quinta-feira, 30 de junho de 2011

30º. Dia – A Alegria vem ao amanhecer


O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã
Salmos 30.5
             
Hoje termina nosso Diário de Oração. Um período de grande aprendizado e um desafio para escrever para tantos corações esperançosos ou desanimados. Muitas vezes é muito difícil seguir em frente. Ver as pessoas que nos cercam, acompanhadas e tão felizes, deixam o coração da gente com uma pontinha de tristeza, afinal de contas, ser e estar feliz é um desejo e deveria ser um direito de todos. Não nos esqueçamos que somos aquilo que pensamos. Somos hoje o que plantamos ontem e seremos amanhã o que fazemos hoje.

 Pode até parecer que estamos totalmente sozinhos nessa busca pelo sonho, mas isto não é verdade. A bíblia diz que aflições iguais a esta acontece com nossos irmãos em todo o mundo e por isso precisamos resistir firmes na fé (I Pe 5.9). Graças a Deus que o nosso consolo e conforto é saber que mesmo que o choro dure uma noite inteira, a alegria vem ao amanhecer!

Deus, na sua infinita sabedoria, sabe até onde podemos suportar. Ele também conhece o desejo do nosso coração, ele sabe as coisas que ouvimos e falamos, ele conhece tudo! Ainda assim, na nossa fragilidade, pensamos que Deus está tão longe de nós, como se ele se preocupasse somente com os sonhos dos outros, com as conquistas dos outros. É por isso que a bíblia diz que o coração contrito e quebrantado, Deus não desprezará e bem perto Ele está daqueles que o buscam em verdade. 

Por ser o último dia, separe alguns momentos de oração para agradecer pelo que Deus já tem feito na sua vida. Você pode não ter casado ainda, mas observe as outras coisas que te cercam, a bondade e misericórdia que tem te cercado a cada dia, os livramentos, a vida, tenho certeza de que pelo menos um motivo você pode agradecer a Deus neste dia. 

Nós não gostaríamos que o diário fosse visto como um livro de receitas, porque ele não é. Compartilhar com vocês um pouco mais das nossas vidas foi só uma gota daquilo que Deus faz. O diário é uma ferramenta que Deus usou para abençoar vidas, mas não esqueça que mais importante que ler este blog, é você ter fé e buscar em Deus a vontade dele pra você. Nós gostaríamos de casar todo mundo se pudéssemos rs, mas queremos que a vontade de Deus seja soberana na sua vida. Acho que muitos de nós ou estamos passando ou já vivemos em algum momento este “choro de uma noite inteira”, que parece mais um choro que vai durar uma eternidade. As vezes é o choro do desprezo, da solidão, das bênção que não vem ou não da forma que queríamos, enfim, são tantos dos motivos que nem dá pra imaginar ou comparar com qualquer outra coisa que já vivemos. Seja o que for, aprenda a passar por esta fase da sua vida curtindo o “seu momento” com Deus, curtindo as bênçãos que você já tem alcançado, descansando o coração e tendo fé de que a alegria vem ao amanhecer. Não é uma hipótese, um “talvez”, é uma certeza de que ela virá. 

Foi um bom tempo! Esses 30 dias marcaram a minha vida assim como o tenho certeza de que marcaram a vida de muitos de vocês.  Este é o 2º. ano que somos desafiados a escrever o diário e de coração o fizemos. É sempre emocionante pois nem sempre sabemos o que vamos escrever; ficamos dependentes do Senhor e isso é bom. Não sabemos se o teremos novamente pois Deus tem um propósito para todas as coisas. De qualquer forma, agradecemos muito vocês que nos acompanharam, que nos suportaram esses 30 dias (inclusive, aceitamos seus comentários sobre isso..rs)! Acima de tudo, agradecemos ao nosso Deus, cuja alegria vem nesta manhã para testemunharmos que Ele vive e que suas misericórdias se renovam neste dia que Ele fez, para que nos alegrássemos Nele!


No amor de Cristo e até o próximo Diário se Deus quiser :)
Jack e Renato Sales

Para meditar: II Co 1.20 – Josué  23.14, I Pedro 5.9, Salmos 51.17, 139, 145.18

Canção de oração: Aleluia – Diante do Trono

quarta-feira, 29 de junho de 2011

29º. Dia – Líderes, vamos conversar

Portanto ide, fazei discípulos...   
Mateus 28.19
       Gostaríamos de convidar a você que é líder, a uma importante reflexão neste assunto delicado.
Antes mesmo de escrevermos o Diário de Oracão, percebemos uma necessidade urgente de jovens solteiros precisando de ajuda. Graças a Deus, mesmo sem ter uma área específica disso na nossa igreja local, lá  recebemos muita ajuda quando mais precisamos e é uma pena que muitas igrejas além de não ter um ministério voltado para jovens solteiros, não se preocupam com eles como deveriam.
Os e-mails que chegavam até nós eram de moços e moças se sentindo sozinhos porque não tinham uma liderança a quem pudesse confiar seu coração e confessar seus pecados. Eles eram parte de um grupo no qual se sentiam desprezados por causa do seu estado civil. A igreja para eles, se preocupava só com a família e como eles não tinham uma, seguiam com seus relacionamentos sem uma direção e aconselhamento. Quando sofriam, ninguém sabia o que tinha acontecido. Quando um líder sabia de algo, o jovem já havia tomado decisões precipitadas, estava “detonado emocionalmente” sem ter um conselho amigo. 
       Quando não eram desprezados, entravam despreparados no casamento. Conhecemos vários jovens que se casaram cedo e sem estrutura porque infelizmente não havia ninguém que pudesse ajudá-los. Muitos deles já vinham de um lar desfeito, sem uma referência de pai e mãe, o que nos traz uma responsabilidade ainda maior para sermos pais, mães, psicólogos, etc. Ter alguém dentro da igreja que pudesse ouvi-los, guardar em segredo o sofrimento que tinham, era um luxo e uma raridade encontrar. Quando não encontravam alguém assim, iam para o mundo se aconselhar com as amizades que tinham (Infelizmente nem sempre as amizades dão bons conselhos). Muitos jovens acham uma “novidade” quando ouvem falar que existem igrejas preocupadas com a condição em que se encontram.
Percebemos então que as principais queixas são:
- Na igreja que estão não há um ministério para “solteiros”
- Não recebem acompanhamento de um líder
- As programações da igreja são voltadas para a família, inclusive a do dia dos namorados. Eles sentem falta de uma programação voltada pra eles.
- Os líderes não são confiáveis ou não dão abertura
- Ao conversarem assuntos muito pessoais como sexo por exemplo, os jovens tem medo de serem vistos com “outros olhos” pela igreja
Sentimento dos jovens em relação ao namoro: 
- Sentem-se sozinhos, desanimados e/ou frustrados principalmente se passaram dos 30 anos
- Acham que fizeram algo de errado ou se culpam por não ter alguém
- Sentem-se cobrados e jugados pela igreja e familiares
- Muitas vezes esse mesmo sentimento não são só jovens, mas pessoas casadas, porém, deixadas pelo seu conjuge
      
