domingo, 13 de junho de 2010

Diário de Oração: 13º dia – Cuidado com o que você fala

A morte e a vida estão no poder da língua; o que bem a utiliza comerá do seu fruto.
Provérbios 18.21

"Boa noite, Jack!
Eu li um texto seu no Lagoinha.com, Quero te dizer o quanto Deus te usou ao escrever sobre esse assunto. Ouço muito isso e só Deus sabe o quanto esse tipo de comentário me dói... Quando eu tinha 18 anos, eu já sofria muito com essas brincadeiras e então apareceu um rapaz na nossa igreja que se interessou por mim. A princípio eu não dava bola pra ele, mas as pessoas da própria igreja me diziam coisas como: “Você está escolhendo muito, vai ficar pra titia...” ou “No seu caso, nem com jejum”. De tanto que essas palavras me feriram , eu acabei dando uma oportunidade para este rapaz, um mês depois, sabe o que aconteceu? Ele me estuprou. Depois disso, as mesmas pessoas que me incentivaram a ficar com ele disseram: “Bem que eu avisei, esse cara não era boa coisa... Ele era santinho demais.” Depois de tudo isso nunca mais confiei em ninguém e não consigo mais acreditar no amor de outra pessoa, além do amor de Deus. A minha família e a igreja não tem conhecimento dessa minha história. Atualmente, há um rapaz de outra igreja que gosta muito de mim, até veio falar com a minha família. Mas não consigo correspondê-lo, apesar de eu não ter dúvidas da pessoa temente a Deus que ele é. Sinceramente, não consigo mais ter esperanças de um dia me casar e ter uma família. Quero deixar este testemunho para que as pessoas saibam o quanto as palavras podem devastar a vida de uma pessoa. Por fora, eu tentava levar na brincadeira, mas por dentro isso me feria profundamente. Até hoje ainda escuto essas coisas, principalmente nesta época de dia dos namorados. Virei motivo de piada na minha igreja por ser a única que não está namorando. Que o Senhor continue te usando e fazendo de você uma fonte de benção".

          Esse "tristemunho" me faz lembrar de que sempre as pessoas vão nos cobrar: ou por namoro, ou casamento, ou filhos ou qualquer outra coisa. Eu por exemplo, já fazem praticamente dois anos que me casei ainda e me cobram por filhos. As pessoas não entendem a questão do tempo de Deus nas áreas da nossa vida.

         É impressionante o poder das nossas palavras. Com elas podemos tanto abençoar quanto destruir alguém. Como é terrível a palavra mal falada, no tempo errado, com as palavras erradas.

          Fico me perguntando se esta moça, se fosse da minha família, como reagir. O que dizer? Como acolhê-la? As vezes faltamos com o respeito com alguém, quando nos esquecemos que aquela pessoa é uma serva de Deus. Mesmo se ela não fosse, a bíblia tem tantos textos que nos ensina sobre a língua, e em provérbios 18.21 diz que a morte e a vida estão no poder da língua, e quem a utiliza comerá do seu fruto. Comeremos o fruto daquilo que falamos, daquilo que liberamos no mundo espiritual.

          Fazemos brincadeiras de mau gosto, rimos as custas da pessoa, e ela por dentro, ferida e destruída, com um testemunho desses pra colar na nossa cara.

          Que a cada dia, possamos nos arrepender das nossas obras e das nossas palavras para que no final, não sejamos motivo de piada para o mundo, que precisa de Deus. Guardemos a nossa língua .Ore por alguns minutos neste momento apresentando a Deus as palavras que você tem liberado. Sejam elas boas ou ruins, ore para o Senhor te ajudar a controlar a sua língua para que você não a use senão para abençoar, Assim você poderá colher bons frutos dela.

Palavra devocional: Provérbios 18.21, Hb 10.23

Canção para meditar: Esperança (Diante do Trono)

Sugestão de leitura: Eu e minha boca grande (Joyce Meyer – Ed Joyce Meyer)

Curtiu o Blog? Registre aqui!