quarta-feira, 16 de junho de 2010

Diário de Oração: 16º dia – Triângulo amoroso

Porque não passa de um momento a sua ira; o seu favor dura a vida inteira. Ao anoitecer, pode viro choro, mas a alegria vem pela manhã
Salmos 30.5

          Me lembro de alguns anos, de um moço que se tornou um amigo muito próximo. Tão próximo que passei a gostar dele.

          Ele era o cara problema que meu pessoal não gostava muito, mas era do nosso convívio. Era diferente dos outros que eu tinha conhecido, conforme compartilhei antes. Então, nós saíamos juntos, nos divertíamos, assistíamos filmes juntos, enfim, tudo o que fazíamos era junto. Ele inclusive queria que eu aprendesse a dirigir e obviamente pegava o carro emprestado do meu pai para me ensinar. Minha mãe não gostava muito dele e para meu pai ele “nem fedia e nem cheirava”. Para mim então, estava tudo bem. Tentei passar no Detran por causa dele e não consegui. Me sentia frustrada.

         Com o tempo ele comentava algo do tipo: “Jack, você precisa dirigir. Jack você precisa ser mais loira. Jack eu gosto de loiras sabe, tipo surfista. Gosto de loiras e gostosas”. Ele não era um garoto mau, mas quando eu ouvia aquilo eu ficava muito triste porque eu não passava de uma magrela com cabelo escuro que não sabia dirigir. Eu achava que se fosse tudo aquilo, ele iria gostar de mim.

          Com o tempo, acabamos “ficando”. Trocamos um beijo mas foi só. Eu me senti super pecadora pois eu era uma ministra na casa de Deus e quando menos esperei, estava “ficando com um cara que se dizia crente”. Me senti muito mal porque além de tudo eu estava muito carente e caindo na dele, afinal ele ainda era meu amigo. Nessa mesma época, surgiu uma outra menina, muito bonita e legal, que se tornou minha “amiga”.

          Bom, como a gente não namorou nem nada, esse meu amigo começou a trocar muitas idéias com essa minha “amiga”. Até que eu soube que eles estavam se gostando, tipo assim, os dois se gostavam e de repente ninguém estava nem aí pra mim.

          Meu coração estava em frangalhos e eu realmente fazia de tudo para ele gostar de mim. Um belo dia, depois um bom tempo, conversamos e ele disse que numa mesma noite, ficou comigo e com a outra. Pode?

          Era uma mistura de raiva e tristeza que me consumia noite e dia. Eu não podia imaginar, ele com a outra, quando antes todos nós éramos amigos. Agora, eu queria assassiná-los!

          Eles namoraram e como eu vi que eu era a única prejudicada, eu realmente quis que Deus falasse comigo. O Senhor falou e percebi que ele não gostava de mim, porque senão, ele gostaria do jeito que eu fosse.

          Essa foi talvez uma das situações mais difíceis que tive que superar e lembro que aquele foi o ano em que mais chorei. Vê-los felizes, alegres e contentes enquanto eu estava detonada, com todo mundo a sua volta te observando, comentado, criticando, foi uma experiência muito dolorosa. Se não fosse pela graça de Deus e por pessoas de oração na minha vida eu jamais teria superado isso.

          Hoje, até onde eu sei, a outra menina está casada com um rapaz que não é cristão. Ele, ainda é meu amigo, não como antes. Mas fico feliz em ver, ao longo dos anos, a obra de Deus na minha vida e na vida dele também pois em breve ele se casará com uma moça linda e de Deus (que não é loira..rs). Não há nada que o tempo não nos ensine.

         Quando a gente pensa em triangulo amoroso, pensamos sempre num relacionamento envolvendo 3 pessoas. Hoje, eu vejo que todo triangulo amoroso deve ser entre duas pessoas e Deus. Deus tem que ser o centro de tudo, de todas as decisões em um namoro. Pense nisso ao se relacionar. Se você está numa situação como esta, ore ao Senhor. Entregue este relacionamento à Deus e peça para que ele guie a sua vida daqui pra frente.

Palavra devocional: Salmos 30

Canção para meditar: - Todas as coisas (Fernandinho)

Sugestão de leitura: Temperamentos controlados pelo Espírito Santo (Tim Lahaye – Ed Loyola)

Curtiu o Blog? Registre aqui!