quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

O mundo deve nos imitar (Parte I)

E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”.
Romanos 12.2

          Quando vemos o quanto o mundo está corrompido, queremos entender o porquê e queremos conquistá-lo para Jesus. Como luz, queremos brilhar no meio das trevas. Pensamos: “ah, vou trazer esse tipo de música para dentro da igreja, porque é o que toca lá fora”, ou “se tem um programa de televisão assim, vamos fazer um igual estilo gospel”, ou ainda “vamos aprender excelência fazendo isso ou aquilo com o mundo para que aperfeiçoemos dentro da casa de Deus”.
          É fato que há pessoas, modelos de sucesso que merecem observação, mas acima de tudo, a bíblia nos diz para não nos conformarmos, não entrarmos no “molde” deste mundo pois no meio das trevas, nossa luz pode se apagar. Igreja e mundo precisam ser transformados: a igreja em não deixar entrar as coisas do mundo e o mundo, que deveria ter a igreja como modelo para se espelhar.
          A transformação, portanto, é de dentro para fora e não o contrário.
          Em Romanos 12, vemos na palavra de Deus como podemos ser modelo para o mundo para que este nos imite, como este processo funciona:

1) Nossos corpos em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus
Antes de tudo, precisamos dar a Deus um culto racional, um culto com entendimento e não um culto que é movido pela insensatez, pela ignorância, pelo fingimento, por interesse ou por engano. Deus quer que saibamos a quem estamos cultuando; Ele quer que o conheçamos para que possamos dizer: “Eu sei a quem presto culto; eu conheço o meu Deus”. Deus quer que aprendamos mais e mais de sua palavra para que apresentemos o melhor culto que podemos dar à Ele. Sacrifício vivo, santo e agradável significa fazer tudo o que podemos para exaltá-lo, para que Ele apareça e não nós. É ir além das nossas forças por Ele. Sacrifício santo é estar separado das coisas do mundo. Não quer dizer viver alienado ao mundo. É não se envolver com práticas que a bíblia não aprova. Sacrifício agradável, é exalar o bom perfume de Cristo por onde passemos; ter um coração quebrantado, contrito, sendo sempre exemplo em todas as coisas, deixando marcas nas pessoas do amor de Deus derramado em nossos corações. Feito isso, podemos apresentar a Deus um culto verdadeiro, um culto racional.

2) Não se conformar com este mundo
Quando temos uma vida com Deus, de sacrifício vivo, santo e agradável, não nos conformamos com o mundo. Um coração, enquanto ligado no trono de Deus, não se deixará seduzir pelas coisas do mundo porque este oferece coisas boas. Se o mundo não apresentasse tantas coisas boas, ninguém teria prazer em ir pra lá ou ficar lá. O que ocorre, é que a vida de pecado predominante no mundo, dura só um tempo, enquanto a palavra de Deus permanece para sempre. No mundo o que funciona é o ter: “quanto mais eu tenho, mais importante sou”, enquanto que com Deus, o que funciona é o ser: “eu te amo meu filho do jeito que você é”. O mundo deve imitar a igreja no seu modo de ser e de viver e por isso Deus já deixou instruções de como fazer isso.

Continua...

Curtiu o Blog? Registre aqui!