terça-feira, 8 de julho de 2014

Diário de Oracão 2º Dia - Rejeitados no ambiente “de Deus”

O que vem pra tentar ferir
O valente de Deus
Em meio às suas guerras...
“E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas,  outros para pastores e mestres, com vistas ao aperfeiçoamento dos santos...”
Efesios 4.11-12

          Em nome de Deus, pessoas buscando auto promoção ou interesse próprio, agem como tolos. Falam que Deus falou quando Ele não disse nada simplesmente para serem servidas. Existe aquelas pessoas que buscam a direção de Deus genuinamente, mas pecam no trato com as pessoas.
          Conheci uma jovem que dedicou mais de 10 anos de sua vida em uma igreja
local. Lá ela era parte do ministério de louvor e naquela igreja onde ela passou parte significativa da sua juventudade, se casou e teve seu bebe. Conversando com ela, ela me relatou que o grupo era muito desorganizado e este não se importava muito em melhorar. Esta jovem tinha um grau de instrução um pouco melhor que a maioria, então a qualidade do grupo que ela imaginava pra eles era muito superior ao que as pessoas de la entendiam como melhoria.
Ela apresentou para o líder ideias, projetos que ppoderiam ajudar na organização do grupo e de ajuda-lo a crescer. Ele por sua vez nao se importou muito. Ela sonhava um dia em ministrar o louvor, coisa que nunca aconteceu enquanto esteve lá. Conversando com o líder varias vezes apresentando suas necessidades, seus sonhos e sua colaboradoração para o grupo, nada evoluía. Tempos mais tarde, depois de tentar de tudo, de todas as conversas, ela decidiu deixar o grupo. O líder nao disse nada além de “tudo bem, você pode sair”. Simples assim, não depois de 10 dias no grupo, mas, muito mais de 10 anos em um lugar.
A questão não era que ela era melhor e eles não. A questão era o saber ouvir cada um, entender sua aflição e pelo menos tentar o que ela estava propondo. E os anos que ela dedicou? E as ideias de contribuição? Anos dentro de um grupo que não era uma família. Na primeira oportunidade ela não era mais útil. Foi deixada de lado enquanto que a vida segue.
Ela mudou de igreja. Saiu de cabeça erguida, evidentemente ferida. Ela tem contato com as pessoas de la, mas obviamente o relacionamento nao foi mais o mesmo. Hoje, está feliz onde está congregando.
O interessante nisso tudo é que somos ensinandos a respeito dos dons, de como usá-los no reino, mas se as pessoas usam os dons ou tentam fazer um trabalho que entendam ser o excelente, são barradas e assim ficam insatisfeitas. Sao convencidas a fazerem outras coisas que nada tem a ver com o que elas nasceram pra fazer e a medida que o tempo passa, o vazio, a insatisfação cresce. A pessoa é útil desde que não se destaque. O líder se sente ameaçado pelo tanto ou maior destaque do outro, e na posição que se encontra, muitas vezes ferido também, o que faz? Barra esta pessoa. Cria-se um circulo vicioso. A pessoa infeliz o que faz? Se sente desvalorizada, desmotivada. Por outro lado, um olhar mais positivo, se não há insatisfação não há mudança e as vezes é fundamental a insatisfação ocorrer para nos tirar da zona de conforto e melhorar o que está ruim.
Infelizmente nisso tudo quem perde mesmo é o reino de Deus. Quando não há cura fica quase que impossível alcançar outras pessoas pra Cristo, porque tanto quem está ferido, quanto quem feriu estão ocupados demais com seus interesses, ainda mais se não reconhecem que precisam da cura e da direção divina urgentemente.

Para meditar: Efesios 4.1-15

Curtiu o Blog? Registre aqui!