domingo, 25 de novembro de 2012

Perto ou longe da cruz?

...E junto a cruz estavam a mãe de Jesus, e a irmã dela, e Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena. Vendo Jesus sua mãe e junto a ela o discipulo amado, disse: Mulher, esi aí teu filho...(João 19.25,26).

      Você ficaria ao pé da cruz de alguém que você não tem tanta amizade?

      Para mim, uma das cenas mais marcantes de toda a palavra de Deus é o momento da crucificacão. Tenho certeza que por mais fértil que seja minha imaginação para conceber tal cena, nada se compara ou pode descrever como foi verdadeiramente aquele dia.

   A biblia diz que o salário do pecado é a morte (Rm 6.23), e como Jesus não tinha pecado, é maravilhoso e interessante saber que ele não "morreu" naquela cruz. Ele "se morreu", rendeu seu espírito quando tudo estava consumado (João 19.30).

     Diante daquele sofrimento de carregar o pecado de toda a humanidade sobre si, fico pensando nas multidões que o seguiam, nas vidas que ele impactou, transformou; nas milhares de vidas tocadas por Ele e onde estavam aquelas pessoas no momento de sua crucificação. Entre milhares, somente algumas poucas pessoas, talvez as mais íntimas, junto da cruz. 

      Agora, você ficaria ao pé da cruz de alguém mais do que presente na sua vida, no seu dia a dia?

     Foi assim há mais de dois mil anos e continua desse jeito nos nossos tempos. Poucos perto da cruz e muitos longe de Jesus.

     Muitos dizendo "Senhor, Senhor, em teu nome fizemos grandes coisas"
     Poucos fazendo como Maria desejando a melhor a parte.

     Afinal, onde estamos" perto ou longe da cruz?

     Muitos recebendo seus milagres
     Poucos considerando o filho de um carpinteiro e do Deus vivo como verdadeiramente amigo.

     O convite ainda existe para todos nós: "Eis que estou a porta e bato: se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e cearei com ele, e ele comigo" (Ap 3.20). Sua fama era grande e este foi um convite não para alguém que nunca tinha ouvido falar dele, mas para sua própria igreja.

     Muitos fazendo a obra em nome do Senhor
     Poucos abrindo a porta para ele entrar e agir.

     Apesar das nossas falhas, sua crucificação foi por todos nós. Ele se entregou para nos justificar, nos redimir de todo o pecado e nos dar uma chance de ir para o céu. Hoje é um bom dia Vamos todos nós se aproximar mais da cruz, estar mais perto de Jesus e preservar nossa vida de toda perdição e corrupção que o mundo oferece.

"Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem".(Mt 7:13-14)

JS

 

sábado, 17 de novembro de 2012

Pausas - II

Oláaaaaa

        Depois de algum tempo de "Pausas", colocarei a continuação dessa linda mensagem graças ao meu calendário (no verso de cada mês a uma palavra de motivação e "Pausas" foi uma delas). Nunca tinha observado como a pausa na música, tão necessária, é como a pausa de Deus nas nossas vidas. Pausa, não fim de tudo :)

********

         Podemos ser tentados a pensar que só existe música enquanto algum instrumento está soando. Grande engano!
         A música é o ajuntamento harmonioso de sons e silêncio, cada um no seu lugar, produzindo um efeito específico conforme o propósito do compositor. No lugar errado, porém, abafam, ou até anulam, esse efeito. Assim, a pausa também é música. Só porque em algum ponto há silêncio, não significa que a música terminou. Os momentos em que Deus nos coloca em pausa também não significam que a obra de Deus em nós, e através de nós, parou. Preste atenção na partitura que o Grande Compositor lhe entregou -  a bí8blia, e preste atenção também, muita atenção, nas mãos do Maestro, o Espírito Santo. Cedo ou tarde ele apontará para você, lhe dizendo para entrar em ação conforme está escrito no livro da música da vida, e então é hora de voltar a agir. 
          Podem ser umas poucas e suaves notas ou trechos de difícil execução, tudo tem sentido na obra do Criador. Talvez haja momentos em que Deus lhe diz para ficar em segundo plano ou até em silêncio. Não desanime! Vá seguindo as orientações escritas na sua Palavra e tenha certeza de uma coisa: a obra de Deus não terminou. Descanse, aprecie a música dos outros à sua volta e espere em Deus. Ele continua operando nas pausas, talvez até mais do que quando você tocava febrilmente uma sucessão de notas. 
          Descanse na certeza de que aquilo que Deus começou não terminará em um vazio sem sentido, mas levará todos para o "Grand Finale" e o tão desejado aplauso final." JB

Curtiu o Blog? Registre aqui!