sábado, 8 de agosto de 2009

Pai: um pedaço de mim


Olhai para as aves do céu, que nem semeiam, nem segam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não tendes vós muito mais valor do que elas?

Mt 6.26

Deus ama todos pais. Ama tanto que abençoou uma data só para eles!

Como é importante figura de um pai, seja ele biológico, adotivo, espiritual, afetivo! Quantas pessoas existem hoje sem ter um pai. De repente um pai malvado, um pai que não se importou, que não cuidou de você. Um pai que te abandonou. Um pai que deixou feridas ou cicatrizes no seu coração. As vezes você que é um pai, também passou por algo assim, afinal, todos nós somos filhos de alguém.

Assim como muitos foram criados ou foram forçados a viver sem a presença de um pai, também há outros milhares precisando deste pai: alguém que cuide de você e seja forte o suficiente para te guardar, suprir e te amar de maneira incondicional; de maneira divina.

Nesse amor aparentemente tão “impossível”, tão improvável e tão divinal ao mesmo tempo, encontramos na pessoa do Senhor Deus, o “Paizinho”, o “Paizão”, um cuidado que só Ele pode dar. Mesmo que não tenhamos um pai, mesmo que falte um pedaço de nós, o Senhor é fiel e amoroso para nos amar; para nos completar.

De repente há tanta dor, tanto rancor no seu coração! É o perdão que você não dá para o seu pai por aquilo que ele fez ou deixou de fazer. É o sentimento mal resolvido daquele que deveria assumir um papel tão importante na sua vida, e não assumiu. São os anos perdidos, os danos irreparáveis. De repente, é a ausência de amor e da falta de reconciliação com o pai que já faleceu. Quantas oportunidades perdidas. Quanto tempo perdido. Quantos vivem assim...

Mas a boa nova é que Deus é o melhor dos pais. Quando nos submetemos à sua palavra, ao seu amor, somos cheios Dele e tudo o que há dentro de nós é mais maior. Deus é amor, e pelo amor, seus filhos são conhecidos.

O Pai celestial cuida tão bem das aves do céu! Já reparou em como os passarinhos cantam, o florescer da natureza, os animais, cada um em sua espécie... se Deus é tão detalhista, tão observador com as aves e toda sorte de vida, imagine com você: mesmo que você tenha sido um filho ingrato ou um pai amargo.

Deus é o melhor Pai! Ele sempre está interessado em te ouvir, perdoar, em curar sua dor, não importa que mal você tenha sofrido. Mesmo que você seja um doutor ou um mendigo. Deus ama tanto pais quanto filhos, e quer sarar tanto um coração quanto outro a fim de que você celebre uma nova vida: a da reconciliação com aquele que é um pedaço de você.

Será que veremos o amanhã? Hoje é um bom momento se acertar com alguém.

Uma homenagem a todos os filhos e papais do mundo!

Curtiu o Blog? Registre aqui!