domingo, 7 de junho de 2009

Julgo desigual - Parte 2


Além da aparência
“Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as fontes da vida”.
Pv. 4.23

Deus pede que guardemos o nosso coração porque, dele vem o nosso sentimento, e o coração pode facilmente nos enganar. Quem entra em jugo desigual está desonrando a Deus e os planos que ele já tinha preparado para você. O único julgo que a palavra de Deus nos orienta a carregar é o de Jesus, pois seu julgo é suave e seu fardo é leve (Mt. 11.29-30).
"Mas ele é tão lindo. Na minha igreja só tem rapazes feios". Normalmente é uma das queixas entre os jovens então, para não ficarem sozinhos, acabam se envolvendo com aquele(a) rapaz (moça) bonitos, não importando se eles professam a mesma fé ou não que a destes jovens. A aparência é o que atrai. Para os meninos, é a princesa “mais bonita do mundo”. Para as meninas, é o príncipe em cima do cavalo branco”. Esquecem que o príncipe pode virar sapo ou o pior, pode ir embora deixando o cavalo branco pra elas.
Assim está escrito em Provérbios 19.2: “como não é bom ficar a alma sem conhecimento, peca aquele que se apressa com seus pés”. Isso quer dizer, que quando não temos conhecimento, pecamos porque nos precipitamos; nos apressamos na nossa ignorância. Em Oséias 4.14 também está escrito: “Eu não castigarei vossas filhas, quando se prostituem, nem vossas noras, quando adulteram; porque eles mesmos com as prostitutas se desviam, e com as meretrizes sacrificam; pois o povo que não tem entendimento será transtornado”. A palavra transtornado quer dizer: daquilo cuja ordem ou colocação foi alterada ou perturbada. 2 Desorganizado, malogrado. 3 Deformado, desfigurado. 4 Que não está em seu juízo normal; demente, perturbado. Com tantos alertas que a palavra de Deus nos dá e com tantas definições acerca do “transtorno” para aquele que age sem conhecimento, Deus deveria estar falando sério para vigiarmos em todas as áreas da nossa vida, inclusive, nos nossos relacionamentos e na escolha do nosso futuro cônjuge.
Uma vez, antes de me casar, tive uma experiência com o Senhor nessa área. No trabalho eu tinha conhecido um rapaz não cristão, mas que “acreditava em Deus”. Ele era boa gente, dava bom exemplo, era trabalhador e tinha um papo legal. Na minha igreja local eu não encontrava um “bom partido”, ou melhor, não encontrava partido nenhum. Para mim, minhas chances de me relacionar com alguém da igreja eram zero. Meus pais não eram cristãos e na igreja, eu ministrava o louvor. Me sentia pressionada a encontrar alguém, então resolvi tentar a sorte no “mundo”.
Saímos uma vez e minha conversa gerava em torno da palavra de Deus (não temos noção de como nosso falar pode ser benéfico. A palavra de Deus diz que a boca fala do que está cheio o coração). Perguntava sobre o que ele pensava a respeito de Deus, da igreja, se estaria disposto a freqüentar minha igreja local junto comigo e eu só recebia respostas evasivas; nada que me convencesse de que aquele relacionamento valeria a pena.
Em outro dia, marcamos em num, domingo a tarde de a gente se encontrar e eu tinha em meu coração chamá-lo para ir a igreja. Naquele domingo de sol, antes de sair, orei ao Senhor pedindo uma direção ao Senhor e abri a palavra. Li exatamente, a passagem: "Vês aqui, hoje te tenho proposto a vida e o bem, e a morte e o mal; Porquanto te ordeno hoje que ames ao SENHOR teu Deus, que andes nos seus caminhos, e que guardes os seus mandamentos, e os seus estatutos, e os seus juízos, para que vivas, e te multipliques, e o SENHOR teu Deus te abençoe na terra a qual entras a possuir. Porém se o teu coração se desviar, e não quiseres dar ouvidos, e fores seduzido para te inclinares a outros deuses, e os servires, Então eu vos declaro hoje que, certamente, perecereis; não prolongareis os dias na terra a que vais, passando o Jordão, para que, entrando nela, a possuas; Os céus e a terra tomo hoje por testemunhas contra vós, de que te tenho proposto a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe pois a vida, para que vivas, tu e a tua descendência, Amando ao SENHOR teu Deus, dando ouvidos à sua voz, e achegando-te a ele; pois ele é a tua vida, e o prolongamento dos teus dias; para que fiques na terra que o SENHOR jurou a teus pais, a Abraão, a Isaque, e a Jacó, que lhes havia de dar" (Dt 30.15-20)
Paulo também diz que todas as coisas são lícitas mas nem tudo convém. Pela aparência eu não via problema nenhum, mas nós, observamos o presente e nem sempre nos preocupamos com o futuro. Fico pensando no que o Senhor me livrou, no que renunciei não deixando me levar pela aparência, para que hoje eu pudesse desfrutar de um casamento abençoado no Senhor.

Curtiu o Blog? Registre aqui!