sábado, 26 de julho de 2014

Diário de Oracão 20º Dia - Estamos em guerra


-->Verta o balsamo
E a ferida sarará
Protege-o com o teu manto de amor
O pão partiremos sim
Descanso lhes dará
E toda angustia sairá
Não deixe fiéis soldados feridos morrer

Você já assistiu algum filme de guerra? Particularmente não sou muito fã e por isso não consigo assistir a muitos. Choro em todos. A guerra é muito deprimente, dramática e real.  Ela deixa marcas, cicatrizes.
Ali os soldados vivem seus conflitos longe de famílias, se sentem sozinhos e na esperança de um amanhã melhor. Precisam estar atentos o tempo todo, de vigia, guardando o território e a vida uns dos outros. Os soldados sabem que podem ser surpreendidos a qualquer momento por uma bomba e sabem que podem morrer. Mas eles também sabem que a volta para casa é um prêmio e lutam para sobreviver. Enquanto isso, eu torço que pelo amor de Deus o filme tenha um final feliz com todos os soldados vivos e inteiros até o fim.
Mas um cenário de guerra tem muito a nos ensinar. Na minha mente fértil comecei a imaginar que todos nós somos soldados e estamos em guerra. Somos parte de um grande exercito, o do Senhor dos Exércitos. Até que Ele venha há uma causa pela qual lutar: guardar e sarar os soldados que estão perto da gente.
Vivemos nossas vidas trabalhando, estudando, se relacionando com pessoas e enquanto isso, Deus dá sua ordem de comando aos seus anjos a nosso respeito, para que nos guardem. Os anjos de Deus nos guardam, mas os anjos caídos, demônios, estão a espreita aguardando alguma brecha, alguma oportunidade, alguma falha da nossa parte para entrarem em ação e destruir tudo o que for possível, como um tsnunami avassalador.
            A bíblia diz que nossa luta não é contra a carne e o sangue. É uma guerra invisível mas real. Não são as pessoas. Sua luta não é contra as pessoas que você conhece, que feriram você. Precisamos enxergar além, afinal, somos bem mais espertos do que pensamos. Deus nos fez assim! Vivemos por fé e não por vista, pelo menos, os filhos de Deus. Sendo assim, sua luta é mais séria, mais profunda. Sua luta é espiritual e para vencer, vai demandar de você mais fé e mais preparo, usando a armadura de Deus para os dias maus que fomos alertados que viriam:
Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.
Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça;
E calçados os pés na preparação do evangelho da paz;
Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.
Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;
Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos,

Efésios 6:13-18
            Como um grande exército há outros soldados lutando a mesma luta conosco. Todos querem ir para o céu, o lugar de descanso preparado por Deus. Dessa forma, a irmandade, os relacionamentos que criamos aqui com nossos irmãos devem ser defendidos a todo custo, com toda a nossa força para honrar o sacrifício do nosso maior comandante, Cristo. Não podemos deixar os outros soldados para trás. Juntos, fazemos muito mais e mais forte do que faríamos sozinhos. Juntos podemos ganhar a guerra. Juntos, temos com quem celebrar. Juntos é mais gostoso sorrir a vitória.
            Mas há soldados no meio de caminho que estão sendo deixados para trás. Estão feridos e precisam de médicos. As bombas, os misseis vem de todos os lados. Alguns estão bem, mas outros foram atingidos. Soldados do nosso exercito precisam ser curados para que todos juntos, completemos a missão designada e possamos voltar para aqueles que amamos; possamos voltar pra casa.
            Imagine este cenário acontecendo agora mesmo. Você pode ser o soldado que está bem, mas pode ser o soldado ferido também.
            É mais fácil achar que o nosso problema é maior do que o do outro, quando não criamos uma proporção maior do que o que é de fato. Não que o seu problema não seja sério, mas há outros soldados que precisam de você. Não é hora de se melindrar. É tempo de pegar a força que nos resta e fazer algo de valor: deixarmos de ser o centro das atenções, o centro do “problema” e ajudar nosso irmão a se curar.
            Não se engane, para Deus todo mundo é recuperável. Olhe para você. Agora, olhe agora para quem você vai resgatar.  
Para meditar: Efésios 6

Curtiu o Blog? Registre aqui!