quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Andando em força, amor e moderação

Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação.
II T.m 1.7

O retrato do mundo hoje é de um mundo que vive com medo, sem amor e sem domínio próprio. Deus conta com sua igreja para sermos um modelo diferente do que o mundo vê. Um modelo que vive de acordo com os atributos divino e isto só conseguimos com a ajuda do Espírito Santo. Podemos até os sentir fragilizados, com medo, ou sem amor ou até mesmo dificuldade em dominar a nós mesmos, mas isto não pode ser parte da nossa rotina; este comportamento natural não pode nos escravizar no nosso dia a dia, a nós, filhos de Deus chamados para viver o sobrenatural.
Houve um tempo em que me sentia exatamente assim: estava sozinha, com medo, sem amor (meu coração parecia uma pedra e como eu não dava amor eu também não sentia), fraca e sem domínio próprio (eu vivia explosiva, nervosa, não queria que ninguém se aproximasse de mim e eu queria me vingar de todos aqueles que me deixaram triste). Como eu não podia fazer nada disso, eu me isolava; toda oportunidade que aparecia para eu viajar, passear, lá estava eu para eu não ter que enfrentar meu próprio temperamento. Eu não queria agir sem sabedoria, então eu me isolava de todos. Até que um dia, quando meus pensamentos estavam tão confusos, e eu com vontade de desistir de tudo (eu não estava mais agüentando a luta que eu estava passando), acho que muitos próximos de mim não entendia nada do que estava acontecendo, um dia, essa palavra veio ao meu coração: “Porque Deus não nos deu o espírito de temor, mas de fortaleza, e de amor, e de moderação”. Quando me vi desesperada, corri para Deus e disse para Ele que, aquela noite em oração, seria a noite da minha vida, seria a noite em que eu testemunharia o milagre Dele na minha vida.
Deus nunca quis que tivéssemos medo! O medo, o complexo de inferioridade e todo sentimento negativo a respeito de nós mesmos, nunca fez parte da natureza divina. Por mais falhos que sejamos, Deus nos criou com um propósito excelente, nos fazendo sua imagem e semelhança.
Deus não quer que sejamos parecidos com ele apenas fisicamente. Mais importante que isso, Deus quer que tenhamos Sua essência, um espírito parte do Espírito Santo. Por isso, ele colocou em nós um espírito de acordo com seus atributos: poder, amor e moderação. Talvez seja por isso que está em sua palavra também que o amor lança fora o medo. Os covardes não tem parte no reino. Deus tem prazer e confia naqueles que não olham para trás.
Imagine um Deus sem força, sem amor e moderação? Sem poder para agir através dos tempos e continuar sendo o mesmo, sem amor para nos amar como somos e como estamos, sem moderação, sem tirar os nossos “excessos”, sem prudência, sem equilíbrio. Imagine um Deus com medo? (Talvez até sem amor, porque se sentimos amor, este lança fora todo o medo (I Jo 4.18)). Dá pra imaginar?. Seria horrível!
Quando olhamos os atributos divinos parece impossível imaginar que podemos ser filhos de Deus. Como pode Deus me chamar de filho dele? Afinal, Deus é tão poderoso e eu só um ser racional, tão mínimo! Graças a este amor divino, hoje podemos ser chamados filhos de Deus, amados do Pai, por isso, não precisamos temer. Muitas situações podem até nos abalar, nos entristecer, nos enfraquecer, mas isto não quer dizer que tenhamos que viver sempre assim, uma vez que Deus nos chama para reagirmos diferentes. Deus quer que andemos em poder, em amor e moderação.
Deus nos capacitou, nos ungiu para ir e fazer além. Jesus mesmo disse que poderíamos fazer obras ainda maiores das que ele fez (Jo 14.12). Isso é andar em poder, na força do Senhor. Deus disse que pelo amor que tivéssemos uns pelos outros é que seriamos conhecidos, isso é andar em amor (Jo 13.34-35). Quando lemos na carta aos Gálatas (cap 5) sobre o fruto do Espírito, somos ensinados a ter “domínio próprio” (Melhor é o que tarda em irar-se do que o poderoso, e o que controla o seu ânimo do que aquele que toma uma cidade.- Prov 16.22). O domínio próprio, reter aquilo que é bom, se conter diante de situações que tiram nossa paz, significa andar com moderação. A moderação faz parte do fruto do Espírito Santo, e foi com essa intenção que Deus colocou este mesmo espírito em nós.
Posso imaginar Deus trazendo essa mensagem ao seu povo em um momento difícil que a igreja deveria estar enfrentando! Seja em que momento for, não podemos desistir. Se você está vivendo uma fase de “só alegria”, guarde esta palavra no seu coração. Se seu momento hoje é de tristeza, guarde esta palavra no seu coração. Em todo o tempo precisamos guardar esta palavra no coração “para não pecar contra ti” (Sl 119.11).

JS

Curtiu o Blog? Registre aqui!