quarta-feira, 20 de maio de 2009

Todos podem adorar!


Em Mt 27.51 está escrito que quando o véu se rasgou em dois, de alto a abaixo, a terra tremeu e as pedras se fenderam. Para mim este foi o toque do shofar de Jesus dizendo “Pelo meu sangue, todos tem livre acesso a adorar ao Pai para sempre e livremente”

Conforme o tempo vai passando, todos podem conhecer o cuidado do Senhor, quando Ele se revela fiel em todos os nossos anos. Muito sangue de homens e mulheres de Deus foi derramado para que hoje, pudéssemos conhecer a Verdade, sermos libertos dos nossos males, e assim, adorar ao Senhor. Associamos adoração com música, quando isso tem pouco a ver. Vai muito mais além de melodias. Adoração é posicionamento em fé; é ação e parte essencial do nosso dia a dia, que nos prova o quanto amamos a Deus. Mas é verdade também que as vezes nos sentimos tão incapazes, não sabemos demonstrar nossa gratidão ao Pai e nos perguntamos como podemos adorá-lo?
Podemos adorar ao Senhor nas nossas lutas, servindo ao necessitado, servindo na casa do Pai. Podemos adorá-lo quando somos submissos, não aceitando a rebeldia no nosso meio, buscando a paz com todos. Podemos adorar ao Senhor no nosso trabalho deixando a marca do nosso bom testemunho, quando não mentimos e não somos hipócritas, no nosso relacionamento com os amigos, familiares e nosso cônjuge. Podemos adorar ao Senhor pedindo perdão, perdoando nossos ofensores e guardando a nossa língua. Podemos ir “além do véu”, indo nas extremidades da Sua presença e saber que Ele está lá pronto para ser reverenciado; pronto para nos ouvir. Podemos adorar ao Senhor tratando todos como amigos, quando sabemos que no nosso meio há um traidor. Podemos adorar ao Senhor seguindo o exemplo de vida que Jesus nos deixou.
Podemos adorar ao Senhor quando estamos no deserto, quando somos provados. Podemos adorar ao Senhor quando “matamos” a nossa carne e o louvamos mesmo que a vitória ainda não tenha chegado. Podemos adorá-lo quando somos gentis uns com os outros e quando buscamos e agimos na justiça. Podemos adorar ao Senhor no secreto do nosso quarto onde só Ele nos vê. Podemos adorá-lo quando nos humilhamos debaixo de sua potente mão pois sabemos que um dia, Ele cuidará de nos exaltar.
Adorar ao Senhor é um processo diário de uma transformação de dentro para fora. Quando somos transformados de glória em glória isto nada mais é que um reflexo do efeito da adoração na nossa vida, pois onde está o Espírito do Senhor, há liberdade. Quanto mais adoramos ao Senhor, mais nos enchemos Dele e mais somos livres e com mais liberdade, podemos adorá-lo mais intimamente e intensamente. O que ouvimos, olhamos, tocamos e falamos também provam o quanto O adoramos. Porém, a adoração pela metade, por interesse, sem motivação, com a motivação errada, sem que seja em Espírito e verdade, que valor tem? Adoração não é usarmos palavras bonitas, que “funcionem” na aparência. É tirarmos a nossa máscara diante do Senhor, nos confessarmos e nos arrependermos das nossas obras vergonhosas e más.
Adoração é respeitar o ser humano na sua totalidade, na sua língua e cultura porque Jesus o amou e morreu por ele também. É olharmos o mundo sob a ótica de Deus e sentir o que Ele sente. É romper as 4 paredes da igreja que freqüentamos e amar como Ele ama. É ter um coração missionário e cheio de compaixão voltado para as pessoas e fazer de tudo para que o perdido, o desesperado, o suicida e doente, conheça a Jesus. Adoração é respirar, ser movido pelo Espírito Santo em tudo o que fazemos porque quando adoramos a Deus, não só o cultuamos, nós o reverenciamos, o veneramos, o amamos extremamente, o idolatramos. Talvez por isso essas simples definições descrevem o valor que o Senhor deveria ter em nossos corações. Quem pode adorá-lo? Quem pode se achegar a Ele, tão grande e poderoso?
Todos nós! Com a morte de Jesus, temos o livre acesso a Ele e assim, como humanos e errantes, sejam autoridades e servos, ricos e pobres, temos o privilégio de poder adorar ao Criador.

Em Cristo

Curtiu o Blog? Registre aqui!