domingo, 4 de outubro de 2015

O melhor de seus frutos


Olá pessoal, que o coração de vocês sejam cheios da paz que excede todo o entendimento!

Esses dias de madrugada Deus me fez meditar em um texto: Gênesis 4:1-7.

Aqui vemos a história de Caim e Abel.  Sei que muitas pessoas falam sobre eles no contexto de Caim assassino  e Abel o irmão bonzinho.

Bem, quem é que não tem um irmão? No meu caso eu tenho dois, o Reinaldo e o Ricardo. O Reinaldo é o do meio e é um rapaz bonito, (solteiro por enquanto rs), mas que não é de falar muito e se preocupa bastante com as pessoas. Já o Ricardo, é um pai de família, muito extrovertido e extremamente generoso com as pessoas. São meus irmãos e claro, distintos em suas qualidades e jeito de ser.

Agora, vejamos algumas características dos dois irmãos Caim e Abel:

Caim era fazendeiro e foi assassino; não tinha domínio sobre o pecado. Era ciumento e egoísta pois o melhor ele queria para ele.

Abel era pastor de ovelhas; generoso, cuidadoso, caprichoso e não se apegava as coisas. Dava o seu para Deus.

Observando os versículos 3 e 4, Deus me mostrou estas características de cada um deles. Mas, vamos observar sobre a oferta de cada um deles. Caim deu fruto da terra pois ele era fazendeiro já Abel, deu uma ovelha para Deus pois era pastor.

Será que o Criador que fez o mundo em 7 dias estava precisando de algo, como um vegetal ou uma ovelha ou um sacrifício de gordura? Porque então Deus se agradou da oferta de Abel e não na de Caim? As vezes pensamos que Deus gostava de uma boa churrascaria, ele não gostava de vegetais. Já pensou Deus falando algo como: “não me traga isso pois não gosto do sabor de sua oferta”. Esse não é nosso Deus.

Caim trouxe para Deus o fruto da terra. Ele plantou a semente, regou e cuidou. A semente cresceu e assim deu o seu fruto. Já imaginou o tempo que ele gastou ou investiu na sua plantação? Creio que foi um bom tempo para assim pegar o melhor e dar para Deus. Em nossas vidas, fazemos quase o mesmo: plantamos, cuidamos, regamos, os frutos crescem e na hora da colheita, não damos o melhor para Deus. Isso não tem a ver com dinheiro necessariamente pois nossa vida deve ser uma oferta para Deus todos os dias.

Já Abel levou a gordura e as primeiras crias do seu rebanho pois era pastor. Imagine o seguinte: uma ovelha para chegar numa idade “adulta” para se reproduzir são aproximadamente com 18 meses de vida. Quando ela entra nessa fase, em caso de reprodução, é preciso aguardar mais 5 meses, período de sua gestação, para então dar a luz a sua cria. Com isso, podemos imaginar, quanto tempo Abel precisou esperar para dar sua oferta ao Senhor. Mas a atitude dele foi diferente de seu irmão pois ele deu o primeiro para o Senhor foi o seu melhor para Deus.

Deus não queria nem saber de ovelhas. O que ele queria era ver o coração deles. Fico imaginando Deus olhando para Abel e falando para os anjos que Abel o ama, que se preocupa com Ele e que quer dar o melhor dele, o principal. Deus é tão bom que no versículo 7 Ele fala para Caim que se ele agir da mesma forma, ele seria aceito e Deus ainda dá um conselho: “Não deixe o pecado te dominar”.
Infelizmente Caim não ouviu a Deus.

Essa história é bem interessante: dois irmãos com o mesmo motivo de dar uma oferta, porém, com ações diferentes.

O que podemos oferecer a Deus? Será que temos algo para oferecer para ele que Ele já não tenha? O que nosso Deus tem interesse em nós, não é sacrifício e sim obediência em demostrar nosso amor para com Ele com nossas ações.

Que hoje você se desafie nisso: oferte seu melhor para Deus.

Renato Sales

Curtiu o Blog? Registre aqui!