domingo, 28 de fevereiro de 2010

Alegria

          Hoje pela manhã foi especial.
          Fui pega de surpresa para ministrar o louvor e cantei para o Senhor “não se turbe o vosso coração” e “vim para adorar-te”. O Senhor falou ao meu coração sobre entrar em sua presença com “ações de graças” (Sl 100), com gratidão. Assim, convidei toda a igreja a tirar apenas um minuto para agradecer por algo que o Senhor fez na sua vida.
         Em seguida cantamos “Aclame ao Senhor” e sentimos a presença poderosa do Deus Emanuel falando conosco.
         Nos dividimos em classe e fui para a sala dos jovens (adoro a aula com os jovens). Meu líder, há uma semana tinha tido uma direção do Senhor para a aula de hoje. Falamos sobre dons e especificamente, o dom do conhecimento. Faltando 15 minutos para a aula acabar, meu líder fez o que Deus tinha direcionado a fazer: pediu que cada um escrevesse em um papel o que estava sentindo naquele momento e feito isso, colasse na roupa para que outro visse.
         Meu esposo e eu escrevemos que nos sentíamos alegres, abençoados, mas a maioria escreveu que estava triste. Deus sabia que eles estavam tristes e por isso deu direção para que fossem sarados, consolados neste dia.
         Começamos a ler o papel um do outro e começamos a ministrar na vida uns dos outros. Muitos choraram copiosamente, e eu mesmo, me sentindo grata, feliz, enquanto orava, chorava com eles porque sentia a tristeza do seu coração.
         Me lembrei da palavra do Senhor e ministrei na vida de cada um que orei: Salmos 16.11, 29.6 e 68.6.
         Você já agradeceu a Deus hoje por alguma coisa, mesmo que esteja triste? Ainda dá tempo.
         Ainda que com o coração triste ou alegre, o Senhor faz um convite para todos nós: sermos gratos. Ele é o nosso provedor; Ele é o nosso Pastor.
         Se você estiver triste, confie que o Senhor vai fazer o que só Ele pode fazer. Tudo é uma fase e essa situação vai passar. Se você está feliz, ore por quem não está. Muitos precisam experimentar de novo a alegria de servir ao Senhor, a alegria da salvação ou simplesmente, a alegria.
         Sou grata ao Senhor por este dia e porque você e eu somos as ferramentas de Deus para Ele trazer alegria no meio do seu povo.

Na sua presença há abundância de alegria e delícias perpetuamente” – Salmos 16.11
Tempo de alegria” – Eclesiastes 3.4
Deus faz com que o solitário habite em família” – Salmos 68.6


Em Cristo
Jack

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Tá chovendo hamburguer!!!

Alguém poderia imaginar uma super máquina que faz chover comida do céu?

Olá pessoal!
          Ontem assisti um filme, uma animação muito legal chamado “Tá chovendo hambúrguer”. O filme conta a história de um menino com um lindo dom incrível: inventar coisas.
          O filme conta a história de um menino que mora numa cidade onde tudo o que é derivado de comida, vem da sardinha. Todos os alimentos são feitos de sardinha. Por causa das suas engenhocas, ele se vê sozinho e mal compreendido pelas pessoas, pelo seu pai e só sua mãe o apóia e vê nele o potencial que tem para usar suas idéias brilhantes para fazer coisas grandes. O pai, que tem uma pequena loja de sardinha, quer que o filho tenha um futuro lá. O menino, ainda insiste com o sonho de ser cientista e ajudar sua pequena cidade.
          Ele cresce e o pai ainda insiste para que ele abandone o sonho, porque para ele não há “futuro”. O menino vai contra e continua persistindo nas suas invenções até que em um dia iluminado, ele inventa a super máquina que faz chover comida do céu.
          Isso soa familiar nas nossas vidas?
         Todos nós temos um dom, um presente dado por Deus. Nascemos com ele, crescemos com ele e morremos com ele. O que faz a diferença entre nós e o menino do filme, é o que estamos fazendo com o nosso dom.
         No decorrer da história, o menino que sempre sonhou em ajudar a cidade, vê que sua genial idéia começa a atrair a atenção das pessoas para si. A notícia começa a se espalhar e pessoas de outros países começam a saber da existência da cidade em que chove comida do céu. E detalhe: a chuva vem de acordo com o menu que passamos para a máquina. Todas as delícias são possíveis de se comer!
         O menino, que desejava ter o reconhecimento pelo seu esforço, começa a fazer a vontade das pessoas. Ele acha que se as pessoas estão gostando da sua invenção, tudo bem para ele, porém, quanto mais comida ele faz chover, mais as pessoas querem e isso começa a fazer mal para os habitantes da pequena cidade chamada “boca cheia”.
         O sucesso cega o menino. O pai, amorosamente, fala para ele desligar a máquina pois acha que fará mal as pessoas. Ele não ouve e acha que seu pai não o ama mais. O dom que ele tem, que foi maravilhoso por um tempo, virou maldição em desenho e não só ele sofreu, mas todos os que estavam próximos a ele. Aí, começa uma grande aventura para que ele e sua cidade voltem ao normal.
         Tenho certeza que o desejo do coração de Deus é que possamos ser persistentes, desenvolver nossos dons e usá-los para abençoar as pessoas. Temos que ter o cuidado para que nossos dons não nos ceguem a ponto de esquecermos quem somos no Senhor e principalmente, para que não sejamos maldição na vida de ninguém.

