“...governe bem a própria casa, criando os filhos sob diligência, com todo o respeito (pois, se alguém não sabe governar a sua casa, como cuidará da igreja de Deus)” – 
I Timóteo 3.4
Sempre acreditei que uma família forte é uma igreja forte mas nem sempre o contrário é verdade. Você pode ter uma família toda convertida que faz parte de uma igreja forte ou, você tem uma família abençoada que faz parte de uma igreja em crise. Ou você pode ser como eu: única convertida num lar que,embora havia muito amor, foi marcado por constantes brigas e alcoolismo, e ainda assim, eu, era parte de uma igreja abençoada também.
A palavra chave não é a igreja mas a família. Estrutura familiar não é só morar com pai e mãe, ou ser legalmente casado e morar ambos debaixo do mesmo teto. Estrutura familiar tem tudo a ver com todos apoiarem uns aos outros e estarem na mesma visão.
A igreja não é o templo, a construção, mas trata-se de você e eu e mais um monte de pecadores que se reúnem para adorar a Deus. É uma questão de corações devotos a Deus que fazem de nós uma igreja forte.
Muitas vezes mudamos a ordem das coisas de modo que a família fica ferida e isso infelizmente é comum. Amamos a Deus e sua casa, e por isso amamos fazer sua obra, mas aquilo que fazemos para Deus, o ministério que Ele nos chama para cooperarmos, este ministério não é Deus. Deus é o que nos chama e nos capacita para exercermos uma função no ministério e a família é o plano que Deus construiu para que tudo aconteça com perfeição e equilíbrio.
A família fica comprometida quando colocamos o ministério acima dela ou pior ainda, quando fazemos do ministério o nosso Deus. Para descobrir se algo está errado observe como está sua família. Renato e eu sempre conversamos sobre isto e esta visão que Deus tem mostrado pra nós, tem funcionado até agora. Eu pessoalmente creio que, se Deus quisesse que a ordem fosse essa: Deus – ministério – família (família por último), Ele tinha feito Adão, tinha colocado Adão para trabalhar, Adão seria feliz cuidando da criação e não precisaria de Eva. Cultivar a terra já seria o suficiente para Adão! O próprio Deus viu que, trabalhar não era o suficiente para Adão pois, este ainda sim estava sozinho e isso, aos olhos de Deus, não era bom. Ele precisava de alguém que o ajudasse.
É importante você e seu cônjuge ou futuro cônjuge observar  como cada um de vocês priorizam a família e a vida com Deus. É importante vocês terem a mesma visão e as mesmas prioridades pois isto fará o novo lar de vocês.
Conheço pessoas que dedicam suas vidas mais a igreja do que a família, porém, de comum acordo com seus filhos e cônjuge. Quando a família apóia eu creio que a bençao de Deus vem. Entretanto, minha experiência foi bastante diferente.
Na minha vontade de servir a Deus, eu ficava “cega” pela igreja. Eu amava estar na casa do Senhor, as pessoas, e não percebia como os meus pais sentiam falta de mim. Nosso relacionamento estava se deteriorando, ficando cada vez mais distante, totalmente comprometido e eu nem me importava com isso. Eu achava que se eu não estivesse 200% na igreja Deus não iria me abençoar. Eu não era uma má filha, respeitava os meus pais mas eu ficava cada vez mais ausente. Eu só fui entender mesmo quando me casei e para a glória de Deus, meu relacionamento com eles é uma benção. Meus pais tem tido o coração mais aberto e o evangelho tem chegado mais facilmente até eles. Deus tem restaurado e hoje nosso relacionamento é bem mais aberto. Valorizo, aprecio muito mais a companhia dos meus pais e do meu irmão sempre que estamos juntos mas foi difícil entender a verdadeira ordem as coisas, mas graças a Deus não foi tarde demais. Certamente, este é um erro que não quero cometer novamente principalmente agora, na minha própria família. Não quero nunca ser alguém ausente na minha família outra vez.
Deus quer famílias saudáveis, fortes, para ter uma igreja forte. Se na sua casa está faltando este equilíbrio, ore e peça para o Senhor te mostrar o que fazer. Analise seu relacionamento com as pessoas que vivem com você ou que estão ao seu redor. Elas são influenciadas pelo evangelho que você vive? Se você não tem conseguido influenciar seus parentes, seus familiares mas sem sido um ótimo “cristão” na sua igreja, talvez seja hora de se reavaliar.

Para meditar: I Timóteo 3, Efésios 6.1-4, Colossenses 3.18-23, I Coríntios 7
Canção de oração: Família – Aline Barros

Curtiu o Blog? Registre aqui!