Sendo assim, é justo fazermos as seguintes perguntas a nós mesmos:
- Como tenho cuidado daqueles que estão sob minha liderança?
- Será que conheço mesmo as necessidades dos meus liderados?
- Que razões eu posso dar para que não confiem  em mim ou que pensem que não dou abertura para diálogo?
- O que posso fazer para mudar isto?
          Embora esses pontos foram levantados somente por e-mails, não é reconhecidamente uma pesquisa, vale a pena ficarmos mais atentos com os liderados que temos. Um bom líder não é aquele que sabe tudo, mas que tem o coração ensinável, pronto para servir. Jesus não nos chama para fazermos pastores, líderes, cantores, etc, mas sim, discípulos para cuidar de pessoas, trazendo-as para a família de Deus e é isso que temos que fazer.
Para meditar:  Romanos 12.13, Mateus 28.19, Salmos 68.6
Indicação de livro: As 5 linguagens do amor para solteiros - Gary Chapman - Ed Mundo Cristão
Indicação de filme:  Para salvar uma vida

terça-feira, 28 de junho de 2011

28º. Dia – Perseverar até o fim


“...Mas aquele que perseverar até o fim será salvo...”
Mateus 24.13

           Há dois dias de terminar o diário de oração, quero te encorajar a não desistir dos planos de Deus, dos sonhos que estão em seu coração para que em Deus, você os alcance. Muitas vezes pensamos no "eu", "meu desejo", "meu sonho", "meu namorado", e nos esquecemos que pessoas ao nosso redor precisam sentir o amor de Deus através da nossa vida. Precisamos perseverar até o fim e receber do Senhor a coroa da vida no final da nossa corrida.
           Há milhares de anos Jesus, já conhecia o coração do homem. Sendo um com o Pai, Jesus sabia que todos nós somos pó, falhos e cheios de pecados.
           Jesus sabia que pecamos no olhar, no pensar, no falar, no agir...e ele também sabia que o nosso coração pode facilmente se corromper quando estamos sem Ele, vivendo longe Dele. Em Mateus capitulo 24 a bíblia relata o “princípio do fim” ou o “final dos tempos”, claramente falando, e nesta passagem, Jesus fala sobre o amor; o amor frio de muitas pessoas nessa época que conhecemos hoje cheia de valores invertidos. Uma época em que o amor se esfriou porque não passou pelo teste dos dias maus, pelo teste do tempo. As pessoas se tornaram como nunca, ainda mais egoístas e amargas.
           Todo mundo necessita de amor e por isto mesmo a bíblia já declara que Deus é amor. Ele é a essência que precisamos. Ele é a fonte que precisa fazer transbordar o nosso coração. Por mais que estejamos desesperados em ter alguém com quem compartilhar a vida, dividir segredos e lençóis, conquistar, este amor que tanto desejamos só pode ser preenchido por quem é a fonte: Deus. O amor de Deus se manifesta de muitas maneiras: na vida de um amigo, de um namorado, de um familiar ou de um marido (e acredite, por meio de um chefe), e aquele que está em Cristo, tem deste amor perfeito derramado no coração para amar a outros. E ainda assim, por causa do pecado enraizado no homem, Jesus já dizia que o amor de muitos esfriaria.
           Para vencer a todo pecado, a todo embaraço, aos traumas da vida, ao dia mau, Jesus nos chama para perseverar: “Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo” (verso 13). Precisamos perseverar mais em Deus, em amar mais verdadeiramente, a ouvir mais as pessoas, a lutar mais pelo que vale a pena. Perseverar para não sermos uma geração indiferente, uma geração problemática e doente. Mais que ter um namorado, alguém para passar o inverno “juntinhos”, a salvação é o que vai valer para a eternidade. Não será o casamento, os bens, as conquistas, estudos, a palavra de Deus diz que de tudo, o amor é o que prevalecerá e é este amor quente, não frio, que precisamos ter nestes dias; um amor que ama o próximo, que se importa com as necessidades alheias, não egoísta, não procurando os próprios interesses...
Se achamos que estamos sofrendo, que tal dar uma olhada "fora da caixa". A vitória que Deus reservou é para todos aqueles que vencem esses dias maus, que não deixam seu amor se esfriar, que suportam e que perseveram até o fim.
Para meditar: Apocalipse 2.4, I Corintios 13.13, Mateus 24.12-13 
Canção de oração: Tu és soberano - Paulo Cesar Baruk e Primeiro Amor - Rachel Novaes

segunda-feira, 27 de junho de 2011

27º. Dia – Tentações

Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar
I Corintios 10.13

Está acontecendo neste momento. Pessoas em todo o mundo estão passando pelo mesmo problema. Com Jesus não foi diferente; ele também se viu desafiado assim. 

