sábado, 19 de julho de 2014

Diário de Oracão 13º Dia - Quem não serve, não serve

Tua verdade é a luz
Que me conduz para o céu
Tua Palavra é o remédio
Que cura todo o meu ser....


Servir: Estar a serviço de; prestar serviços a / Prestar serviços; ser servo ou criado / Retribuir com boas obras a quem nos fez benefício ou favor /  Ser imitado ou digno de ser imitado por / inspirar a prevenção de um mal futuro /  Aproveitar-se de, usar, utilizar-se de. / Aproveitar, convir, ser útil / Agradar, satisfazer

Eu acho que Deus estava super empolgado quando nos criou! Imagine as ideias que Ele teve quando colocou um dom dentro de cada um de nós!
Todos nós fomos chamados para servir a Deus e as pessoas. A partir do momento que temos um relacionamento com Cristo e passamos a amá-lo com todo o nosso coração e força, servir a Ele e as pessoas será a coisa mais natural e alegre do mundo. O servir não se torna um peso, uma obrigação, mas uma alegria, um privilégio. Serviço = amor.

O Senhor quer que sejamos felizes no dom que recebemos e que tenhamos sucesso em nossa trajetória de vida. Isto não quer dizer que o foco é em nós, mas em Cristo. Precisamos servir aos outros como a Deus e não há homens e sermos  frutíferos também no nosso chamado, ou seja, o que amamos fazer. Mas eu acho sinceramente também que servir alguém, ao longo dos anos se tornou a maior confusão para as pessoas, um jogo de interesses para falar a verdade, que trouxe ferida para o coração da igreja.
Se não estarmos alinhados na palavra trataremos as pessoas como objetos ou servos pessoais. Já ouvi pessoas dizerem que “quem não serve, não serve”, ou seja, “não serve para o que eu quero então não serve pra nada”. Do meu ponto de vista não há nada que descarte mais as pessoas  do que esta afirmação se eu crer em um Deus jamais nos abandonaria e nos descartaria. Ele não nos trata segundo os nossos pecados (Salmos 103.10) e a cada dia sua misericórdia se renova nos dando oportunidades de mudança. Foi assim comigo, com você e com o ladrão da cruz.
Quando eu digo que “se eu não sirvo, não sirvo” estou dizendo, “não sirvo no que esperam de mim, então estou desqualificado”, “inadequado” e portanto o sentimento de pertecer a uma família deixa de existir e “quem me aceitar como estou é com este que vou me relacionar, mesmo que para isso eu tenha que sair da igreja”. Infelizmente o mundo abraçará esta pessoa em um dos momentos mais difíceis de sua vida.
Em minha caminhada cristã já observei muitas coisas. Conheci uma pessoa que queria participar da área musical de uma igreja mas isto só seria possível se ela seguisse a regra X, válida para os novos e não para quem já estivesse no grupo. O que não sabiam, é que essa pessoa já tinha seguido essa regra por alguns anos na sua antiga igreja local. Ela teria que recomeçar todo o seu caminho, se quisesse servir naquilo que nasceu pra fazer (e só os novos, não os demais).
Se as regras existem, devem ser obedecidas. A regra deve funcionar para trazer organização e pessoalmente penso o seguinte: regras são regras. São como as leis do país: vale para os nativos, vale para os estrangeiros. Vale para os novos. Vale para todos. Se isto não acontece, a organização que deveria ocorrer, dá espaço para confusão.
Já conheci também pessoas que tem o desejo de pregar mas não podem porque ou não tem formação teológica, ou não são carismáticas ou ainda não são “famosas” no meio. Acabam se acostumando com uma vida infeliz de apenas assistir aos cultos e ainda são taxadas de que não querem servir, de "sem compromisso". Ninguém as procuram para ajudar, saber o que acontece ou pelo menos ouvir o alento do seu coração.
(Todos nós deveríamos conhecer mais as pessoas que não são evidentes, populares nas nossas reuniões. Aquelas que falam pouco, que se sentam nas ultimas fileiras ou com poucos amigos. Descer um pouco “do salto”, do púlpito e ter contato real com pessoas, com a realidade delas. Pessoas assim são muito observadoras. Você vai aprender muito com elas e se surpreender com as coisas que elas podem te contar).
Na igreja é muito comum haver pessoas que vem de famílias desestruturadas. Elas já chegam feridas na alma e tentam preencher o vazio de desestruturação do seu lar. Na igreja esperam encontrar o que não encontram em casa, muitas vezes amor. Se não se sentem parte da família na própria casa, elas esperam se sentir na igreja. Se sentimentos de inadequação percorrerem em sua vida cristã, esta pessoa vai achar que nunca será boa o suficiente para Deus. Passará a vida tentando atingir um padrão de perfeição que as pessoas definem ser o que agrada a Deus e se ela não conseguir se frustrará e aquela ferida lá traz que não foi curada, a esta altura estará muito maior e talvez muito mais difícil de tratar.
Precisamos clamar para o Médico dos médicos vir e visitar sua igreja urgente!
Por mais que amemos fazer determinadas coisas, é lógico que existem outras que a gente não gosta mas que precisam ser feitas. Se precisam de mim em alguma tarefa, porque não fazer se estou disponível? Eu por exemplo não sou apaixonada por cozinhar. Faço o básico mas não posso dizer que nasci pra isso, mas se eu não fizer, morro de fome. Entretanto, mesmo se faço o que não gosto porque é preciso, também não posso deixar uma vida inteira passar sem experimentar o que é fazer o que se gosta, viver o chamado, senão, um dia você acordar, vai perceber o quanto fez o trabalho dos outros, vai envelhecer, ver quanto tempo se perdeu no caminho e quando você puder finalmente fazer o que gosta, pode não ter mais o ãnimo e o vigor de antes para executar o que sempre sonhou fazer. Parece um horror né mas pense nisso. O tempo pode ser cruel se deixarmos. Ele não volta pra ninguém.
Se afirmamos que “quem não serve, não serve”, estamos anulando o sacrifício de Jesus porque Deus olha pra nós em quem podemos ser graças a Cristo e não segundo as nossas obras. Nossas obras para Deus são trapos de imundícia e graças a Jesus temos uma chance de nos achegar a Deus. Todas as manhãs as misericórdias se renovam, Deus nos da uma nova oportunidade e podemos confiar Nele e no seu amor que é verdadeiro. Podemos amá-lo com tudo o que temos e somos sabendo que nao seremos rejeitados e consequentemente o serviremos sabendo que Ele e não homens nos recompensará.
Se cairmos, Deus nos levantará para servir de novo. Pessoas movidas por um coração compassivo e cheio do Espirito Santo não dão lugar a manipulação e com os olhos da fé, sempre vão acreditar que podemos recomeçar e em amor, caminhamos rumo ao céu. A mudança começa em nós e nosso exemplo, ou deixa pelo menos uma história, ou pode mudar o mundo.
Lembrem-se de Jesus lavando os pés dos seus discípulos. Ele deixou seu exemplo para fazermos igual. Ele lavou nossos pés para que servíssemos, lavássemos os pés uns dos outros. Há muito o que aprender e se fazer.

Para meditar: Lc 23.39-43 / Lm 3.22-26 / Salmos 100 / João 13 / Efesios 6

Curtiu o Blog? Registre aqui!