quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Coragem em se reconciliar

Oi pessoal a paz

        Ontem de manhã meu esposo e eu pegamos um trem com uma amiga nossa, a Fabi, e lembramos de como um dia nos reconciliamos.
         Entre amigos, estávamos conversando na dificuldade que há na nossa igreja sobre algumas pessoas de darem o primeiro passo para se reconciliarem, se acertarem com alguém. É claro que essa dificuldade há em todas as igrejas, mas focamos na nossa que é onde congregamos, onde passamos grande parte da nossa vida.
          Lembramos de como meu esposo e eu queríamos nos aproximar da Fabi e do Fabio, seu esposo, mas por alguma razão, achávamos que eles não gostavam da gente. E o mesmo aconteceu com eles: eles achavam que a gente não gostava deles. Felizmente, numa bela noite, marquei uma reuniãozinha lá em casa (tipo com uns comes e bebes, coisa assim), chamei algumas pessoas e também a Fabi e o Fabio. Todos faltaram menos eles. Eles foram até nossa casa, numa noite que Deus tinha preparado para a gente se “acertar”.
         Corajosamente, eles admitiram pensar que não gostávamos deles e eles não queriam que isso acontecesse. Fiquei tão feliz em ouvir aquilo pois o sentimento do meu esposo e o meu era o mesmo. Depois daquele dia em que fomos honestos uns com os outros, nossa amizade cresceu e amadureceu. Hoje eles são parte de nossos melhores amigos e sempre que podemos, fazemos algo juntos.
        Nessa conversa que tivemos no trem, percebi em como as pessoas tem dificuldades de se aproximar de outras. É como se em algumas áreas preferíssemos viver como “bicho do mato” e sair da nossa zona de conforto parece requerer um sacrifício além de doer. Pensamos mais nisto do que nos frutos que poderíamos colher se déssemos o primeiro passo para derrubar essa muralha que parece dividir as pessoas. Eu já fui assim por muito tempo e só fiquei mais sozinha, mas chega uma hora que não dá pra viver isolado para sempre. Como servos, precisamos ceder muitas vezes para ver o reino de Deus crescer: o reino que é justiça, paz e alegria no Espírito Santo. É por isso que há tanta comparação e competição entre o povo de Deus: não temos coragem de nos reconciliar. Somos bastante orgulhosos.
        Ainda há pessoas na minha igreja local que eu vejo que são bastante resistentes e eu creio que não é por mal: as vezes alguma limitação que elas tem, ou outro motivo que seja. Estou empenhada em derrubar essa muralha pois no reino de Deus não há espaço para termos inimigos e sim aliados por uma mesma causa. Não posso pensar em viver bem com meu irmão no céu se nem na terra eu vivo bem com ele.
       As vezes, quando nos aproximarmos de alguém não receberemos nada em troca ou talvez a outra pessoa nos rejeite. Precisamos estar preparados. Entretanto, mais do que tudo, o importante é agradar a Deus e fazer o que Ele nos chamou pra fazer porque é dentro de nós que está a palavra de reconciliação.

“Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação”.
II Co 5.19


(Na foto: Fabio e Fabi)

Com carinho
Jack

Curtiu o Blog? Registre aqui!