Jesus estava com fome. Ele não sabia o que era comer uma boa refeição por 40 dias. Ele estava no deserto, um lugar árido com clima nada tropical. Devia estar muito calor e ficando por lá tantos dias, o corpo já deveria ter gastado muita energia. Agora o organismo pedia para comer. Se tinha alguma barriga roncando no deserto, com certeza era a de Jesus!

De repente aparece um intrometido. Porque o inimigo não ficou lá longe, onde é o lugar dele? Mas não, teve que lembrar Jesus que na condição de filho de Deus, poderia transformar pedras em pães, fazer algo bem prático para assim finalmente matar sua fome.

Usando a própria palavra de Deus o inimigo tentou enganar a Jesus. Este, em todas as respostas, também usou da palavra de seu Pai para vencer aquela tentação. Jesus venceu porque ele sabia que Deus iria prover o escape para ele sem que ele fizesse "algo mais fácil" (Pelo menos é o que está escrito em I Corintios 10.13). Jesus sabia que para vencer a tentação ele só precisaria de uma coisa: da palavra de Deus, seu verdadeiro alimento. Sua certeza era tão real que no final de sua tentação, a bíblia diz que o inimigo foi embora e os anjos serviram a Jesus. 

Neste momento, em todo o mundo, dentro e fora das igrejas, dentro e fora das escolas, dentro e fora dos lares, dentro e fora do trabalho, solteiros e casados são tentados; é o olhar malicioso, a moça bonita que olha para um homem casado, é um jovem que recebe cantadas da namorada de seu amigo, é a possibilidade de ganhar muito dinheiro de forma ilícita, e a ida a um quarto de motel, é a troca de favores, é o fazer algo proibído... o diabo sempre colocará situações que nos coloquem em tentação para que pequemos. Foi ele mesmo que veio para roubar, matar e destruir ou você acha mesmo que ele apareceu para Jesus para "dar uma ajudinha" para o filho de Deus?

A palavra de Deus diz também que junto com a tentacão, virá também o livramento. Deus não permite que sejamos tentados além de nossas forças, mas se caímos em tentação, é porque preferimos fazer as coisas do nosso jeito, indo pelo caminho mais fácil, escolhendo transformar as pedras em pães ao invés de comer da palavra de Deus.

Somos tentados pelo que deseja os nossos olhos. Se você por exemplo quer namorar um rapaz bonito e de repente conhece alguém que não seja bonito, mas lindo de morrer, vá com calma. Fale com Deus, ouça a voz dele e obedeça-o. Observe o que este rapaz fala, observe seu comportamento, sua maneira de viver e tenha a palavra de Deus dentro de você. Se estiver passando por um momento de tentação, vença-o declarando a palavra de Deus em sua vida. Seja como Jesus que mesmo sendo tentado, ainda assim ele não pecou. 


