quinta-feira, 16 de junho de 2011

16º. Dia – A difícil arte de confiar

Entrega o teu caminho ao Senhor; confia nele, e ele o fará
Salmos 37.5

            Vamos combinar! Se confiar em Deus fosse fácil ele não precisaria mencionar isso na bíblia várias vezes. Se está lá é porque: 1) Deus quer que a gente leia mais a bíblia 2) entendamos o que é confiar e 3) definitivamente, confiemos Nele. 

            Quando se é criança, não vemos perigo algum em nada, achamos que sempre vai ter alguém pra cuidar da gente. Se o pai fala para o  filho:”se joga em meus braços”, sem medo, o filho assim o faz porque confia na palavra do pai. Eu por exemplo, praticamente nem precisava de pai porque confiava na própria sorte. Diz a lenda (que é minha mãe) que um dia, quando bem pequena, eu subi numa lage bem alta e ameacei pular lá de cima porque eu acreditava piamente que eu era o “super-homem”. Alguém me puxou pelas costas e me salvou e hoje conto história. 

            Confiança é uma decisão. Ou você confia ou não. Não tem “mais ou menos” e se a gente quer a benção de Deus nos seguindo conforme Deuteronômio 28.1, precisamos guardar os seus mandamentos, sua palavra, que também inclui confiar.

        Vivemos no século das doenças. Assim como a medicina avançou para cura de enfermidade, quantas doenças surgiram neste século e que aflige tantas pessoas hoje. A depressão considerada o “o mal do século", faz parte da vida de milhares de pessoas muito provavelmente porque vivemos cada vez mais tensos e ansiosos. Sem dizer no estresse que consequentemente desencandeia uma série de doenças. Nosso corpo expressa aquilo que aflige a nossa alma e ainda sim, parece que procuramos mais facilmente a remédios do que buscar a cura e confiar em Deus. 

            Há algum tempo eu passei por um tratamento de gastrite. Quem já teve sabe como é horrível, você fica privado de comer muitas coisas e toma remédios e faz vários exames. Eu sempre fui muito saudável, nunca gostei de tomar rememédios e meu lema era e ainda é “fiquei doente sem remédio, vou sarar sem ele”, então tratar aquela gastrite era algo novo e muito chato. Eu sempre dizia “a gastrite está em mim mas ela não me pertence” porque eu sempre a rejeitava; eu não ficaria minha vida escravizada aquela coisa horrível. 

            Eu estava passando pelo “ápice” de uma luta, uma situação que não mudava nunca. Eu vivia tensa, triste e isso com certeza desencadeou a gastrite. Depois de alguns meses sentia uma dor de cabeça horrível que parecia uma enxaqueca! Fiquei assim por um mês até que resolvi procurar um neurologista. Novamente, lá vai eu fazer uma tomografia achando que tinha alguma coisa. Super tensa, voltei ao consultório, quando o neurologista me pergunou se eu era uma pessoa calma ou nervosa. Eu disse que nervosa, embora todos achassem que eu era calma. Por eu sempre procurar não estourar, manter sempre a calma, na verdade aquelas emoções dentro de mim estavam me deixando cada vez mais tensa! No exame, graças a Deus não constou nada. Tudo era fruto das emoções. 

Eu creio que Deus estava chamando a minha atenção para orar mais, mas eu estava ocupada demais com a gastrite e com a dor de cabeça. Um dia entendi que eu precisava confiar em Deus, precisava cuidar da minha saúde, aproveitar mais a vida, equilibrar melhor as tantas áreas da minha vida, mas sobretudo, confiar que Deus poderia mudar toda e qualquer situação, afinal, eu sabia que Deus me amava o suficiente para eu saber que Ele não queria que eu tivesse uma gastrite ou coisa assim. Ele queria que eu aprendesse a confiar Nele. 
          Não fique doente no corpo ou na alma. Seja o que estiver passando, confie em Deus. Ainda vale a pena e é bem menos dolorido do que poderia ser. Tem uma história de um alpinista que ao escalar uma montanha a noite, sofreu uma grande tempestade que não dava pra ver nada ao seu redor. Enquando estava pendurado, Deus disse pra ele corte a corda e pule. Ele ficou com medo e não cortou. Na manhã seguinte ele apareceu morto, congelado pelo frio. Se ele tivesse cortado a corda, ele cairia a 1 metro do chão e ainda teria ficado vivo. Ele não confiou em Deus, sofreu a tempestade de neve e morreu. Será que este é o seu caso também?

Para meditar: Salmos 32.10, 37, 121, Isaías 26.3, Provérbios 16.3, 29.25

Canção de oração: Confio em ti - Davi Sacer


Curtiu o Blog? Registre aqui!