Em Cristo
Jack

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Uma reflexão sobre o Haiti

População: O Haiti é um país extremamente jovem: 70% da população estão abaixo dos 30 anos. Metade tem entre 15 e 29 anos. Uma das propostas estudadas para engajar essa população é criar uma força-tarefa cívica para trabalhar na reconstrução do país. Antes do terremoto, 50% dos jovens com cerca de 20 anos estavam desempregados.
Capital: Porto Príncipe
Economia: O país permanece extremamente pobre, sendo o mais pobre da América, 45,2% da população é analfabeta e a expectativa de vida é de apenas 60,9 anos.
Religião: Católicos: 64% , Protestantes: 23,6% , Vodou haitiano: 5% , Sem filiação: 5% , Outras: 2,4%.

***
A fé sem obras é morta
(Tiago 2.14-23)

          Desde quando houve o terremoto que devastou o país há 2 meses, os olhos do mundo voltaram-se para o Haiti. Isso provavelmente não afetou a vida de muitos, mas para outros, anos a frente são esperados para recontruírem suas vidas.
         Tudo começou a gerar em torno dessa tragédia. Notícias sem fim chegaram e continuam chegando acerca da situação do povo de lá, entristecendo nossos corações como povo de Deus.
          Daí, fazemos tantas perguntas querendo saber o porquê dessa tragédia que mudou para sempre a vida de tantas pessoas e mais que isso, mudou o futuro de jovens e crianças. Muitas perguntas sem respostas. Tornou-se um país de órfãos, viúvas e de uma geração fragilizada, movida pela violência, medo, desespero e pobreza.
         Nessas horas, paro para pensar no nosso papel como igreja. A bíblia diz que a verdadeira religião seria servir aos órfãos e as viúvas (Tg 1.26-27). Há uma país inteiro nessa condição. Então, se não estou me empenhando nisso, será que posso dizer que estou de fato, seguindo as pisaduras de Jesus?
         O mundo se levantou pra ajudar nossos irmãos lá e lamentavelmente, muito dinheiro e ajuda humanitária acabou não chegando a quem mais precisava. É lamentável que, mesmo numa tragédia dessas, ainda há pessoas preocupadas consigo mesmas ao desviar ou querer administrar demais toda ajuda humanitária que é destinada. Como é possível tantos milhões de dólares ser levantados (ainda no próprio mês da trajédia) e nem o próprio presidente do Haiti ver a cor do dinheiro? (Veja matéria). E o pior, se o presidente não vê o dinheiro arrecadado, muito menos os mais pobres que mais precisam.
        Não podemos nos esquecer dos heróis, sejam eles do exército, missionários ou outros anônimos. Enquanto há gente lutando e morrendo no Haiti para ajudar esse povo, ainda há gente que não se importe. Quanto tempo mais continuaremos a ver a disputa por um resto de comida ou uma miséria de alimento que os haitianos estão recebendo, por um terremoto que nem eles mesmo causaram?
        A cada reunião que se faz em como administrar os recursos que chegam, morre mais uma criança ou o filho de alguém, o marido de alguém. Além disso, ainda queriam parar as buscas por sobreviventes, sendo que vemos com nossos próprios olhos o milagre da vida quando alguém é encontrado vivo debaixo de tanto concreto, depois de tantos dias.
        Muitas coisas que estão acontecendo lá é um absurdo e para nós, como filhos da luz, a palavra que  Deus nos ensina é que “a fé sem obras é morta”.
        Talvez o Haiti parece ser um lugar muito distante pra você ajudar. Olhe ao seu redor, no seu bairro, na sua cidade. Veja quem é o seu "próximo" carente de algo. Seja no Haiti ou bem aqui, vamos refletir e nos mobilizar para mudar esta triste realidade porque a bandeira que está sobre nós é o amor.