Para meditar: Mateus 4, Hebreus 4.15, Tiago 1.13-14, Apocalipse 3.10

Canção de oração:Abra os olhos do meu coração - David Quinlan

domingo, 26 de junho de 2011

26º. Dia – Dízimo de tudo


Honra ao Senhor com os teus bens e com as primícias de toda a tua renda; e se encherão fartamente os teus celeiros e transbordarão de vinho os teus lagares
Provérbios 3.9-10
            Uma coisa é certa: a semeadura é uma lei espiritual que guarda um grande segredo: a benção do Senhor. Não é uma coisa que é feita por necessidade pessoal ou divina (pois Deus não precisa do nosso dinheiro); dizimar e ofertar é uma atitude espontânea do coração.
Deus não precisa do nosso dinheiro, porém, a bíblia fala sobre isso para que a igreja do Senhor e os necessitados sejam supridos. Assim como a igreja tem despesas que precisam estar em dia, os carentes também precisam ser socorridos em suas necessidades. A semeadura não é só “dar”, é dar o melhor! Quando você dá a Deus sua primícia, ou seja, o que é primeiro, o que é mais importante, de maior valor, o que é inteiro e não resto, você colhe da mesma forma. É por isso que Deus abençoa aqueles que ofertam e dizimam suas primícias com alegria na sua casa!
Gosto de pensar na idéia de que Deus foi o primeiro a dar sua primicia. Ele tinha o de melhor, Jesus, quando enviou pra nós para que pudéssemos ter reconciliação com Ele. Desde que comecei a trabalhar na vida eu sempre abençoei a casa de Deus com minha renda. Esta foi uma lei espiritual, um segredo de provisão que aprendi bem cedo e bem rápido.  Por alguma razão meu coração sempre foi muito aberto pra abençoar a casa do Senhor e as pessoas e Deus sempre me honrou.
           Renato e eu conhecemos um casal que estava passando por vários problemas, porém estavam se acertando financeiramente. Quando conversei com um deles, a ausência do dizimo era clara. Para mim estava explicado o motivo de tanto enrosco na vida deles.  Um deles queria ter o nome limpo, dizimar, enquanto para o outro isto não era uma prioridade. Enquanto um queria guardar, o outro só pensava em gastar, havia ali portanto, uma casa dividida. Não pense que casar é só na “alegria”. No casamento duas pessoas são uma só diante de Deus, uma só carne, portanto, não existe mais o “meu dinheiro” e o “seu dinheiro”. Quando a gente casa os salários se tornam um só porque é o dinheiro da casa. Por falta desse entendimento sobre o dinheiro á luz da palavra de Deus, é que finanças está entre as principais causas de separação entre casais.
Acho importante falar de dízimos e ofertas no nosso diário porque se queremos ser abençoados precisamos aprender a ser fiéis com o Senhor. Quando eu estava estudando, com todas as dificuldades, eu sempre devolvia a Deus aquilo que é dele mas também já errei. Houve uma vez há muito tempo que não dizimei, mas logo no mês seguinte eu achei que deveria “repor”; mesmo assim eu me senti muito mal para nunca mais. O dizimo nunca foi o “gasto” do meu orçamento, mas sim, parte vital dele.
Quando eu estava para me casar também, imagine dizimar quando se tem contas pra pagar e quando seu noivo está desempregado? Não é fácil, mas quando você sabe do segredo da semeadura você só confia que a palavra de Deus não voltará vazia. Na época em que me preparava para casar o Senhor proveu tudo do que eu necessitava e sabe aquela parte do casamento em que se passa a gravata? Pois é, Deus mais uma vez nos abençoou ali também e claro, dizimamos nossa ”gravata” ao Senhor, digno de toda a glória!
            Abençoar a casa de Deus abre portas para milagres. Todas as vezes que aqui em casa achávamos que não teríamos condições de pagar alguma conta, ou que faltaria algo e casa por causa de alguma situação, ainda assim, não deixávamos de dizimar. O Senhor sempre preparava algo para suprir aquela necessidade e por isso hoje podemos testemunhar que Deus jamais nos abandonou!
Talvez este seja um assunto que te incomode, mas fique tranqüilo. Com posicionamento e a ajuda do Espírito Santo sua vida financeira será uma benção e isso é essencial em um casamento saudável. Hoje em dia existem vários programas na internet e livros sobre finanças pessoais para casais que vale a pena dar uma conferida. Graças a Deus também há igrejas preocupadas em dar cursos sobre finanças. De qualquer forma, quanto mais você se “equipar” sobre o assunto e ser fiel ao Senhor, mais Ele te honrará.
Peça ao Senhor para Ele abrir os seus olhos, caso você queira entender melhor e contribuir. Fique atento sobre o que ocorre na sua vida e deixe para trás todo o embaraço. Muitas vezes, você que é cristão, vive uma vida de embaraço porque há uma brecha nesta área de finanças e principalmente pela falta de dizimar. Te encorajo a ter uma atitude de fé para dizimar e ofertar ao Senhor. Você vai ver como milagres podem acontecer!


Para meditar: II Co 9, Provérbios 3.5-10, Malaquias 3.8-12, Salmos 127.2


Canção de oração: Heart of Worship – Matt Redman (tradução aqui)

