domingo, 20 de dezembro de 2009

A simplicidade da presença de Deus


          A foto acima eu tirei de dentro de um carro em movimento, passando por cima de uma ponte. Aqui em SP é normal encontrarmos trânsito, mas estranhei encontrar trânsito de madrugada.
         Assim comecei a pensar que mesmo de madrugada, onde todos normalmente deveriam estar descansando ou o ambiente deveria ser mais sossegado, as pessoas estavam agitadas e o ambiente carregado de estresse como se fosse de dia. A cena da ponte significou que as pessoas estão cada vez mais ocupadas. Nunca descansam.
         Por alguns dias estive bem envolvida em algumas atividades do trabalho, de casa e da igreja e confesso que não busquei ao Senhor de coração nesses dias. Quando percebi, estava cada vez mais cansada com a correria do dia a dia, detonada e mal via a hora de dormir para, estar menos cansada no dia seguinte. Isso passou a ser preocupante.
        Muitas coisas aconteceram nesses dias e entre elas uma licença médica não esperada devido a uma picada de inseto que acabei levando. Tive que ficar em casa pra repousar e mesmo com tantas coisas pra se fazer, relutei bastante, até que não consegui mais: fui orar ao Senhor. Meu coração estava com saudades do Pai, cansado de tanta correria, mas ansiando a presença de Deus.
        Abri meu coração para Deus. Chorei bastante porque anseio tanto pela sua presença...me senti envergonhada porque não abria meu coração há tanto tempo. Estava vivendo como Marta, mas entreguei diante Dele todas as minhas preocupações humanas. Comecei a cantar de novo, a adorar de novo e a ler sua palavra. Incrivelmente, ao abrir a palavra, comecei a ler Ester 4, quando Mordecai pede ajuda para Ester devido o decreto de morte que todos os judeus tinham recebido. Entretanto, para que alguém pudesse falar com o Rei, ninguém era autorizado a não ser que o rei o chamasse. E quem entrasse na presença do rei sem permissão, morria a não ser que ele estendesse seu cetro de ouro.
        Ester aqui, por um momento, me lembrou Jesus. Ela foi a corajosa intermediadora do povo judeu diante do rei. Ela esperou o tempo certo para pedir ao rei que anulasse o decreto. Seria como nós. Se Jesus não tivesse anulado o decreto de morte pelo qual estávamos destinados, todos nós não teríamos conhecido a salvação. Jesus pagou um preço em nosso lugar diante do Rei e hoje somos livres.
        Imagine, no tempo de Ester, se eu não fosse autorizada a ir na presença do rei eu morria a não ser que ele estendesse seu cetro. Hoje, não vivo mais pela lei e sim pela graça e tenho livre acesso e assim posso entrar na presença do Rei dos reis e saber que não morrerei, antes viverei e contarei as obras do Senhor.
         Muitas vezes parece que entrar na presença de Deus parece ser tão complicado. Exigimos tanto de nós mesmos, tanta santidade: “preciso estar com minha vida reta”, “não posso ter pecado”, “Deus é tão santo e eu tão sujo que não posso me aproximar dele”, e coisas assim quando simplesmente Deus quer nos acheguemos à Ele e contemos o que se passa no nosso coração. É ele quem nos transforma de glória em glória.
          Entrar na presença de Deus é mais simples do que a gente pensa. Não precisamos saber como orar. É só abrirmos nosso coração para a cura entrar, para Ele falar, para Ele nos restaurar, para Ele nos levantar de novo.
          Que aprendamos a parar mais, buscar mais e agir menos. Agir aqui é como Marta. Eu preciso ouvir mais o Senhor, falar mais com Ele, converter a cada dia o meu coração, antes que seja tarde e que Ele venha buscar a sua igreja.

Com amor

Jack
(Foto: Jack Sales)

Curtiu o Blog? Registre aqui!