domingo, 27 de fevereiro de 2011

Onde está tua fé?

Oi pessoal
Queria mostrar para vocês uma letra de música que conheci há quase 15 anos. Ela me lembra o começo da minha caminhada cristã e foi escrita por uma jovem chamada Vania Gonçalves. Quando ela escreveu esta música, esta foi ensaiada e o grupo de jovens a cantou na igreja. Não sei porque mas hoje eu me lembrei dela inteirinha e espero que assim como falou comigo, fale com você também. 


Onde está tua fé
Sou Deus e falo contigo
Muitas lutas lhe vem
Pois provo os meu ungidos
Quero fazer-te um vaso de honra
Quero fazer-te um vaso de honra
Pra isto eu te escolhi.

Refrão

Não te escondas, não fujas de mim
Mostre o teu lindo sorriso
Onde está tua fé
Mostre agora, não temas
Pois eu estou contigo

Onde está tua fé
Sou Deus e falo contigo
Vem provar tua fé
Levante a bandeira com Cristo
Quero fazer-te um vaso de honra
Quero fazer-te um vaso de honra
Pra isto eu te escolhi.
 
Com amor 
JS

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Areia nos pés

Oi pessoal

                Neste último final de semana estive em Peruíbe, litoral sul de SP. Foi um momento que eu daria tudo pra viver de novo e de novo.
                Como uma grande família estiveram lá também meus pais e meu irmão Dudu (motivo da viagem), meu Renato, o Reinado meu cunhado (para dar seu apoio moral como sempre), minha tia Edite e meu primo Tiago. Tudo por causa da novidade dos meus pais se mudarem para lá, mas a grande novidade para mim foi o meu pai. Sair de casa foi uma vitória pra ele pois ele que não saia há muito, muito tempo. Agora a vitória pra todos nós foi levá-lo junto com sua simpática bengala, para ver o mar depois de 30 anos.
                Momentos simples, que se tornam inesquecíveis. Desde que nasci meu pai não sentia a areia em seus pés!
                Tenho aprendido a aproveitar esses momentos simples ao lado de quem amamos. Foi super legal ver o meu pai lá na praia, sentindo a brisa no rosto ao lado da gente. O que parece uma bobeira, não significar nada, significou tudo para mim. As vezes nos acostumamos tanto com nossa rotina, nossa vida se torna tão mecânica que quando a gente menos espera, perdemos a sensibilidade de viver com alegria as pequenas coisas. Muitas vezes, nos acostumamos com a vida que temos de tal modo que perdemos a alegria de viver.
                Talvez não foi a toa que alguém muito sábio disse que “tem gente que fica cego de tanto ver”.
                Neste fim de semana, mal sobrou tempo até para jogarmos Uno. Nos cansamos bastante fazendo com que meus pais conhecessem melhor a futura cidade deles. O sol escaldante dava uma moleza que nos obrigava vez ou outra a ficarmos estirados na rede entre um gole e outro de café. Quase não fomos ver o mar, mas este espetáculo meu pai não poderia deixar de rever. Valeu todo o esforço!
                A hora de ir embora também foi marcada por beleza no céu. A lua estava tão grande e tão brilhante com nuvens ao seu redor. Estas nuvens estavam tão baixas que ao mesmo tempo que parecia um enorme buraco negro a vista de todos, elas pareciam tocar a terra (Acho que Deus também estava comemorando a visita do meu pai!).
                Por fim, agora tento me lembrar de alguma coisa que deixei de fazer, de curtir, que me trouxe tanta alegria. Será cantar, ler a bíblia, escrever ou fotografar sentindo a areia nos pés enquanto o sol se põe? Vale a pena refletir.
                Ver essas coisas nos ensina que não precisamos esperar por 30 anos para reviver algo tão gostoso. Que esperar tanto tempo não seja uma escolha nossa, mas uma oportunidade de viver o céu aqui na terra e que comece hoje!

Shalom
JS

domingo, 13 de fevereiro de 2011

Sob a tua palavra, farei


                Deus quer trazer uma direção para a nossa vida. A passagem na minha bíblia  em Lucas 5.4-6, tem o título “a pesca maravilhosa” e de fato, tornou-se maravilhosa simplesmente pela presença e ordem de Jesus ao dizer: “lance a sua rede para pescar”.
                Quando Jesus chega, algo novo acontece. Aqui os pescadores estavam cansados, já tinham trabalhado tanto  e imagine, a pesca era o “ganha pão” daqueles caras. Eles simplesmente estavam frustrados.
                A palavra é o que nos direção. Talvez aqueles pescadores estivessem desanimados e nesta condição, eu vejo Jesus dizer: “ok pessoal! Não importa se as redes estão vazias. Lancem as redes e vejam algo impossível”. Simão obedeceu e a pesca maravilhosa aconteceu.
                As vezes, é neste momento de cansaço, de desanimo, de vazio que Deus vem para nos socorrer, para nos animar e gerar aquilo que ainda não existe. Neste momento precisamos estar sensíveis simplesmente para obedecer e dizer “sim” ao que Deus nos manda fazer. É nesta área que Deus quer que você viva o impossível, a começar pelo uso dos seus dons e talentos.
                Simão era um pescador, um profissional! Se tinha alguém que entendia de peixe era ele. Depois de viver essa experiência, Jesus usou a maior habilidade de Simão para chamá-lo para o ministério do evangelho e ser “pescador de homens”. Tudo por causa de uma simples ordem: “vá, lance a sua rede”. Lance sobre Jesus seus medos e ansiedades.
                Será que você tem feito algo que não tem obtido sucesso? Se Deus te der uma direção, obedeça. Observe as suas habilidades. Deus quer usá-las para a expansão do seu reino, mas tudo depende de você.
                Quando você perceber que o Espírito Santo quer falar algo para você, pare, ouça e obedeça. 