sábado, 25 de junho de 2011

25º. Dia – Deus de provisão – Parte II


“Bem aventurados todos os que esperam nele” Isaias 30.18

Eu estava para ir para a faculdade e quando quis fazê-la a questão financeira sempre pegou. Minha mãe ainda estava acertando muitas dívidas e faculdade era um luxo pra mim, mas necessário pois minha mãe sempre me incentivou a estudar. Nunca vou saber o que é estudar em colégio particular pois toda vida, sempre fiz parte daquela parcela da população que dependia do ensino público. Nos 2 primeiros anos do colegial estudava a noite, numa escola de fama ruim, de maus elementos. No último ano, me mudei de bairro e portanto, mudei de escola. Fui para outra escola um pouco melhor, mas com alunos mais "nerds" e claro, mais "ricos" do que eu. Evidentemente eu me sentia mais inadequada como nunca já que todo mundo já sabia que universidade fazer e como pagar. Mas na minha casa, não tínhamos a mínima idéia de como pagar uma universidade.
Quando estava no colegial, em todas as provas preparatórias de vestibular, eu estava lá fazendo os simulados, mesmo que eu fosse mal. A maioria das minhas colegas de classe ou se casaram cedo ou tiveram filhos e eu tinha que me esforçar para ter um futuro melhor. Eu queria estudar primeiro.
Prestei vestibular aqui em SP para engenharia (eu adorava desenhar plantas de casas) e em Mogi das Cruzes, grande SP, para Comunicação Social. Para se inscrever não precisava de dinheiro (ainda bem porque eu não tinha), e sim 1 kg de alimento não perecível, então eu fui. Passei nos 2 vestibulares mas como ir para Mogi era mais barato, resolvi estudar lá. Eu não tinha idéia do que me esperava: estudar de manhã, 2 horas de ida e volta, todos os dias por 4 anos além de trabalhar SP. Foi nesse longo trajeto que desenvolvi gosto pela leitura. Quando a aula acabava e eu vinha embora, eu dava a volta na estação e cortava caminho pela linha do trem para não ter que pagar passagem. Utilizar uma passagem no meio de um muro era uma forma meio que ilícita de economizar uns trocados. Dessa forma conseguia comprar presentinhos para minha mãe, meu pai e dia dos namorados..rs
Ainda tentava achar um emprego decente. Os estágios na minha área não pagavam um valor decente que custasse o sacrifício das minhas viagens de ida e volta então o jeito era continuar procurando emprego na cidade de SP mesmo. Consegui trabalho de um dia numa loja de roupas para nunca mais. Meus pés ficaram cheios de bolhas e além de o trabalho ser só por comissão, saí de lá sem ter vendido nada e muito menos sem ter recebido ao menos o vale transporte.  Mas não desanimei afinal eu precisava pagar a facul.
Nos 2 primeiros anos meus pais me ajudaram nos custos com a faculdade mas eu não me acomodei. Eu sabia que eles tinham contas pesadas pra pagar e eu quis me virar. Arrumei emprego em uma área de atendimento, vendas por tel., e o salário era só comissão novamente. Fiquei um mês lá e meu primeiro salário foi de uns R$ 150,00. Saí de lá para fazer um estágio em outra empresa onde só nessa empresa eu  participei de umas 5 dinâmicas e nada de passar. Acho que a pessoa do RH ficou com dó de mim e resolveu me dar uma chance então comecei a trabalhar lá, em atendimento também, mas dessa vez era em SAC (Serviço de Apoio ao Cliente). Na verdade lá era mesmo um "SACo", pois eu tinha que ser “psicóloga” pra ouvir por 6 horas por dia, só reclamação de clientes. Nesta empresa, passei a ganhar um pouco melhor, uns R$ 400,00 mais o vale transporte. Minha faculdade custava uns R$ 390,00 na época, o que ainda era muito caro pra gente.
Como minha faculdade era um gasto pesado no orçamento comecei a atrasar os pagamentos das mensalidades. Pra continuar estudando eu ficava devendo o ano inteiro e depois negociava tudo. A situação chegou a um ponto que não tinha mais o que negociar. Não tinha mais o que fazer, tentei até fazer um Fies, mas a faculdade recusou e eu precisava mesmo é de um mliagre.
Nessa época meu pai já estava há algum tempo tentando se aposentar e bem neste momento a aposentadoria saiu. Meu pai pegou todo o dinheiro, deu pra mim e disse para eu pagar toda a dívida. Não acreditei no que ele estava fazendo.
Meu pai tinha um sonho de me ver formada e por isso peguei aquele dinheiro. Até hoje dá uma vontade de chorar quando lembro daquele dia porque Deus proveu. Meu pai nem é cristão mas eu vi naquele dia o amor de Deus por mim. Não era pelo dinheiro, mas eram mais de 15 anos trabalhados sem ter uma falta, um atraso, eram as horas extras que ele tinha feito pela nossa casa e quando ele pôde, ele não pensou nele. Quanto amor!
Paguei a faculdade mas ainda tinha uns 2 anos pela frente. Nesse tempo que eu continuava naquela empresa de atendimento, houve um período e, que todo mundo estava sendo efetivado. Eu era uma simples estagiária. Depois de quase um ano lá, estava pensando em sair. Foi quando fui chamada para fazer testes numa grande empresa.
Por causa disso eu não queria ser registrada onde eu estava, porque em breve eu ia sair de lá. Como eu nunca faltava, comecei a fazer testes para ir para outra empresa. Faltava toda a semana para fazer dinâmicas e testes e isso despertou a curiosidade do meu atual chefe. Orei ao Senhor pedindo para passar nestes testes senão eu iria ser mandada embora da outra empresa por faltas! Fiz os testes, concorri com outros candidatos melhores que falavam várias linguas, tinham formação em universidades de renome e ainda muita experiência profissional. Pela misericórdia do Senhor, chamaram uma mera estudante de comunicação social, sem experiência e com um péssimo inglês, tipo eu! Só posso dizer que sai daquela empresa de atendimento e fui para esta outra maior, uma empresa de grande porte  que pela graça e misericórdia de Deus, consegui me estruturar, paguei meus estudos, cursos e gastos de casamento quando o Rê estava desempregado, enfim, estou nesta empresa até hoje e há quase 10 anos. Olhando para trás e ver quem eu era, de onde Deus me tirou, do quê e de quem me livrou para me colocar onde estou hoje, só posso testemunhar que existe sim um Deus provedor. Toda glória eu dou somente a Ele!
Rapidamente quero contar só mais um pequeno testemunho. Na minha festa de casamento não ia ter Buffet (eu ia só servir alguns comes e bebes bem simples!). Minha mãe tinha feito um consórcio de um produto que ela queria pra cozinha dela que era um sonho, onde ela ficou pagando por uns 2 anos se não estou enganada! Quando ela terminou de pagar, ela não pegou o produto e preferiu dar o dinheiro para o Renato e eu para que pudéssemos ter um Buffet. Eu tenho para sempre uma dívida de amor para com meus pais.
Deus sempre supre. Ele é fiel e um Deus de provisão. Ele sempre nos tira de algo para algo maior. Deus me honrou e eu sempre continuei firme. Deus proveu minha faculdade, meu trabalho, meu casamento e sempre será o meu e o seu provedor. O Senhor é o meu pastor, nada me faltou, nada me falta e nada me faltará.Esta provisão tem também para você. Basta somente crer.
"E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir em Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades"
Para meditar: I Samuel 7.12, Colossenses 4, Lucas 1.37
Canção de oração: Se tu quiserer crer - Soraya Moraes