Com amor
Jack

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

BBB-10

          Como sempre, escrevo o que vivo e ao contrário do que alguns podem pensar, decidi conferir a 10ª. edição do Big Brother Brasil. Antes de mais nada, quero dizer que não tenho nada contra quem assiste o programa, e muito menos contra o programa.
         Você pode pensar: “mas você? Olha, estou decepcionado” ou “jack, cuidado pra não levantar nenhuma bandeira”, ou “legal, eu vejo também”. Sempre haverá alguém que não concorde com tudo.
          Para quem não sabe ou nunca assistiu este programa trata de um grupo de pessoas, de diferentes personalidades e profissões que são confinados numa grande casa, sem acesso a televisão, rádio ou qualquer tio de comunicação com o mundo “exterior”. Lá eles não fazem nada; só ficam dentro da casa conhecendo os outros colegas, conhecendo-se a si mesmo, como lidam com a pressão de serem observados 24hs e com os conflitos pessoais. No programa que dura aprox. 3 meses, eles são submetidos a provas, brincadeiras, tarefas ou algo que lhes dê algum prêmio (como um carro, uma viagem ou algo assim), e uma vez por semana alguém da casa é eliminado por votação dos colegas da casa e do público. Aquele que ficar até o final do programa, ganha o grande prêmio que normalmente é em dinheiro (algo simbólico, em torno de R$ 1 milhão).
          Eu pessoalmente, nunca tinha assistindo embora via alguma notícia nas revistas e nos comerciais, mas o que despertou a minha curiosidade para assistir foi a mistura de pessoas desta edição e por isso achei o programa bem peculiar. Isso não quer dizer que eu defenda o programa, porém, as vezes assistimos coisas muito piores, e pior que isso, não reconhecemos. Achamos que nossa vida é mais santa que a de outro, e julgamos o que faz alguma coisa. Entre os participantes do BBB-10 estão um advogado, uma dentista, uma publicitária, uma empresária, uma stripper, homossexuais,  e por aí vai. Mas a propósito, decidi assistir ao programa para ver o que tem de tão especial lá para que as pessoas desejassem tanto ir pra lá.
         Acredito que o “aparecer” na TV, é o que vale mais do que R$ 1 milhão. Para muitos dentro da casa, ficar alguns meses no BBB é muito mais que 5 minutos de fama. É a oportunidade de ser visto pela mídia e de conseguir uma oportunidade onde quer que a porta se abra. Nem sempre aquele que ganha o tal milhão tem a sua glória. É só comparar o alemão e a Grazy Massafera (das edições anteriores).
        Não tenho a intenção de polemizar alguma coisa. Estou usando o “BBB-10” apenas como um exemplo do que representa aquilo que fazemos por aí e que acabamos julgando sem conhecer. Julgamos o fulano e o beltrano só porque “alguém me disse que fulano e beltrano é assim ou assado”. Não temos o costume de pesquisar as coisas e vamos no embalo da maioria (e admito, eu me incluo nesse grupo algumas vezes). Aqui entra a questão do aceitar as pessoas também como elas são; vendo os participantes do programa, seu comportamento e tudo mais, será que estaríamos preparados para tê-los ao nosso lado dentro das nossas igrejas? Pois deveríamos.
        Absurdamente ou não, do BBB-10 eu até tirei uma pequena lição: quando julgamos um ou outro, quando criamos uma picuinha disso ou daquilo, levantamos um paredão que se volta contra nós mesmos. Mesmo que alguém muito inteligente ganhe o maior prêmio, este não durará para sempre.
        Infelizmente na TV hoje não há programas educativos ou legais como era há alguns anos. Muitas vezes fico um tempão trocando de canal porque não acho nada interessante. Com o jogo BBB-10, conclui que, como serva de Deus preciso aprender a ser mais seletiva naquilo que ouço ou o que vejo. É bom a gente ver o que acontece por aí, mas é melhor ainda se enchemos nosso coração com outras coisas: as coisas de Deus. Então vale meditar o porquê de estar escrito: todas as coisas me são lícitas, mas nem tudo convém.

