domingo, 18 de setembro de 2016

O que o pastorado mudou em minha vida...

Olá!!!

Paz!!

Eu me lembro de uma promessa que recebi anos atrás quando Deus disse que um dia me casaria com um pastor.

Consagração em 01.05.16
Na verdade, não achava que isso seria possível. Para mim naquela época, os pastores eram aqueles caras sérios, que andavam de social pra cima e pra baixo, cheios de Deus e extremamente corretos acima de qualquer suspeita. Graças a Deus tive muitas referências boas que me deram esse tipo de visão na época. Quanto a mim, eu era (e ainda sou um pouco), bem desencanada, sou séria mas brinco muito, cheia de Deus (mas bem mais cheia de falhas), uso social só no trabalho mas sou mais adepta das bermudas e chinelos e então, olhando hoje os anos passados, percebo que ser pastora não estava bem meus planos rsr.

Ah sim, porque se você casa com um pastor você não é uma ajudadora do trabalho dele somente. Você se torna pastora também. Seja pastoreando uma igreja toda ou somente auxiliando sua igreja local. Você ri e chora junto com o trabalho de pastorado que Deus confia a você.

No entanto, pessoas com problemas sempre vinham até mim. Eu, que me achava introvertida, na "minha", aconselhar uma pessoa só se fosse capacitada por Deus. Vários amigos, ainda quando solteira, achavam que eu tinha um jeito de pastora. Não sabia muito bem o que isso significava, mas achava um trabalho de muita responsabilidade. A medida que as pessoas vinham, o que eu dissesse poderia definir a vida delas e por isso, vejo o quanto é importante estarmos andando com Deus o tempo todo para ajudarmos a quem precisa no caminho da verdade.

Pastores são pessoas. Pastores não são super heróis. Cabe a eles maior responsabilidade  e por isso Deus cobrará muito mais deles. Mas pastores, bem... são humanos. São pessoas que tem sentimentos, trabalham, dão risadas, choram, tem familiares e um desafio enorme de ajudar outras pessoas que precisam de uma palavra, uma direção.

Há aprox. 6 anos, quando todo mundo falava que parecíamos pastores
Eu sempre imaginei que um dia se fosse pastora, não cometeria o erro que vi muitos cometerem ao longo dos anos: serem sufocados pelas responsabilidades, esquecerem seus familiares e não curtirem mais a vida. Sim, porque para mim o cristão seja ele pastor ou não, deve viver uma vida cheia de entusiasmo, alegre, que quando vem os momentos ruins, eles aprendem a passar por eles com alegria porque afinal, são só momentos. Não quero que um momento seja o sofrimento de uma vida inteira porque se virem sempre a marca de tristeza e fracasso no meu rosto ou no meu falar, ninguém vai querer ser cristão ou mais ainda, pastor.

No ano passado  Renato e eu fomos em um retiro no litoral norte e lá novamente Deus nos fez lembrar dessa promessa. Seríamos convidados para ajudar um pastor. Nem imaginávamos quem fosse ele, e quase desacreditamos conforme o tempo passava. Seis meses depois estávamos sendo consagrados, apresentados publicamente em nossa igreja local, como pastores auxiliares.

O que mudou desde então?

Nos sentimos com mais responsabilidade diante de Deus. Eu pessoalmente me sinto mais "velha", mais "madura", diferente de uns anos atrás onde eu era bem ingênua, bem inocente talvez.. eu não sei... Estou curtindo este momento e aguardando as novidades que Deus tem em breve pra gente fazendo outras coisas que o pastorado tem. Espero estar capacitada o suficiente para fazer um bom trabalho junto com meu marido, ajudando-o em tudo para a glória de Deus!

Orem por nós!
JS e RS




Curtiu o Blog? Registre aqui!