sexta-feira, 24 de junho de 2011

24º. Dia – Deus de provisão - Parte I

E pôs Abraão por nome aquele lugar O Senhor Proverá. Daí dizer-se até ao dia de hoje: No monte do Senhor se proverá
Genesis 22.14
            A bíblia diz que Deus é um Deus de provisão. Deus pode mandar chuva no meio do deserto, alimento no meio da fome (nem que para isso ele use um pássaro), alegria em tempos de tristeza ou fartura no meio da miséria. A provisão pode vir em várias formas e tamanhos! Honestamente eu acredito nisso porque todos os dias tenho experimentado da provisão do Senhor e sempre foi assim. Quero compartilhar com vocês como Deus dá sua provisão em mínimos detalhes, nas pequenas coisas e em situações tão diferentes.
            Quando eu estava na 3ª. serie, me lembro que meus pais se separaram e eu sempre fui muito apegada ao meu pai. Com a ausência dele minhas notas na escola começaram a cair e ficava sempre doente. Nenhum doce ou brinquedo ia substituir o meu pai. Como a situação piorava e eu estava quase para repetir de ano por causa das faltas, meus mais voltaram a ficar juntos e graças a Deus o Senhor proveu de novo o meu pai de volta ao lar.
            Eu lembro também que eu tinha um sonho de ter uma Barbie e uma bicicleta. Naquela época uma Barbie era um presente caríssimo e ter uma bicicleta rosa, tipo “ceci”, era só para quem podia. Como não era meu caso, meu pai comprou uma bicicleta do “Rambo”, bem pequenininha e eu, toda grande e desengonçada tentava andar na bicicleta do rambo. Quanto a Barbie, mais tarde eu ganhei uma e fiquei tão feliz que cortei os longos cabelos da barbie, deixando-a mais moderna, mais “chanel”. Querendo ou não Deus proveu o desejo do meu coração!rs
            Mas falemos de fatos mais atualizados. Quando estava no colegial conheci uma senhora que estudava na mesma classe que eu. Ela era o tipo de pessoa carismática que fazia vários amigos e comigo não seria diferente. Nos tornamos amigas e quando o 2º. ano do colegial acabou, continuamos a conversar.
Eu queria muito trabalhar para pagar minhas contas e em breve ir pra faculdade. Como eu não arrumava emprego e não tinha experiência eu saia pra trabalhar com a minha mãe. Minha mãe vendeu Yakult por muitos anos nas ruas, puxando aquele carrinho pesado e de vez em quando eu ia com ela. Dessa forma surgiu a idéia de eu vender iorgute na rua em parceria com esta senhora. Minha mãe entraria com os produtos e essa minha "amiga", como era bem conhecida no bairro, ajudaria a vender os produtos e aí racharíamos o lucro.
Essa minha "amiga" era uma senhora que tinha uma vida simples, numa casa simples, quase miserável (literalmente). Ela mal tinha uma cama para dormir e quando minha mãe comprou uma cama nova para mim e para o Dudu, demos a nossa cama para ela. Ficamos com dó e acima de tudo ela minha “parceira’ de trabalho. Começamos então a vender. Quase todo o final de semana eu saia a pé puxando o carrinho junto com ela e vendíamos iorgute nas vilas do bairro. Eu andava muito e era um trabalho cansativo, principalmente quando se anda muito com saia longa..rs. Enfim, fizemos uma ótima freguesia e achei que o trabalho ia dar certo.
Num belo dia, saí para receber dos clientes. Eu ia de porta em porta e um a um me dizia que ela tinha passado antes e assim eles pagaram pra ela. Bem, como não recebi nada eu fiquei de falar com ela pra conferir o valor recebido. Ela realmente tinha recebido mas não quis dar a minha parte. 
O problema era que esse dinheiro ainda não era o nosso lucro e sim o dinheiro para pagar aos fornecedores de iorgute. Falei pra minha mãe que ficou uma fera e a noite, meu pai e eu fomos na casa dessa senhora para receber de novo aquele dinheiro. Como era previsto, ela não nos pagou (e pasmem, ela ia pra igreja). Como resultado, minha mãe ficou com uma divida enorme de iorgute para pagar pois as notas estavam no nome dela e esta minha "amiga" desapareceu e eu fiquei péssima sem saber o que fazer. 
A provisão de Deus acontece em todas as áreas da nossa vida, inclusive profissional. A gente não precisa ser rico para sermos prósperos. Prosperidade é não sentir falta de nada e para mim, se eu queria um dia me casar, precisava primeiro me estruturar profissionalmente, estudar. Obviamente com aquela experiência traumática, parei de vender iorgutes mas ainda tinha aquele sonho impossível de fazer a faculdade. Deus estava provendo algo maior para mim.
        
Para meditar: Genesis 22, Salmos 23
Canção de oração: Bendito serei - Nani Azevedo

quinta-feira, 23 de junho de 2011

23º. Dia – Deixando o velho para trás



"Transformai-vos pela renovação da vossa mente" Romanos 12

Há pouco tempo conversei com um amigo sobre coisas do passado e isso me inspirou a escrever este texto. Pode parecer "2 museus” conversando, mas para ele, falar comigo e com o Renato sobre seu passado era libertador.

Como adoro dar nomes, vou chamá-lo de Epitácio. Epitácio já tinha conhecido várias meninas mas nunca conseguia namorar. Sempre havia um enrosco neste relacionamento (e claro, um livramento divino), e não entendíamos o motivo. Até que ele comentou sobre um relacionamento anterior, há mais de anos, em que ele sentia qe havia ainda uma pendência no ar a ser resolvida com a ex. Tanto ele quanto a ex sabiam que algo precisava ser acertado entre os dois. Só que enquanto isso não acontecia, a vida  tanto de um quanto de outro não prosperava. Já vou contar o fim da história: eles ainda estão se resolvendo.

Mesmo que chovesse pessoas bonitas e interessantes no quintal dos dois, eles precisavam deixar para traz o “velho”. Precisavam resolver o sentimentos entre eles e partir para o novo e esse entendimento veio para Epitácio. Talvez não esteja chovendo ninguém no seu quintal, mas ainda sim, algo velho precisa ser resolvido e ir embora.

           Muitas vezes não entendemos os enroscos que nos metemos. Vivemos anos e anos uma vida vazia, quando poderíamos viver algo bonito e novo. Infelizmente depois de muito tempo é que vamos perceber o tempo que perdemos correndo atrás do que é “velho”, porque estamos amarrados ao passado. Conheci uma moça no começo de seus 20 anos que errou em um relacionamento que teve, e mesmo percebendo o erro, desistiu de lutar pelo novo. Ela vai para igreja e tudo mais, mas ainda está na sua antiga forma de viver. Todo mundo quer ajudar, inclusive sua família que não sabe mais o que fazer.

