segunda-feira, 7 de junho de 2010

Diario de oração: 7º dia – Loiro, alto e de olhos azuis – Parte II

Pois é irmãos, ainda tem mais..rs

Já tive também a infelicidade de “conhecer” um “Loiro, alto e de olhos azuis” pela internet. Teve gente que falou pra mim “nossa Jack, você está desesperada mesmo pra procurar namorado até pela internet”..rs. Eu pensava assim: “não tenho nada a perder mesmo. Vou tentar pra ver no que dá” (Olha a dor de cabeça que arrumei...)

Eu tinha conhecido uma jovem cristã que conheceu seu esposo pela internet e ambos são missionários. Pensei que, se deu certo para ela, poderia dar certo pra mim também (só esqueci de que Deus trabalha com cada um de forma diferente). Eu tinha me cadastrado num site e não aparecia ninguém interessante (bonito, eu quero dizer, como se eu não tivesse aprendido a lição anterior). Entrei numa sala de bate papo e comecei uma conversa bem legal com um rapaz, que não era cristão.

Naquela história de conversa vai e conversa vem, trocamos nossas fotos. Ele não era só lindo. Era era linnddoooooo mesmo. Pronto, caí nas graças do bonitão da internet.

Irmãos, essa época foi bem engraçada. Eu estava tão carente, o Senhor queria tanto me curar mas eu não dava lugar. Procurava suprir minha carência de qualquer forma, e em qualquer lugar que fosse; mesmo que na internet.

Esse rapaz e eu nos tornamos “amigos”. Passava horas na internet, no Skype para conversar com ele. Eu dormia bem pouco porque todo o tempo eu queria falar com ele. Ele dizia que morava em outro Estado e num belo dia, ele disse que viria passar um tempo em SP.

Ele falava comigo pelo Skype e me passou seu celular. A gente conversava HORAS no celular. Ele me ligava todas as manhãs e eu estava perdidamente apaixonada pelo loiro-de-olhos-azuis-da internet-que-parecia-um-modelo-da-revista-Vogue.

Começamos a marcar um dia para nos conhecermos. Só que sempre naquele dia acontecia alguma coisa e não dava pra gente se encontrar. Percebi que ele começou a me enrolar e veio com umas conversas estranhas, como se quisesse se livrar de mim. Enfim, só pra resumir a história, paramos de nos conversar, mas de brinde, minha conta telefônica na época veio uns R$ 400,00 pra pagar (eu pagava em média R$ 80,00 de conta)

Deus deve ter pensado: “Minha filha faz cada uma. Tomara que ela tenha aprendido a lição”.

A aparência realmente nos engana, mas não é esse o atributo que Deus valoriza. Um dia a beleza passará, e só o que realmente importa é o que vai prevalecer. Se Deus tivesse permitido que eu conhecesse esse rapaz, talvez eu não estaria aqui pra testemunhar os livramentos e o poder de Deus na minha vida. Se eu tivesse buscado mais, confiado mais no Senhor naquela época, o Senhor teria me poupado de muitas coisas.

Palavra devocional: Continuação de I Samuel 16

Canção para meditar: - Uma nova história (Fernandinho)

Fernandinho - Uma nova História

Curtiu o Blog? Registre aqui!