quarta-feira, 29 de junho de 2011

29º. Dia – Líderes, vamos conversar

Portanto ide, fazei discípulos...   
Mateus 28.19
       Gostaríamos de convidar a você que é líder, a uma importante reflexão neste assunto delicado.
Antes mesmo de escrevermos o Diário de Oracão, percebemos uma necessidade urgente de jovens solteiros precisando de ajuda. Graças a Deus, mesmo sem ter uma área específica disso na nossa igreja local, lá  recebemos muita ajuda quando mais precisamos e é uma pena que muitas igrejas além de não ter um ministério voltado para jovens solteiros, não se preocupam com eles como deveriam.
Os e-mails que chegavam até nós eram de moços e moças se sentindo sozinhos porque não tinham uma liderança a quem pudesse confiar seu coração e confessar seus pecados. Eles eram parte de um grupo no qual se sentiam desprezados por causa do seu estado civil. A igreja para eles, se preocupava só com a família e como eles não tinham uma, seguiam com seus relacionamentos sem uma direção e aconselhamento. Quando sofriam, ninguém sabia o que tinha acontecido. Quando um líder sabia de algo, o jovem já havia tomado decisões precipitadas, estava “detonado emocionalmente” sem ter um conselho amigo. 
       Quando não eram desprezados, entravam despreparados no casamento. Conhecemos vários jovens que se casaram cedo e sem estrutura porque infelizmente não havia ninguém que pudesse ajudá-los. Muitos deles já vinham de um lar desfeito, sem uma referência de pai e mãe, o que nos traz uma responsabilidade ainda maior para sermos pais, mães, psicólogos, etc. Ter alguém dentro da igreja que pudesse ouvi-los, guardar em segredo o sofrimento que tinham, era um luxo e uma raridade encontrar. Quando não encontravam alguém assim, iam para o mundo se aconselhar com as amizades que tinham (Infelizmente nem sempre as amizades dão bons conselhos). Muitos jovens acham uma “novidade” quando ouvem falar que existem igrejas preocupadas com a condição em que se encontram.
Percebemos então que as principais queixas são:
- Na igreja que estão não há um ministério para “solteiros”
- Não recebem acompanhamento de um líder
- As programações da igreja são voltadas para a família, inclusive a do dia dos namorados. Eles sentem falta de uma programação voltada pra eles.
- Os líderes não são confiáveis ou não dão abertura
- Ao conversarem assuntos muito pessoais como sexo por exemplo, os jovens tem medo de serem vistos com “outros olhos” pela igreja
Sentimento dos jovens em relação ao namoro: 
- Sentem-se sozinhos, desanimados e/ou frustrados principalmente se passaram dos 30 anos
- Acham que fizeram algo de errado ou se culpam por não ter alguém
- Sentem-se cobrados e jugados pela igreja e familiares
- Muitas vezes esse mesmo sentimento não são só jovens, mas pessoas casadas, porém, deixadas pelo seu conjuge
      
Sendo assim, é justo fazermos as seguintes perguntas a nós mesmos:
- Como tenho cuidado daqueles que estão sob minha liderança?
- Será que conheço mesmo as necessidades dos meus liderados?
- Que razões eu posso dar para que não confiem  em mim ou que pensem que não dou abertura para diálogo?
- O que posso fazer para mudar isto?
          Embora esses pontos foram levantados somente por e-mails, não é reconhecidamente uma pesquisa, vale a pena ficarmos mais atentos com os liderados que temos. Um bom líder não é aquele que sabe tudo, mas que tem o coração ensinável, pronto para servir. Jesus não nos chama para fazermos pastores, líderes, cantores, etc, mas sim, discípulos para cuidar de pessoas, trazendo-as para a família de Deus e é isso que temos que fazer.
Para meditar:  Romanos 12.13, Mateus 28.19, Salmos 68.6
Indicação de livro: As 5 linguagens do amor para solteiros - Gary Chapman - Ed Mundo Cristão
Indicação de filme:  Para salvar uma vida

Curtiu o Blog? Registre aqui!