Com amor
Jack

domingo, 14 de fevereiro de 2010

O mundo deve nos imitar (Parte II e final)

         Olá pessoal, graça e paz
         Continuemos a meditar em Romanos 12, a respeito de o mundo nos imitar.


3) Experimentando a boa, perfeita e agradável vontade de Deus
A vontade de Deus não é só boa, ou só agradável. Ela é 3 elementos (boa + perfeita + agradável) dentro de um propósito (vontade de Deus). Só que para viver essa vontade, precisamos antes aprender a dar a Deus o culto racional que Ele é digno e não se conformar com este mundo. Como queremos viver a vontade de Deus se deixamos de cultuá-lo e vivendo uma vida de pecado? Porque tantas pessoas não experimentam a vontade de Deus para vida delas? Porque tantos se frustram? Porque não aprenderam a apresentar a Deus seu sacrifício vivo, santo e agradável, porque se conformaram, se deixaram seduzir pelas coisas legais e atraentes que há no mundo de pecado. “Se meu amigo fuma, vou fumar também senão vão caçoar de mim”, “se minha amiga não se guardou para o casamento, pra que continuar virgem hoje em dia”, “se meus amigos rebeldes saírem da igreja por causa do líder, vou sair também”.

4) Modelo para o mundo
A definição para a palavra “modelo” é: Tudo o que serve para ser imitado. Porque o mundo não imita a igreja? Porque estamos falhando em cumprir a missão que o Senhor nos deixou em Romanos 12; não estamos sendo modelo. A bíblia mostra dos versos 3 ao 21, atitudes para que sejamos um modelo de vida e de vida cristã para o mundo: amando uns aos outros, respeitando o dom que cada um recebeu, sendo fervorosos no espírito, se apegando ao bem, tendo alegria na esperança, sendo pacientes nas tribulações, perseverando em oração, sendo hospitaleiros, abençoando os que nos perseguem (não amaldiçoando-os), não ambicionando coisas mas se apegando às humildes, se alegrar com os que se alegram, chorar com os que choram, procurando as coisas honestas diante dos homens, procurar a paz com todos, acolher o inimigo quando este padecer necessidade, não se vingar e vencer o mal com o bem.

           As vezes ficamos por anos dentro da igreja, sem dar a Deus o culto que Ele merece, sem experimentarmos Sua vontade e nem conseguimos ser referência para alguém. Somos tão influenciados pelo que ouvimos e assistimos que vale perguntar: Que garantia temos de que nossa vida tem influenciado nossa vizinhança, nossa escola e até mesmo nosso grupo de jovens, de louvor, etc?
           É tempo de refletirmos nossa vida cristã, pois, temos que parar de copiar as coisas lá de fora. O mundo deve nos imitar.

Com carinho
Jack

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

O mundo deve nos imitar (Parte I)

E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”.
Romanos 12.2

          Quando vemos o quanto o mundo está corrompido, queremos entender o porquê e queremos conquistá-lo para Jesus. Como luz, queremos brilhar no meio das trevas. Pensamos: “ah, vou trazer esse tipo de música para dentro da igreja, porque é o que toca lá fora”, ou “se tem um programa de televisão assim, vamos fazer um igual estilo gospel”, ou ainda “vamos aprender excelência fazendo isso ou aquilo com o mundo para que aperfeiçoemos dentro da casa de Deus”.
          É fato que há pessoas, modelos de sucesso que merecem observação, mas acima de tudo, a bíblia nos diz para não nos conformarmos, não entrarmos no “molde” deste mundo pois no meio das trevas, nossa luz pode se apagar. Igreja e mundo precisam ser transformados: a igreja em não deixar entrar as coisas do mundo e o mundo, que deveria ter a igreja como modelo para se espelhar.
          A transformação, portanto, é de dentro para fora e não o contrário.
          Em Romanos 12, vemos na palavra de Deus como podemos ser modelo para o mundo para que este nos imite, como este processo funciona:

1) Nossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus
Antes de tudo, precisamos dar a Deus um culto racional, um culto com entendimento e não um culto que é movido pela insensatez, pela ignorância, pelo fingimento, por interesse ou por engano. Deus quer que saibamos a quem estamos cultuando; Ele quer que o conheçamos para que possamos dizer: “Eu sei a quem presto culto; eu conheço o meu Deus”. Deus quer que aprendamos mais e mais de sua palavra para que apresentemos o melhor culto que podemos dar à Ele. Sacrifício vivo, santo e agradável significa fazer tudo o que podemos para exaltá-lo, para que Ele apareça e não nós. É ir além das nossas forças por Ele. Sacrifício santo é estar separado das coisas do mundo. Não quer dizer viver alienado ao mundo. É não se envolver com práticas que a bíblia não aprova. Sacrifício agradável, é exalar o bom perfume de Cristo por onde passemos; ter um coração quebrantado, contrito, sendo sempre exemplo em todas as coisas, deixando marcas nas pessoas do amor de Deus derramado em nossos corações. Feito isso, podemos apresentar a Deus um culto verdadeiro, um culto racional.

2) Não se conformar com este mundo
Quando temos uma vida com Deus, de sacrifício vivo, santo e agradável, não nos conformamos com o mundo. Um coração, enquanto ligado no trono de Deus, não se deixará seduzir pelas coisas do mundo porque este oferece coisas boas. Se o mundo não apresentasse tantas coisas boas, ninguém teria prazer em ir pra lá ou ficar lá. O que ocorre, é que a vida de pecado predominante no mundo, dura só um tempo, enquanto a palavra de Deus permanece para sempre. No mundo o que funciona é o ter: “quanto mais eu tenho, mais importante sou”, enquanto que com Deus, o que funciona é o ser: “eu te amo meu filho do jeito que você é”. O mundo deve imitar a igreja no seu modo de ser e de viver e por isso Deus já deixou instruções de como fazer isso.

Continua...

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Sobre o Ministério "Servos"

Oi amados do Senhor

          Sou tão abençoada com bençãos que nem sei contar...
          Como sabem, quando é da vontade do Senhor, algum texto que ele confia a mim é colocado no portal Lagoinha. Por meio disso, escrevi muitas coisas e assim pude conhecer muitas histórias de pessoas que escreviam para mim.
          A maioria dos e-mails que eu recebia era de jovens ou de pessoas com problemas na vida sentimental. Isso já acontecia bem antes mesmo de eu conhecer meu esposo. Mesmo solteira, quando eu fizera um propósito com o Senhor e naquilo que eu aprendia na palavra ou com pessoas de Deus, eu compartilhava com elas por e-mail ou pelo msn. Quando conheci o Renato, esses e-mails continuaram aparecendo e mesmo quando no portal Lagoinha entrava um outro assunto que nada tinha a ver, mais e-mails sobre namoro ou vida sentimental chegavam.
          O Renato e eu entendemos claramente como um ministério que o Senhor estava nos confiando. Não sabíamos como proceder, o que fazer, mas que um ministério nessa área era claro vindo de Deus para nós, como um grande presente.
        Eu relutei bastante até entender o que significava. Um dia, quando já estavamos namorando, aconselhamos uma pessoa e naquele mesmo dia, o Renato teve em seu coração um nome: “Servos do Deus Altíssimo”. Ele não sabia não tinha idéia de como e onde esse nome seria usado. Quando ele orava, ele pedia ao Senhor que fossemos usados na área de cura, restauração e renovação. Hoje, unidos no Senhor, unimos nossas vidas para este ministério onde abençoaremos e seremos abençoados por servos do Deus altíssimo, onde quer que estejamos.
         A visão deste ministério leva em consideração a dificuldade de igrejas em atender ou orientar pessoas que passam por esta fase. Queremos servir e apoiar todo aquele que necessita conhecer do Senhor o melhor para sua vida sentimental:

