domingo, 6 de junho de 2010

Diário de Oração: 6º dia – Loiro, alto e de olhos azuis

"Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração."
I Samuel 16.7

          É muito fácil nos enganarmos. É muito fácil nós sermos seduzidos pelo que é bonito, de boa aparência. Tudo o que é belo nos atrai, mas o que é bonito para mim, pode não ser para você. Diante do Senhor todos nós temos nossa beleza pois fomos feito Sua imagem e semelhança. Embora não queiramos admitir, mas a beleza conta muito na hora de nos relacionarmos com alguém.

          Loiro, alto e de olhos azuis é só um tipo de estereótipo de beleza. Há muitos outros, mas por alguma razão, quando a gente olha nos sites de relacionamento, ou dentro da igreja ou numa paquera, sempre procuramos aquela pessoa com boa aparência. Buscamos aquela beleza aparente que nos faz ficar nas nuvens “se namorasse aquela pessoa....” Não há nada de errado em namorar ou querem alguém bonito, mas sua escolha não pode ser baseada simplesmente na beleza exterior. Uma escolha tem conseqüências, principalmente quando nos casamos.

          Há alguns anos, eu orava a Deus querendo um namorado loiro, de olhos azuis. Sempre achei muito lindo quem tinha olhos claros. Deus permitiu para minha quase “desgraça”. Eu orei com as motivações erradas e sofri com isso. Eu achava que ter um namorado bonito era o suficiente para eu me sentir bem.

          Este ex namorado tinha o apelido de “anjinho”, por motivos óbvios: além de tudo, ele tinha cabelos enrolados. A família dele sempre me tratava muito bem, mas depois de um tempo namorando, ele passou a arrumar motivos para brigarmos e pelo menos, uma vez por mês, terminávamos o namoro.

          Meus pais nunca foram a favor deste namoro. Mesmo assim eu insistia acreditando que meus pais é quem eram os errados, os “birrentos”. Quase não tive muitos amigos porque esse meu ex namorado era muito ciumento, mas eu não via assim. Chegou um tempo que ele não queria que eu fizesse faculdade pois pra ele eu iria “conhecer pessoas mais interessantes que ele”.

          Este ciúme passou a me sufocar aos poucos. Minha mãe dizia que se eu me casasse com ele, ele poderia me proibir de ver os meus pais. Aos poucos as escamas em meus olhos, começaram a cair, e comecei a ver verdadeiramente a pessoa com quem estava namorando. Mesmo assim, insisti no relacionamento.

          Minha mãe queria que eu namorasse um cara legal, como minha prima que tinha se casado com um cara legal. Essa minha prima e eu éramos muito parecidas em tudo, e nossas mães queriam a mesma coisa pra nós. Na época, minha prima conseguiu e eu não. Assim, houve um dia em que este meu ex namorado e eu, fomos visitar minha avó, e lá estava minha prima com seu marido, recém casados. Meu “primo”, cumprimentou meu ex com a “paz do Senhor”. Meu ex virou a cara e não deu a paz.

          Para mim, esta cena tinha ficado clara de que aquele namoro não era para mim. Mas ele era tão bonito por fora..., enfim, ficamos juntos 2 anos e meio e noivos. Um certo dia, brigamos e eu fiquei muito doente. Meu ex ficava muito na casa de um amigo nosso e quando eu soube que naquele dia ele estava lá, fui doente mesmo na casa desse amigo nosso. Era noite e quando cheguei lá, ele virou as costas para mim no meio da rua, e foi para a igreja. Terminou comigo e me ignorou. No dia seguinte, era dia dos namorados. Voltei na casa do nosso amigo pois eu queria voltar com ele. Ele não quis e jogou a aliança pra mim.

          Fiquei muito mal. Era uma mistura de tristeza e confusão que me envolvia. Eu não sabia como eu iria superar aquilo. Foi terrível pra mim. Minha prima, pra me ajudar, me convidou a passar um tempo na igreja dela, pelo menos até a “poeira baixar”. Lá conheci muitas pessoas especiais que me abençoaram. Quando eu já estava bem, adivinha quem me liga em casa? Meu ex namorado querendo voltar.

          Pra ele, não tínhamos terminado; pra ele o namoro estava em “crise” e queria “dar um tempo”. Eu simplesmente lembro de dizer: “Namoro de cristão não é de dar tempo: ou é ou não é”. E desliguei o telefone.

          Depois de uns 3 meses congregando com minha prima, resolvi voltar para minha igreja local pois não poderia sair daquela forma. Quando voltei, meus amigos me disseram que ele estava namorando uma nova pessoa. Até aí tudo bem. O problema foi que eu soube que ele tinha engravidado aquela moça.

          Eles se casaram. Por insistência de um amigo, fui no casamento deles e eles lógico, me ignoraram. Logo na festa de casamento houve confusão porque teve gente que se embebedou. A moça com quem ele se casou, era uma pessoa muito má, tão má a ponto de bater nele. Tudo o que ele plantou, no seu ciúme, do seu mal tratamento, no casamento ele colheu. Eles tiveram filhos e a última notícia que tive deles há alguns anos, era de que eles ainda tentavam se firmar na igreja.

          Sou grata a Deus que me livrou. Deus ainda foi bom comigo. Me deu um marido mais legal que o da minha prima, e de olhos verdes...rs

          A aparência pode mesmo nos enganar. Se não for a graça de Deus, Seu discernimento para nós, é muito fácil cairmos. Convido você a separar um tempinho agora. Ore ao Senhor neste momento para que Ele te dê discernimento. Para que você faça a melhor escolha no Senhor, baseada na Palavra e não em emoções ou opiniões dos outros.


Palavra devocional: I Samuel 16

Canção para meditar: Vaidade (Heloísa Rosa)

Curtiu o Blog? Registre aqui!