A palavra de Deus nos diz que aquele que está em Cristo nova criatura é, as coisas velhas já se foram e tudo é novo agora.  É uma lei espiritual: Cristo = novidade de vida.
Mas Jesus também diz que se quisermos o novo precisamos deixar para trás o que é velho:   

“ E ninguém deita vinho novo em odres velhos; de outra sorte o vinho novo romperá os odres, e entornar-se-á o vinho, e os odres se estragarão;Mas o vinho novo deve deitar-se em odres novos, e ambos juntamente se conservarão”

        Em outras palavras, Deus não tem como trazer um presente novo, numa antiga forma de pensar, com antigos hábitos e antiga forma de viver porque a benção se perde no meio do caminho. É transformar a nossa mente. O novo de Deus vem numa nova vida para que a benção se conserve e seja completa. É por isso que também está escrito que as coisas espirituais se revelam espiritualmente. Se não andamos no Espírito, não temos revelação do novo que Deus tem pra nossa vida.

                Queira o novo de Deus pra você. Ore e peça ajuda do Espírito Santo para revelar, trazer a luz, o que está escondido, o que é “velho”, o que precisa ser curado e viva um novo tempo de Deus na sua vida.

Para meditar: Lucas 5.37-38, II Corintios 5.17, I Corintios 2.14, Romanos 12.2

Canção de oração: Emanuel - Nivea Soares

quarta-feira, 22 de junho de 2011

22º. Dia – Inadequada

         
                Há alguns dias levei um tombo, ou melhor, um verdadeiro "capote" na escadaria da estação de trem.

                  Eu estava com muita, mas muita pressa.

            Já faz quase uma semana e minhas pernas continuam raladas e roxas com as marcas da pancada. Quase não dói mais, mas ainda manco um pouco e as manchas ainda estão lá e logo, logo, vão sumir.

            Seria tão bom se as feridas da alma sumissem rapidamente assim. Mas há feridas que precisam apenas de um bandaid, outras, de verdadeira cirurgia. Tanto uma como outra precisam de cuidados e ainda bem que as mãos do que cura estão sempre disponíveis para vir em nosso socorro. Basta ligar no 0800 do céu! É uma ligação gratuita, paga na cruz.   
  
Eu acho que todos nós nos sentimos inadequados em algum momento de nossas vidas e esse sentimento pode ser devido a alguma ferida, escondidinha lá dentro do peito.

           Talvez nos sentimos inadequados ao nos sentirmos mais feios ou mais gordos, ou no nosso trabalho quando observamos que outros são promovidos ou reconhecidos em nosso lugar. Talvez seja em casa mesmo, quando nossos pais dão privilégios para nosso irmão quando de repente, ele nem merece. Nos sentimos inadequados quando não nos encaixamos no padrões dos grupos sociais onde a tendência é de ficarmos isolados e solitários. 

Eu me lembro de quando me senti assim. Todo mundo achava que eu precisava de um marido, como se ele fosse Deus. Aliás, ter um marido parecia ser melhor do que ter Deus, porque eu sempre era lembrada dos benefícios de se casar ao invés dos benefícios de buscar mais a Deus. Nem sempre a maioria está certa e graças a Deus por isso.

           Cair da escada me trouxe outra lembrança recente. De como eu me se sentia inferior dentro da igreja. Nunca fui o tipo de pessoa que quis agradar alguém, mas também nunca procurei problemas. Sempre na minha, sem falar muito, eu pensava algo “Se está bem para você, está, bem para mim também”. 

Eu tinha Jesus, mas por alguma razão eu achava que era menos abençoada que outros porque eu não era filha de pastor. 

Várias e várias vezes perguntava para Deus o porquê, porque eu não tinha nascido em lar cristão, porque eu me sentia tão diferente, tão menos que os outros? Porque não nasci num lar onde eu pudesse contar com a benção dos meus pais, com conselhos cristãos vindo da parte deles? Porque não ser filha de pastor era tão doloroso para mim? Os filhos de pastores que eu conhecia pareciam tão felizes, tão abençoados, com tantos amigos, tantos tantos...

            Até que um dia eu parei de fazer essas perguntas para Deus. 

         Como sabem, meus pais ainda não são cristãos, mas eu nunca duvidei de que me amavam. Quando eu era pequena minha mãe sempre me comparava com minha prima que hoje é muito minha amiga. Acho que a tal comparação me feriu mais do que pensei...

            Por um longo tempo, ficou um buraco enorme no meu coração. Eu queria muito ter nascida filha de pastor. Eu queria muito não me sentir inadequada. 

            Mas um dia, Deus me surpreendeu. Um dia chorei muito sobre isso e nesse dia Deus me fez saber e sentir que para ser feliz, para ver os planos que Ele tem para mim, eu não precisaria de ter um pai pastor. Mas eu deveria amar meus pais como Deus me amou. 

            Nesse dia, meu coração foi cheio do amor de Deus e me arrependi profundamente daquele sentimento. Me arrependi e me arrependo sempre quando me lembro das vezes que não os valorizei como mereciam. Até me emociono quando lembro disso porque é algo muito forte para mim e queria muito, muito mesmo dividir isso com vocês. Deus me fez enxergar o meu pai que a vida toda foi assim: amoroso, calmo, brando sem mesmo falar nada. Meu pai é um homem de poucas palavras. 

            Hoje me orgulho de ter nascido no lar que nasci. Deus me ama e queria que eu nascesse ali e é claro que a vontade dele é a melhor para mim. Deus me plantou ali e vou ser eternamente grata a Ele por ter me dado meus pais. É tão bom saber que minha descendência pode ser abençoada por minha causa, minha vida com Deus. Meus netos podem viver histórias incríveis com Deus porque uma inadequada como eu, recebeu o amor de Deus!