- Servir a igreja na área sentimental dentro da palavra de Deus, orientando quanto a importância da pureza no relacionamento, no compromisso ao escolher alguém para se casar
- Direcionar e abençoar pessoas que estejam sob pressão de familiares, da igreja, de amigos ou da sociedade uma vez que estão solteiros
- Apresentar Deus como um Deus soberano, de cura, restauração, renovação e que direciona nossas vidas para que aproveitemos o melhor da vida cristã: seja solteiro ou seja casado
         
        Esse é só o início daquilo que Deus tem pra fazer, pois sabemos que seu plano é muito maior do que podemos pensar. Com o tempo, vamos compartlhar mais sobre isto. Quando Deus confia algo a nós, Ele sabe que podemos cumprir. Oro para que sejamos fiéis e excelentes nesta missão, e fiéis até o fim.

No amor de Cristo
Jack e Renato

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

É bom estar de volta

Oi pessoal, a paz!!!

          Já estava sentindo muita falta de escrever neste cantinho...não podia ir dormir sem antes escrever pra vocês.
          Como eu contei há dias (muitoosss dias), eu saí de férias e já estou de volta!
         Algumas novidades: novo cabelo (agora castanho claro, quase louro) e dias em casa sem fazer nada (literalmente). Lembram que comentei no post anterior sobre a imensa roupa para passar? Graças a Deus, minha tia as passou antes mesmo de eu entrar em férias!!!
         Os dias que passei curtinho minha casinha (pois não viajei), me deu a possibilidade de colocar algumas coisas e pensamentos em dia. Quando a gente para tudo, é grande a oportunidade de refletir sobre os acontecimentos no mundo. Para quem tem acompanhado no twitter, sabe que minhas férias só não foram tão boas como eu gostaria por causa de tantas notícias tristes sobre as enchentes, sobre o Haiti.
         Pensava e penso: “Meu Deus, como nossa vida aqui é confortável. O Brasil é muito abençoado. A gente fica dentro da igreja fazendo tantas coisas dentro de quatro paredes, seja no louvor, na cantina, com as crianças ou com os jovens... mas neste momento que eu estou aqui, o povo haitiano está lutando por um resto de comida ou gente da minha própria cidade, aqui em SP, está tentando reconstruir a vida por causa das enchentes. Meu Deus, tenha misericórdia desse povo, sobretudo de mim, que não tenho feito nada, nenhuma diferença na vida deles...”
         Sabe gente, pode parecer um pouco dramático mas o mundo hoje está dramático de se viver. Durante minhas férias pensei em como consigo ser inútil mais do que deveria... quantas vezes eu ia me deitar e ficava pensando nos terremotos no Haiti...nas crianças que naquele momento não tinham mais os seus pais e estavam jogadas no mundo... e no meu coração voltava o desejo incontrolável por missões... vinha um desejo ardente de estar lá só para poder cuidar delas, nem que fosse por um momento. Talvez eu fale sobre isso mais vezes...
        Este ano será um ano de desafios para mim. Quero poder fazer algo, por mínimo que seja, que seja significativo na vida de alguém. As vezes, no meu próprio circulo de amigos eu não conseguia conversar sobre essas tragédias porque simplesmente pareciam que eles estavam alienados, com o pensamento centrado somente nas coisas da nossa igreja local. Não é culpa deles, mas quando percebi isso, vi o como é fácil a gente se esquecer da nossa principal missão aqui na terra: as almas pra Jesus.
       Nas minhas férias eu também fiz isso que não fazia há muito tempo: aconselhar pelo MSN. Outro dia desses, meu esposo e eu aconselhamos um jovem sobre namoro e como foi maravilhoso... o Senhor nos edificou tanto através da vida dele que me senti abençoada... o Senhor me fez lembrar que não é tempo de ficar confortável, mas de servir aos irmãos nas suas necessidades. Isso na verdade não nos custa nada e nem deveria pois o maior preço já foi pago por Jesus.
        Eu tenho muita coisa pra compartilhar com vocês, em especial o ministério Servos do Deus Altíssimo, mas vou deixar pra depois senão vou cansar vocês de ler este big texto...rs.. Orem por nós porque assim como ano que já começou as lutas também.

Shalom
Jack

Curtiu o Blog? Registre aqui!