quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

O rio que cura

"Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo" 
Salmos 46.4


          Naamã era comandante do exército do rei da Assíria, homem valente, respeitado...
         Mas tinha uma doença terrível: a lepra. Naquele tempo não existia nenhum tratamento e o leproso era privado do convívio social e familiar.
          Imagino que Naamã ao retornar das batalhas, quando chegava em sua casa, não se via nada além de um valente guerreiro. Entretanto,  embaixo daquela armadura toda, existia um homem doente que tinha a carne consumida em vida, e que não podia sequer deitar-se com sua esposa.
          Depois de muito sofrer, orientado por uma serva, saiu a procura do profeta Elias. Elias, pra sua surpresa não o tratou com nenhuma regalia e nem fez nenhum ritual para que ele fosse curado. Apenas lhe ordenou que mergulhasse sete vezes no rio Jordão.
          Naamã se enfureceu, pois em Damasco existiam rios mais limpos e melhores que o Jordão, então, se recusou a entrar naquele rio. Seus soldados porém, o encorajaram com algo mais ou menos assim: "Já que estamos aqui, pelo menos tente".
           E Naamã foi e mergulhou sete vezes como o profeta orientou, e saiu purificado de sua lepra.
         Muitas vezes nós somos como Naamã, queremos desprezar o rio de Deus e mergulhar em outro que aos nossos olhos parece ser mais limpo, mais atrativo. Somente o rio de Deus é o rio que cura, basta somente mergulhar nele para curar a sua dor.


Jaqueline de Oliveira Souza
Igreja Batista Aliança – Vila Velha- ES
Blog: mulhervirrtuosa.blospot.com   
Twitter: @mulhervirtuosa

Curtiu o Blog? Registre aqui!