            Como eu disse, todos nós nos sentimos inadequados em alguma área da nossa vida e infelizmente seguimos a vida inteira feridos quando poderíamos ter tido a cura quando estava disponível. 

São amizades de anos separadas pelas mágoa. São relacionamentos machucados provados pelo tempo. Seria tão bom se todos pudessem experimentar da cura na alma quando corresse para o maior dos médicos. Ainda dá tempo de ir até aquela pessoa, pedir perdão... hoje ainda é o dia de reconciliação. O perdão sará a alma, constrói um futuro novo, uma linda ponte que nos leva para Deus. 

            Agradeça a Deus hoje pela sua vida, pelo lar que você tem. Talvez para você não seja bem “um lar”, mas é o lugar que Deus vai começar a transformar. Talvez você não precise cair da escada como eu para lembrar e olhar a vida de forma diferente. Emocionante.

Agora posso dormir tranqüila sabendo que há um lugar especial para mim, uma “inadequada”, nos braços do nosso Pai.            
  
Para meditar: Salmos 121, Isaias 51.3, 57.15
Canção de oração: Above all else - Vicky Beeching (tradução aqui)

terça-feira, 21 de junho de 2011

21º. Dia – Casa dividida



“...Toda cidade ou casa dividida contra si mesmo não subsistirá
Mateus 12.25
           Hoje em dia é muito comum vermos casamentos serem desfeitos ou relacionamento estarem feridos porque estão divididos em suas decisões. Quando queremos um namorado, não pensamos direito nos projetos, nas conquista que teremos juntos lá na frente após casarmos. Queremos namorar e pensamos em outras coisas “mais importantes” e quando estes projetos não ficam alinhados durante o namoro e/ou noivado, surpresas desagradáveis acontecem após o casamento.
           Um quer uma casa e o outro quer um carro. Um quer uma casa de 2 dormitórios e o outro quer com 3. Um quer o filho na escola A e outro na B. Um quer congregar na igreja A e outro na B. Um deseja um carro preto e o outro, vermelho. Uma vez casado, qual oração você acha que Deus ouvirá? De nenhum dos dois. Como são uma só carne, as decisões são uma só e sendo assim a casa não pode estar dividida. O comum acordo precisa estar presente no relacionamento e não agir por “debaixo dos panos que depois eu falo para meu cônjuge”. O plano de Deus é que a família seja e esteja unida. Jesus mesmo disse que uma casa dividida não permancerá.
           A palavra de Deus já dizia que Deus não é um Deus de confusão (I Co 14.33) e a paz precisa ser o árbitro do nosso coração (Cl 3.14). Enquanto o casal não decidir o que quer, ambos numa só visão, a tendência é que este casal fique dando voltas, assim como Israel, para conquistar a terra prometida. Uma conquista que poderia simplesmente durar alguns dias, demora-se anos porque um dos dois está dividido, não toma uma postura ou não ora para Deus mostrar o caminho que os dois devem seguir.
         Os olhos dos dois precisam “brilhar” para a mesma coisa. O mesmo sentimento precisa haver já que agora não são mais dois e sim um. Quando estávamos para nos casar, procurávamos a aliança perfeita. Quando a vimos nossos olhos brilharam porque sabíamos que ela, era exatamente o que nós dois procurávamos. Da mesma forma aconteceu quando fomos comprar nosso carro. Saímos por meses pesquisando preços, modelos, acessórios, descontos, enfim, fizemos basicamente uma “pesquisa de mercado” e vendo tantos carros diferentes ficamos em dúvida sobre qual carro comprar. Eu achava um bonito enquanto o Renato gostava de outro modelo. Oramos ao Senhor, não nos precipitamos. Depois de um tempo o Senhor mostrou um carro para nós e imediatamente nos apaixonamos. Graças a Deus estamos com este carro até hoje; nunca nos deu trabalho e tem sido uma bencão, uma verdadeira “mão na roda” pra gente!
        Claro que também erramos. Como qualquer casal, quando estávamos noivos, queríamos comprar uma casa. Como mulher, me “encantei” por uma na planta e logo “corremos” para assinar o contrato de venda daquela casa. Agimos puramente por impulso, com medo de “perder a bencão porque era a última unidade”. Entretanto para o Renato, aquela casa ainda não tinha testificado no coração dele. A dúvida surgiu ali, mas mesmo assim, fomos em frente. Resultado: pegamos o maior abacaxi que vocês podem imaginar, de modo que envolveu até processo, no qual perdemos. Ainda tivemos prejuízos financeiros e isto antes do casamento. Graças a Deus que no final o Senhor teve misericórdia para não permitir que viéssemos a morar nela neste enrosco todo mas com certeza, essa dor de cabeça poderia ter sido evitada se nós tivemos orado antes, se tivéssemos certeza absoluta daquela conquista.
          É aí que muita gente cai. Queremos fazer nossa vontade sem se preocupar com nosso cônjuge e depois que o abacaxi está aí, reclamamos com Deus que o casamento não vai bem ou nos arrependemos de nos ter casado. Mas esta, não é a vontade de Deus pra nós.
Deus não quer que tenhamos uma casa dividida, com filhos sendo criados numa casa dividida. Deus quer que os solteiros busquem direção também nesta área. Orem desde já para Deus sempre ser a direção que você precisa. Se for se casar, ore para que não haja dúvida nos planos com seu futuro cônjuge e peça para Deus confirmar cada passo que vocês derem seja antes e depois do casamento. Quanto aos casados que vocês tenham seus projetos alinhados um ao outro e junto com Deus. Vamos nos lembrar do que está escrito que o que é ligado na terra é ligado também nos céus (Mt 16.18,19).
Para meditar: Mateus 12.25-26
Canção de oração: Ressuscita-me - Aline Barros

Curtiu o Blog? Registre aqui!