Js

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Diga o fraco: “eu sou forte”

"Então ele me disse: A minha graca te basta, porque i oider se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para que sobre mim repouse o poder de Cristo. Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas agústias, por amor de Cristo. Porque, quando sou fraco, então é que sou forte".
II Co 12.9-10

                Outro dia meu líder disse que se tem algum momento na vida que aprendemos alguma coisa, é na tristeza. A tristeza nos faz refletir, nosso coração fica amolecido e ficamos mais sensíveis a tudo ao nosso redor.
                O momento da dor, por mais que a gente não queira passar por ele,nos torna mais fortes. Quando aquele momento vem de novo estamos mais fortes porque já passamos por aquilo. A tristeza, as lutas, trazem amadurecimento para testificarmos na alegria. A forma como lidamos com isso definirá o sabor daquilo que eu conheço como vitória.
                A gente sempre lembra de Prov 15.13 que diz que o coração alegre faz o rosto mais bonito, mas quando ouvi Eclesiástes 7.3 fez todo o sentido pra mim: "porque é com a tristeza do rosto que se faz melhor o coração".
                É inevitável que esses momentos todos nós vamos passar. Quando isto acontecer, quando nos sentirmos fracos espiritualmente, física e emocionalmente, vamos declamar “eu sou forte”. Você não precisa viver amargurado, aborrecido, em conflito com o mundo, com as pessoas. Tenha uma reação diferente, pelo menos tente fazer isto. Deixe a tristeza do seu rosto fazer melhor o seu coração para depois, quando o seu coração estiver alegre, seu rosto ficará ainda mais bnito. Diga o fraco: “eu sou forte”.

Tua alegria em minha vida
Me fortalece a cada novo dia...
(André Valadão)

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Temor ao Senhor

"O temor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é prudência - Pv 9.10

                Temor não é ter medo. É respeitar e honrar a Deus, mas, infelizmente o temor é uma das coisas que mais falta dentro das igrejas.
                Em provérbios aprendemos que o temor é o princípio da sabedoria e o conhecimento do Santo, a prudência. Em Gn 39.1-9, nesta história José tinha a benção de Deus em tudo o que fazia e no momento em que ele se viu tentado, a preocupação dele não era com o esposo daquela mulher, com as conseqüências, José se preocupava em primeiro lugar em não pecar contra Deus.
                Se nós perdermos o temor a Deus temos um grande risco de perdermos Sua presença em nossa vida. Não podemos fechar nossos olhos e achar que “está tudo bem” para tudo. É preciso mensurar se isto ou aquilo, esta ou aquela decisão agrada ao coração de Deus. Isto é temor.
                Tudo o que fizermos, daremos conta dos nossos atos. Pensamos “ninguém tem nada a ver com isto”, mas na verdade, todos tem sim seja para reclamar ou elogiar você. Suas ações são impactos no mundo com conseqüências boas ou ruins. Por isso o temor a Deus é tão importante na nossa vida.
                Tudo o que é feito as escondidas, um dia, virá a tona. Achamos  que Deus está muito longe e que ninguém vai descobrir o que estamos fazendo. A bíblia diz para fugirmos de toda a aparência do mal e se você pensa assim neste momento, você está equivocado porque Deus vê todas as coisas e seus olhos estão em todo lugar. Observe a si mesmo, faça uma auto-análise e veja onde você pode estar em falta. Será que o que falta é mais temor a Deus? Este é o princípio da sabedoria.
                José tinha a liberdade de fazer o que quisesse na casa de Potifar, mas ele mesmo colocou um limite na liberdade que ele tinha. Para José, o limite seria não desagradar a Deus. Já parou para pensar se você tem um limite e qual é o seu?
                Se quisermos ter a benção de Deus nas áreas da nossa vida, precisamos preservar o temor do Senhor. A benção do Senhor nos alcança e também quem estiver próximos de nós.
                Conforme José tinha temor ao Senhor, o Deus foi-lhe acrescentando sabedoria e José se tornou governador do Egito. O Senhor o honrou! Tudo começou com temor e além disso, José agia com prudência pois adquiriu o conhecimento do Santo, isto é, ele conhecia ao Senhor.
                Aonde você quer passar seus dias eternos? Precisamos de mais temor ao Senhor. A falta disso é o que tem deixado na igreja, muitos fracos, doentes e que dormem. Aqueles que temem ao Senhor Ele o honra. Você precisa cair na graça das pessoas para que elas desejem aquilo que você tem. Você precisa ser diferente.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Andando em força, amor e moderação

Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.
II T.m 1.7

O retrato do mundo hoje é de um mundo que vive com medo, sem amor e sem domínio próprio. Deus conta com sua igreja para sermos um modelo diferente do que o mundo vê. Um modelo que vive de acordo com os atributos divino e isto só conseguimos com a ajuda do Espírito Santo. Podemos até os sentir fragilizados, com medo, ou sem amor ou até mesmo dificuldade em dominar a nós mesmos, mas isto não pode ser parte da nossa rotina; este comportamento natural não pode nos escravizar no nosso dia a dia, a nós, filhos de Deus chamados para viver o sobrenatural.
Houve um tempo em que me sentia exatamente assim: estava sozinha, com medo, sem amor (meu coração parecia uma pedra e como eu não dava amor eu também não sentia), fraca e sem domínio próprio (eu vivia explosiva, nervosa, não queria que ninguém se aproximasse de mim e eu queria me vingar de todos aqueles que me deixaram triste). Como eu não podia fazer nada disso, eu me isolava; toda oportunidade que aparecia para eu viajar, passear, lá estava eu para eu não ter que enfrentar meu próprio temperamento. Eu não queria agir sem sabedoria, então eu me isolava de todos. Até que um dia, quando meus pensamentos estavam tão confusos, e eu com vontade de desistir de tudo (eu não estava mais agüentando a luta que eu estava passando), acho que muitos próximos de mim não entendia nada do que estava acontecendo, um dia, essa palavra veio ao meu coração: “Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação”. Quando me vi desesperada, corri para Deus e disse para Ele que, aquela noite em oração, seria a noite da minha vida, seria a noite em que eu testemunharia o milagre Dele na minha vida.
Deus nunca quis que tivéssemos medo! O medo, o complexo de inferioridade e todo sentimento negativo a respeito de nós mesmos, nunca fez parte da natureza divina. Por mais falhos que sejamos, Deus nos criou com um propósito excelente, nos fazendo sua imagem e semelhança.
Deus não quer que sejamos parecidos com ele apenas fisicamente. Mais importante que isso, Deus quer que tenhamos Sua essência, um espírito parte do Espírito Santo. Por isso, ele colocou em nós um espírito de acordo com seus atributos: poder, amor e moderação. Talvez seja por isso que está em sua palavra também que o amor lança fora o medo. Os covardes não tem parte no reino. Deus tem prazer e confia naqueles que não olham para trás.
Imagine um Deus sem força, sem amor e moderação? Sem poder para agir através dos tempos e continuar sendo o mesmo, sem amor para nos amar como somos e como estamos, sem moderação, sem tirar os nossos “excessos”, sem prudência, sem equilíbrio. Imagine um Deus com medo? (Talvez até sem amor, porque se sentimos amor, este lança fora todo o medo (I Jo 4.18)). Dá pra imaginar?. Seria horrível!
Quando olhamos os atributos divinos parece impossível imaginar que podemos ser filhos de Deus. Como pode Deus me chamar de filho dele? Afinal, Deus é tão poderoso e eu só um ser racional, tão mínimo! Graças a este amor divino, hoje podemos ser chamados filhos de Deus, amados do Pai, por isso, não precisamos temer. Muitas situações podem até nos abalar, nos entristecer, nos enfraquecer, mas isto não quer dizer que tenhamos que viver sempre assim, uma vez que Deus nos chama para reagirmos diferentes. Deus quer que andemos em poder, em amor e moderação.
Deus nos capacitou, nos ungiu para ir e fazer além. Jesus mesmo disse que poderíamos fazer obras ainda maiores das que ele fez (Jo 14.12). Isso é andar em poder, na força do Senhor. Deus disse que pelo amor que tivéssemos uns pelos outros é que seriamos conhecidos, isso é andar em amor (Jo 13.34-35). Quando lemos na carta aos Gálatas (cap 5) sobre o fruto do Espírito, somos ensinados a ter “domínio próprio” (Melhor é o que tarda em irar-se do que o poderoso, e o que controla o seu ânimo do que aquele que toma uma cidade.- Prov 16.22). O domínio próprio, reter aquilo que é bom, se conter diante de situações que tiram nossa paz, significa andar com moderação. A moderação faz parte do fruto do Espírito Santo, e foi com essa intenção que Deus colocou este mesmo espírito em nós.
Posso imaginar Deus trazendo essa mensagem ao seu povo em um momento difícil que a igreja deveria estar enfrentando! Seja em que momento for, não podemos desistir. Se você está vivendo uma fase de “só alegria”, guarde esta palavra no seu coração. Se seu momento hoje é de tristeza, guarde esta palavra no seu coração. Em todo o tempo precisamos guardar esta palavra no coração “para não pecar contra ti” (Sl 119.11).

JS

Curtiu o Blog? Registre aqui!